Tag Archives: infancia

A magia do Natal da minha infancia

Lembro-me como se hoje, na noite de Natal depois da ceia, o meu pai me levar a mim e ao meu irmão à rua, bem agasalhados, ver seí o Pai Natal, enquanto a minha mãe ficava em casa para receber o Pai Natal, o que queria dizer que era ela que colocava os presentes debaixo da árvore. Lembro-me que estava mesmo muito frio mas a excitação de olhar para o ceu para ver se víamos o velhinho de barbas brancas era muito maior. Quando voltávamos para casa, as luzes estavam apagadas, apenas as luzes da arvore iluminavam a mesma, o que tornava tudo muito mais magico. 🙂 E as prendas debaixo da arvore significavam que o Pai Natal ja tinha passado por nossa casa, e o mais incrível é que nos não tínhamos visto 🙂

Por volta dos 7 ou 8 anos, descobri os embrulhos de Natal escondidos no guarda-fatos do quarto dos meus pais… mas continuei a acreditar na magia do Natal. Descobrir que o Pai Natal eram os meus pais fez-me ainda mais acreditar na magia desta época, e hoje ainda mais.

Imagens da minha autoria

Hoje estou no blog da Sandra Monteiro, o Blue Strass, a falar sobre esta época magica 🙂 Passem por lá 😉

About Matilde Ferreira

Caixa Mágica.

Ontem foi o Dia da Televisão. Nem de propósito porque escrevi este texto esta semana.

Imagem da minha autoria

Sou da geração da televisão. Cresci sem internet e fui muito feliz. Aprendi tanto com a tv. E o nosso LU também aprende tanto com o CBebbies, alias é assim que ele chama à, televisão, CBeebies. Às vezes parece que ele pensa que pode saltar para dentro da tv, tal como eu pensava, e ir brincar com o Duggee, os Go Jetters, os Twirlywoos, o Mr Tumble, o Peter Rabbit, canta e dança com eles. E depois vai para a creche imitar o Freddie Mercury e por toda a gente a cantar e a dançar com ele. Tao bom 🙂

O mais incrível é que eu fazia o mesmo que ele, também me imaginava dentro da tv com as minhas personagens e cantores preferidos. So que eu era mais tímida do que ele e não interagia tanto com os meus colegas… outros tempos 🙂

Imagem retirada do Facebook

About Matilde Ferreira

O Pássaro| Storyteller Dices d’As Gavetas

Imagem da autoria do blog As Gavetas da Minha Casa Encantada

Vi o filme Fernão Capelo Gaivota na escola e adorei. De cada vez que via uma gaivota sonhava voar como ela. Ainda hoje fico maravilhada com gaivotas. Alias das coisas que mais gosto de fazer é passear no parque e ouvir os passarinhos cantar. Tambem gosto muito de acordar com os passarinhos a cantarem na minha janela. Tão bom. Uma das primeiras palavras que o nosso Lu aprendeu foi bird, e também sabe que é piu-piu 🙂

O meu avô tinha rolas. Das primeiras recordações de infância que eu tenho, é de passar os dias a imita-las: Cucurrrruuuu! Cucurrrruuuu! Isto lembrou-me de uma historia engraçada que a minha mãe costuma contar: uma vez na igreja de Aveiro, estava o padre a dizer o sermão, e de repente, começa-se a ouvir na igreja toda uma menina pequenina a imitar o som das rolas: Cucurrrruuuu! Cucurrrruuuu! A minha mae pegou em mim e levou-me para fora da igreja meio envergonhada, mas com uma vontade de rir imensa. O meu avô, mal continha o riso, e so dizia para me deixar cantar 😀

Imagem da minha autoria – Eu com as rolas do meu avô, quando tinha 5 anos 🙂

Gostaram desta historia? Que memórias têm da vossa infância? 🙂

Este desafio foi criado pela Andreia do blog As Gavetas da Minha Casa Encantada. Podem saber mais detalhes AQUI.

About Matilde Ferreira

TaG| Infância

Imagem do Canva com descrição da minha autoria

E hoje trago-vos mais uma Tag cheia de memórias 🙂

1-Fotos da infancia (mostrar fotos) .

Fotos do meu album de infancia

2-Uma memoria boa da infancia. Andar com um microfone e um radio gravador e o meu pai gravar a minha voz e as minhas cantorias.

3-Um cheiro da infancia. Marmelada e geleia que a minha mae fazia no Outono e os doces de Natal

4- Brincadeira preferida da infância. Correr e esconder-me no terreno dos meus avos.

5-Desenho animado preferido da infancia. Uiii tenho tantos, Tom & Jerry, Dartacão, Abelha Maia, Bugs Bunny, Pantera Cor-de-Rosa, Heidi

6-Historia engraçada da infância. Hmmm não é bem uma historia engraçada, pois terminou em sangue 😛 mas serviu para eu aprender: Ora bem eu adorava andar de socas, e o meu vizinho tinha uma pequena rampa em cimento para subir com a mota dele. Certo dia, no final de tarde de Verão, andava eu a subir e a descer a rampa de socas e a minha mãe farta de me chamar para eu ir para dentro mas eu não ligava nenhuma… e ela dizia aquelas coisas que todas as mais dizem nestas situações: “Matilde Cristina, anda para dentro! Se caíres ainda vais levar por cima!… As tantas desequilibrei-me e escorreguei batendo com a cabeça… acho que nunca vi tanto sangue na vida lol Não precisei de ir ao hospital pois foi de raspão apesar do raio do sangue… ah e a minha mãe não me bateu. Ufa!

7-O que tu querias ser na infância. Ser feliz e brincar muito!

8-Qual era o seu medo na infância.Ratos…

9-Com quanto anos começaste a interessar pelo universo feminino? … Uiii muito tarde, mesmo no fim da adolescencia, e ainda fui muito a tempo 😛

Espero que tenham gostado destas minhas curiosidades 🙂

Sintam-se à vontade para responder a esta tag nos vossos cantinhos 🙂

About Matilde Ferreira

Quando…

Imagem da minha autoria – Lu Feliz

um artigo vai de encontro a tudo o que eu penso. Realmente, quem é que anda aqui ha mais tempo? 😉 Para eles é tudo novo. O desejo de explorar é sempre mais forte e ficam frustrados quando não conseguem fazer as coisas e nos ca estamos para ajudar. Estão sempre prontos para a brincadeira, quem me dera ter tanta energia. Eu bem tento acompanha-lo. Todo o tempo que perco com ele é ganho. 🙂 Fico de coração cheio por vê-lo e faze-lo feliz.

“A verdade é que os pais encontram-se cada dia mais fragilizados e sem saber o que fazer para educar os filhos. Talvez porque tenham sido a última geração de filhos que obedeceu aos pais, tornando-se também a primeira geração de pais que, covardemente, obedece aos filhos.

Seja por preguiça ou por falta de conhecimento (nunca por má fé, acredito eu), os pais estão a abrir mão de exercer o papel que lhes compete na educação, comprometendo seriamente o desenvolvimento psicológico dos seus filhos que esperam, sequiosos, por um adulto competente que os direcione nos caminhos da vida.”

Imagem retirada da internet

About Matilde Ferreira