Category Archives: Coisas da Vida

Deixem-se levar…

nas asas destas borboletas 🙂

Foram a nossa companhia destas ferias.

Sabiam que… A borboleta vermelha ou vermelha almirante é conhecida por simbolizar as almas dos mortos, a borboleta vermelha simboliza um espirito muito forte que nos está a guardar… isto para quem acredita nestas coisas, claro. 😉

Fomos uns privilegiados nestas ferias, sempre que chegávamos ao parque tínhamos estas belezas à nossa espera. 🙂

Costumam encontrar destas borboletas no vosso caminho? 🙂

About Matilde Ferreira

Uma Aventura no Museu da Ciencia

Ops, fizemos outra vez e partimos rumo à aventura. 🙂 O Louis foi pela primeira ao Museu da Ciência e adorou, e não podia ser de outra forma pois ele adora tudo o que seja relacionado com o Espaço, o nosso planeta Terra, astronautas, comboios e computadores, claro 🙂 Escusado será dizer que estava nas suas quintas 🙂 Ele adora tudo o que sejam maquinas e botões 😀

Ja por aqui falei que os museus ca em Londres são maioritariamente gratuitos, por isso não percebo porque toda a gente vai a correr para o Madame Tusseaud quando vêm ca mas cada um sabe de si. Neste momento os museus gratuitos como Science Museum, National History, British Museum e o Victoria & Albert só estão a aceitar marcações online por causa da pandemia e neste caso pedem um donativo irrisório a partir de 5£, o que nos achamos muito bem porque os museus precisam de ser sustentados e de manutenção.

Para chegar à zona dos museus, situada em South Kensington, na Exhibition Road, bem proximo do famoso Harrods, podem apanhar a linha verde do Underground, a District Line em Ealing Broadway ou Paddington Station, sim a mesma que deu nome ao ursinho ternurento. Por ser domingo nos tivemos azar, porque esta linha estava em manutenções e tivemos de apanhar o autocarro 23, bem junto à estação de Paddington com direção ao Royal Albert Hall que é dos edifícios mais lindos da cidade. Acabamos por ter um passeio diferente com uma vista espectacular sobre a cidade londrina.

Royal Albert Hall

Deixo-vos com as fotografias que falam por si 🙂 Aprendemos tanto nos museus 🙂

Estes comboios foram nos mostrados por um senhor guia voluntario do museu muito simpático 🙂

O Louis também adorou a parte dos brinquedos e utensílios antigos 🙂 Muito old school o nosso menino 🙂

Outra das zonas que o nosso Louis adorou foi a dos aviões 🙂

E claro, que nao podíamos esquecer a zona da historia dos computadores e das comunicações para delírio do nosso pequenote 🙂

Uma das coisas que o Louis gostou bastante foram os jogos interactivos existentes no segundo piso do museu 🙂

E por ultimo, deixo-vos com a lindíssima exposição sobre os relojoeiros de Londres. Eu adoro relógios e vocês?

No fim fomos trincar alguma coisa no bar do museu e o Louis aproveitou para se deliciar com um gelado 😀

À espera do autocarro de volta a casa… O Louis pergunta se gostaram da nossa visita ao museu? 🙂

Gostaram da nossa ida ao museu? Qual foi a vossa parte preferida? 🙂 Fiquem atentos pois em breve vamos contar outras aventuras nossas 🙂 Estas ferias estão a ser cheias de emoções 😀

E vocês, costumam ir a museus? 🙂

About Matilde Ferreira

Um dia perguntaram-me…

O que vi em ti. Namorávamos há pouco mais de 2 anos, estávamos prestes a fazer 3. Aquele numero do “vai ou racha” nas relações amorosas. Dizem as mas línguas que quando um casal faz 3 anos de relacionamento, ou terminam ou é para a vida toda. Na altura não me recordo se respondi à pergunta, apesar de eu saber a resposta desde o momento em que te conheci. Em ti, vi tudo. Desde o primeiro momento que sempre me senti bem na tua companhia, de uma forma tão natural que mais ninguém o conseguiu fazer anteriormente na minha vida. O que mais me atraiu em ti? O que sentido de humor natural e os teus olhos doces. A tua forma de ser genuína, única, coisa rara nos dias que correm. Se o nosso filho for como tu, não podíamos ser mais abençoados. Alias no nosso caso a genética funcionou na perfeição hehe 😀

Nós completamo-nos porque tu és melhor a falar e eu sou melhor a ouvir e isso é muito importante numa relação, porque nos ensinamos um ao outro 🙂

Hoje é o teu dia, meu amor, vamos coleccionar mais memórias para o nosso bau das recordações 🙂

About Matilde Ferreira

À procura de Paddington…

Esta semana o Louis teve de ficar em casa em isolamento por motivo de ter havido um caso de covid na classe dele. Depois das aulas online aproveitamos e fomos à procura do urso Paddington.

Encontramos dois para alem daquele que ja conhecíamos na estação de comboios de Paddington. Sabiam que o famoso ursinho tem este nome por causa da estação?

O Louis delirou descobrir as replicas do urso e sempre que encontrava um abraçava-o, fazia-lhe festinhas e dava-lhe beijinhos. 🙂

Também adorou percorrer o Regents Canal e subir as pontes. Mas do que ele gostou mesmo, foram os narrow boats espalhados por todo o Canal.

Deixou-vos com as fotografias do nosso passeio 🙂

Prometemos voltar para procurar os restantes Paddington que estão também espalhados um pouco por toda a cidade londrina.

O primeiro mapa refere-se à zona de Paddington onde estão espalhados 20 cursinhos, e no segundo estão os restantes espalhados pela cidade.

Imagem da minha autoria
Imagem retirada do Google

About Matilde Ferreira

Fotografia daminha autoria - São João 2011

Saudades do São João

Quando vim para ca para o Reino Unido trouxe a barriguinha cheia das festas são joaninas da cidade do Porto. Agora passados quase 10 anos de vida neste país, tenho saudades do São João. Acho que sempre tive a ver pelas memórias do meu primeiro ano cá em que eu postei que tinha saudades da festa do padroeiro da cidade do Porto.

Eu sempre gostei de festejar o São João. Lembro-me de ver minha mãe assar as sardinhas, entremeadas, fêveras e os pimentos no fogareiro no patio de nossa casa, e de eu andar a correr , na rua, atras do meu irmão Bruno, a dar-lhe com o martelo e ele só se ria 😀

Fazíamos a festa em nossa casa. A primeira vez que fui ao São João no Porto tinha eu 25 ou 26 anos, fui com uma amiga, e juramos para nunca mais irmos para o meio da confusão. Fomos arrastadas literalmente, sempre agarradas às carteiras. Definitivamente aglomerados não são para mim como falei aqui. Quer dizer, jurei para nunca mais mas em 2006 voltei a cair no erro e fui com a mãe do Rui e o sobrinho dele, na altura com pouco mais de 2 anos e teve uma experiência traumatizante pois a avó cismou que tínhamos de ir ate à Ribeira para ver melhor o fogo de artificio… Nunca vi uma criança, bebé chorar tao sufocado… coitadinho. 🙁

Em 2009 e 2011 a minha empresa na altura organizou passeios de barco pelo Douro para os nossos clientes, o primeiro ano foi uma experiencia incrível e agradável, é fantástico ver o fogo do rio apesar do barulho ser ainda mais intenso. Mas as paisagens compensaram tudo. O segundo foi mesmo muito cansativo porque havia muito mais gente. A esposa de um cliente agarrou-se a mim e disse que era a primeira e a ultima vez, apesar de ter achado a festa muito bonita…

O nosso ultimo São João no Porto, foi em 2012, e passei-o com o Rui e o meu irmão Bruno no Jardim do Morro, e para mim foi dos melhores que tive ate hoje, apesar de me sentir meio adoentada.

Este é o segundo ano consecutivo em que nao se realiza a festa do Sao Joao por causa da pandemia… Espero que isto nao se torne tradição porque eu gostava muito de mostrar ao Louis a festa da nossa cidade agora que ele ja nao é bebé como era aqui neste post.

Deixo-vos com uma memória muita gira deste post que escrevi no ano passado em resposta ao desafio storyteller dices do blog da Andreia 🙂

Quais são as vossas melhores memórias das festas dos Santos Populares?

About Matilde Ferreira