Tag Archives: infancia

O coelho e a raposa 🐰🦊

Estes são os bonecos preferidos do Louis. Lembram-vos de alguma historia em especial? O Louis adora a raposa do Peter Rabbit, por isso escolheu estes dois peluches para serem os seus melhores amigos. Anda sempre com eles de um lado para o outro, seja para contar historias, “tomar chá”, hora da papa ou da naninha. 🙂

Imagem da minha autoria

Entretanto na floresta…

-Onde vais com tanta pressa?- perguntou a Raposa ao Coelho.

-Tenho de me despachar, não posso falar agora- respondeu Coelho.

-Posso te acompanhar? – perguntou novamente a Raposa.

-Não te ponhas com segundas intenções, raposinha – disse o Coelho, desconfiado- olha que eu sou muito rápido, para alem de estar sem paciência para as tuas “brincadeiras”.

-Tem calma, Coelho, eu só quero fazer amigos… Sabes que desde o tempo do Principezinho que me sinto muito sozinha… – disse a Raposa com um ar triste.

-Pois acredito, mas eu tenho imensa pressa pois não tarda nada começa a chover e eu tenho de levar cenouras para casa para alimentar os meus filhotes que devem estar cheio de fome.

-Eu ajudo-te. Assim como assim nao tenho nada para fazer.

-Está bem, mas tens de me prometer que te portas bem.

-Combinado.

O coelho corria muito rápido e a raposa tinha muita dificuldade em o acompanhar até que começou a chover torrencialmente e tiveram de parar.

-Assim nunca mais vou conseguir levar comida para os meus filhotes- disse o Coelho, muito triste.

-Calma, disse a Raposa- vais ver que quando a chuva parar o arco-iria vai-te mostrar o caminho.

E assim foi, depois de algum tempo a chuva deu lugar a um belo arco-íris que mostrou o caminho para uma pequena quinta onde havia uma pequena horta cheia de cenouras.

A Raposa ajudou o Coelho a colherem algumas cenouras sem serem vistos, e nova Minho para casa consolaram-se a comer duas grandes cenouras cada um.

Ao chegarem a casa do Coelho, este disse:

-Muito obrigada por me teres ajudado, Raposa, o que posso fazer te retribuir?

-Seres meu amigo basta-me.

Dito isto a Raposa virou costas e foi-se embora.

De repente o Coelho chamou-a e disse: -Gostava de te convidar para tomares um cha ca em casa e conheceres a minha familia.

A Raposa aceitou muito tímida, e foi assim que deram inicio a uma bela Amizade.

About Matilde Ferreira

A Descoberta de Si Mesma- Guidinha Caderninho e o Mundo Magico das Emoçōes

Este livro trouxe-me memórias da minha infância. Em criança tal como a Guidinha, eu tinha muitas conversas na minha cabeça, com o Consciente, Sub-Consciente, Ego, Memoria, Mente e Coração (Megamind), e sonhava muito para manter essas conversas “vivas”. Hoje olho para o meu filhote com ternura enquanto ele explora as suas emoções brincado e criando historias com os seus bonecos e brinquedos. É como um passar de testemunho.

A partir de que idade é que começamos a ser mais conscientes da realidade? 5, 6 anos… Talvez. Gostava que ao tomarmos mais consciência não perdêssemos a nossa inocência… (tive esta conversa com a mãe de um amiguinho do Louis, enquanto esta desabafava comigo que o filho mais velho é posto de parte pelos colegas de escola 🙁

Porque é obrigatório ler “Guidinha Caderninho e o Mundo Magico das Emoções”? Porque são historias que ajudam a criança a aprender a lidar a lidar com o “enredo das emoções, a ganhar confiança nas suas capacidades pessoais e intelectuais, a relacionar-se melhor com o mundo e conseguir comunicar o que quer, o que pensa, o que sente e ser mais feliz.

Este livro fascinante de Guida Guardado, professora do 1o ciclo, aborda o caminho do crescimento e do autoconhecimento recorrendo a historias simples do dia-a-dia das crianças. Com a simplicidade magica das suas palavras torna compreensíveis matérias tão complexas como o desenvolvimento da inteligência emocional, a capacidade para compreender e geriras emoções e a aprendizagem para a tomada das decisōes.

Em “Guidinha Caderninho e o Mundo Magico das Emoções” a escritora Guida Guardado, como seu imaginativo e cativante estilo literário, vai muito para alem de oferecer ao leitor historias infantis. Com a personagem central, Guidinha, as crianças descobrem os seus “eus” interiores, aprendem a reconhecer os seus sentimentos, a expressar adequadamente as suas emoções e a desenvolver relações mais saudáveis com quem as rodeia.

Deixo-vos com algumas passagens do livro:

“-Os medos e as preocupações não têm de ser vistos apenas como emoções negativas que queremos fazer desaparecer. É através das experiencias menos boas que fazemos grandes aprendizagens.”

“A Guidinha percebeu que quando assumia aquilo que sentia perante os outros, tudo ficava mais fácil, pois era compreendida. Afinal o Megamind tinha razão “quando eu mudo, os outros também mudam.”

“…-Ter maturidade tem a ver com a maneira como tu tratas os outros e a ti mesma, como pensas e como te comportas.”

“A expressão andar em ‘piloto automático’ significa isso mesmo, é nao fazer as coisas de forma consciente. Mas isso também se aplica as emoções, à maneira de ser de cada um e às expressões do corpo. Por isso é que as pessoas por vezes, interpretam mal o comportamento do outro.”

“-Temos de educar a Mente a aprender como se fosse uma criança. Às vezes ela fica perdida e a pessoa parece uma barata tonta, perde-se com as coisas que acontecem à sua volta.”

Podem encontrar este livro aqui no Instagram da Pagina da Guida Guardado, Kids & Grown-ups.

About Matilde Ferreira

Caixa Magica| Disney Plus

Foto tirada pelo Louis

Em boa hora o serviço de streaming da Disney chegou à Europa. Numa altura em que nos pedem para ficar em casa, isto veio mesmo a calhar. 🙂

Lembro-me de ficar “horas a ver” o Clube dos Amigos Disney no Canal 1, com apresentação do tio Julio Isidro. E hoje a a historia repete-se. O Louis adora o Clube do Mickey Mouse. Parece que voltei atrás no tempo mesmo. 🙂

Estamos completamente aficionados. Temos os filmes todos da Disney, desenhos animados com Mickey Mouse, Ducktales (eu era viciada nas aventuras do Tio Patinhas e sobrinhos em banda desenhada), Star Wars, Simpsons e Marvel. Que Maravilha! É incrivel como o legado de Walt Disney se tornou tão vasto 🙂

E o Louis adora o Baby Yoda 🙂 Ainda esta sexta fizemos pizza night e ele adormeceu a ver a serie Mandalorian. Apesar de ainda nao entender a historia, ele ja reconhece as personagens, principalmente o “pequeno Yoda” e começa a cantar a Marcha Imperial do Star Wars

Foto da minha autoria – Que a Força esteja convosco

E voces, o que mais gostam no Universo Disney? 🙂

About Matilde Ferreira

A magia do Natal da minha infancia

Lembro-me como se hoje, na noite de Natal depois da ceia, o meu pai me levar a mim e ao meu irmão à rua, bem agasalhados, ver seí o Pai Natal, enquanto a minha mãe ficava em casa para receber o Pai Natal, o que queria dizer que era ela que colocava os presentes debaixo da árvore. Lembro-me que estava mesmo muito frio mas a excitação de olhar para o ceu para ver se víamos o velhinho de barbas brancas era muito maior. Quando voltávamos para casa, as luzes estavam apagadas, apenas as luzes da arvore iluminavam a mesma, o que tornava tudo muito mais magico. 🙂 E as prendas debaixo da arvore significavam que o Pai Natal ja tinha passado por nossa casa, e o mais incrível é que nos não tínhamos visto 🙂

Por volta dos 7 ou 8 anos, descobri os embrulhos de Natal escondidos no guarda-fatos do quarto dos meus pais… mas continuei a acreditar na magia do Natal. Descobrir que o Pai Natal eram os meus pais fez-me ainda mais acreditar na magia desta época, e hoje ainda mais.

Imagens da minha autoria

Hoje estou no blog da Sandra Monteiro, o Blue Strass, a falar sobre esta época magica 🙂 Passem por lá 😉

About Matilde Ferreira

Caixa Mágica.

Ontem foi o Dia da Televisão. Nem de propósito porque escrevi este texto esta semana.

Imagem da minha autoria

Sou da geração da televisão. Cresci sem internet e fui muito feliz. Aprendi tanto com a tv. E o nosso LU também aprende tanto com o CBebbies, alias é assim que ele chama à, televisão, CBeebies. Às vezes parece que ele pensa que pode saltar para dentro da tv, tal como eu pensava, e ir brincar com o Duggee, os Go Jetters, os Twirlywoos, o Mr Tumble, o Peter Rabbit, canta e dança com eles. E depois vai para a creche imitar o Freddie Mercury e por toda a gente a cantar e a dançar com ele. Tao bom 🙂

O mais incrível é que eu fazia o mesmo que ele, também me imaginava dentro da tv com as minhas personagens e cantores preferidos. So que eu era mais tímida do que ele e não interagia tanto com os meus colegas… outros tempos 🙂

Imagem retirada do Facebook

About Matilde Ferreira