Category Archives: Review

O Meu Reino

Imagem da minha autoria

O Meu Reino de Valter Hugo Mae transportou-me automaticamente para a minha infância. Apesar do enredo se passar na época do pós-revolução dos cravos, para quem tal como eu cresceu na santa terrinha, acreditem que no início dos anos 80 as coisas passavam-se estante como o autor descreve no livro. Lembro-me perfeitamente das minhas avos e tias passarem diante do cristo e se benzerem apressadamente mas bem, porque se fizessem mal era pecado. Coisa essa que nunca percebi mas tal como o menino da trama cresci com medo de errar tal coisa, mesmo que muitas das vezes não soubesse bem ao certo o que estava a fazer…

Trouxe este livro da nossa viagem de ferias dos Açores. Ja ha muito que andava para ler um livro deste autor. O meu Rui ja leu dois que estão em Portugal.

E so agora dei conta que foi este mesmo livro que foi “censurado” no início de 2017. continuo sem perceber porquê. Eu nao achei mal nenhum. Apesar de nao estar habituada a dizer nem a ouvir dizer asneiras na minha infancia e adolescência, eu sabia perfeitamente que elas existiam. A minha mãe arranjava sempre trocadilhos quando queria “aliviar-se” sem querer que nos percebêssemos. Por isso não percebo o porquê de tanta polemica a volta do livro, ainda por cima era para alunos do 3o ciclo.

Eu gostei mesmo muito da escrita de Valter Hugo Mae. Simples e cativante.

About Matilde Ferreira

Killing Eve

Imagem retirada da internet

Já há muito tempo que não via uma serie de rajada. Fiquei completamente agarrada ao era com Killing Eve. Sandra Oh fez muito bem em ter saído da Grey’s Anatomy. Em boa hora. Cada episódio é uma caixinha de surpresas com a vila de serviço, Villanelle, fabulosamente interpretada pela actriz Jodie Comer

Estas fan-arts estao tao giras 🙂

Colagem feita por mim com imagens retiradas da internet

Killing Eve é uma série de televisão britânica de gênero dramática produzida pela Sid Gentle Films para a BBC America. Baseia-se na série de romances Codename Villanelle, de Luke Jennings, e desenvolvida para a televisão por Phoebe Waller-Bridge.

Podem ver esta serie no BBC Player.

Imagem retirada da internet

Venha a temporada 2 pois estou mais que pronta. 🙂

Ja ouviram falar desta serie?

About Matilde Ferreira

3 Mulheres

Imagens retiradas da internet

3 grandes mulheres que muito contribuíram para a igualdade de gênero e para a Liberdade de expressão no nosso pais. Natalia Correia, Vera Lagoa (pseudônimo de Maria Armanda Falcão) e Snu Abecassis. Estou fascinada com as historias destas 3 mulheres que tanto deram ao nosso país. Era muito pequena quando soube da morte da Snu. 40 anos. Tão nova. Tenho apenas quase mais 2 anos do que ela. A historia dela e de Sá Carneiro foi tao bonita. A propósito quero muito ver o filme sobre os dois. Ela conseguiu divorciar-se mas infelizmente ele não. Mas nem assim o Amor deles esmoreceu. Snu podia aparentar ser uma mulher frágil mas o que mais admiro nela, é que por detrás dessa fragilidade aparente, ela demonstrava uma determinação muito forte.

De Natalia Correia recordo a presença forte, quando a via na tv em miúda, e lembro de ouvir o meu pai dizer que nao gostava dela… agora pensado bem era o irmão dele, o meu tio-padrinho, retornado de Angola.

Quanto a Vera Lagoa, só me recordo que o jornal Diabo era proibido, pôs 25 de Abril, nos anos 80, la em casa com muita pena minha pois quando ia ao quiosque da terra ficava sempre com curiosidade de o ler…

Maria João Bastos, Soraia Chaves e Victoria Guerra, nos papeis de Maria Augusta Falcão, Natalia Correia e Snu Abecassis, respectivamente, sao as actrizes que interpretam estas extraordinárias 3 Mulheres.

3 mulheres com as quais me identifico pois tambem gosto de dar a minha opiniao de forma liberal e democrática. Gosto de escrever sem lápis azul e sem censuras. E adoro ler. Não me imagino numa época em que não pudesse escolher as minhas leituras tal com a minha mãe que guardava religiosamente livros dito ‘proibidos’ debaixo do colchão. Que alivio que ela sentiu quando o 25 de Abril aconteceu. Quantas vezes a ouvi argumentar com o meu pai que não tinha saudades nenhumas do tempo do Salazar.

“3 Mulheres” é uma série de ficção que, a partir das biografias e da intervenção cultural e cívica da poetisa Natália Correia, da editora Snu Abecassis e da jornalista Vera Lagoa (pseudónimo de Maria Armanda Falcão), recorda os últimos anos do Estado Novo – 1961 e 1973 – do início da Guerra colonial à véspera da Revolução de Abril. A ação e os percursos cruzados de mulheres como Snu, Natália e Maria Armanda, são um exemplo de coragem e compromisso com os tempos futuros.

Natália Correia foi uma irreverente escritora que esteve envolvida em grandes polémicas. Exemplo disso foi o lançamento da obra “Antologia Erótica e Satírica”, que a levou a ser condenada pela justiça. Maria Armanda Falcão foi a primeira locutora da RTP, jornalista, cronista e, mais tarde, enveredou pelo ramo empresário. Snu Abecassis era considerada uma princesa nórdica pela sua beleza e sempre defendeu que as pessoas deveriam ter a oportunidade de aprendizagem.

Podem ver esta serie na RTP1.

Ja conheciam?

About Matilde Ferreira

Conversas às Quartas com Ana Rita Correia| “Tudo O Que Eu Sempre Quis” Review

 

Foto da minha autoria – livro da Ana Rita Correia “Tudo o que eu sempre quis”

Conhecem aquele sentimento de quando estamos a ler um livro e não queremos termina-lo porque estamos a ter muito carinho pelas personagens? Pois foi mesmo isso que me aconteceu ao ler o livro da Ana Rita Correia. Tudo o que sempre quis é uma lufada de ar fresco que conta a historia de 5 jovens: Salvador, Lucas, Helena, Sara e Martim. O meu personagem preferido é mesmo o primeiro pela sua coragem ao encarar as situações…

A autora: Ana Rita Correia

“Ana Rita Correia nasceu no coração do Ribatejo, Santarém, a 13 de maio de 1993. Aos 14 anos descobriu que a leitura lhe proporcionava um escape para uma dimensão diferente, fazendo-a esquecer o que a rodeava. Fã incondicional de Nicholas Sparks, depressa decidiu que queria contar historias. Queria escrever livros. Dez anos depois os cadernos de capa preta com as pequenas historias que escrevia,  deram lugar a livros impressos. Continua a mesma leitora compulsiva, sobretudo para escapar ao stress do dia-a-dia da sua profissão como designer de interiores e exteriores. ” retirado do livro da Rita “Tudo o que sempre quis”

Imagem da minha autoria

1- Para acompanhar esta conversa… chá de…?

Não sou fã de chá mas opto por qualquer saber fora do normal. Talvez morango ?

2- Bolo ou biscoitos? 

Ambos, é uma escolha difícil ehehe

3- Como surgiu a ideia de escrever este livro?

A ideia surgiu assim do nada, depois de já ter largado um outro livro a meio. Ao início era para ser apenas uma pequena história e nunca pensei que chegasse onde chegou. Dava por mim a querer completá-la um pouco mais a cada página que escrevia. Achava que as personagens tinham muito para contar.

4- Onde foste buscar inspiração?

Inspirei-me nas pessoas que passaram pela minha vida, nas que partiram e nas que ficaram. A história em si é ficção mas as personagens são baseadas em pessoas reais, tal como os locais. Para quem já leu, a Sra Dª Rosário é uma versão de uma senhora nazarena que me é muito querida que eu chamo de avó. A pizzaria onde o Martim trabalha é uma versão melhorada do Mr Pizza da Nazaré. O avô dos irmãos (Salvador, Lucas e Helena) faleceu da mesma forma que o meu avô… A essência da história é ficção, mas tem pequenos pormenores tão meus que só quem me conhece bem dá por eles. As personagens são ficção, mas têm sempre algo em comum com as pessoas que cruzaram a minha vida. De certa forma sinto que este livro os está a homenagear, a imortalizar. Daí ser tão especial para mim, não só por ser o primeiro.

5- Qual ou quais é/são a/s tua/s personagens preferidas?

Adoro todos mas sem dúvida que o Lucas é o meu preferido, apesar de não ter explorado muito a sua história, é uma personagem que nos dá esperança. A mim dá. E faz-me acreditar que tudo é possível.

6- Para quando um próximo livro?

Se tudo correr bem, Abril do próximo ano.

7- Como te imaginas daqui a 10 anos?

Parece clichê mas imagino-me com a minha própria família e uns quantos livros escritos, algumas viagens feitas e feliz pela pessoa que espero vir a tornar-me junto das pessoas que mais amo.

8- O que mais gostas de fazer nos teus tempos livres? 

Para além do óbvio (escrever) adoro ler. Ouvir música, fotografar, pintar, conhecer locais e pessoas novas…

9- O que é ser blogger para ti?

Para mim ser blogger é partilhar um pouco de mim com as pessoas que me acompanham e que por vezes tanto carinho me dão mesmo de tão longe.

10- O que gostarias de dizer aos teus seguidores e leitores? 

Nunca desistam dos vossos sonhos. Pode nem sempre ser fácil – nunca é. – Pode nem sempre se calhar valer a pena mas arrisquem, experimentem, não tenham arrependimentos por não terem tentado. Valem mais arrependerem-se por terem tentado e não ter resultado. Vivam a vossa vida, esqueçam o ruído de fundo e sejam felizes à vossa maneira, a fazer aquilo que mais prazer vos dá. Vivam, sorriam e sejam felizes, todos os dias.

Obrigada, querida Rita por teres aceite o convite para esta agradável conversa 🙂 Desejo-te muito sucesso e jamais deixes de sonhar com historias tão bonitas como esta 🙂

Se ainda não leram o livro da Rita, recomendo que o façam pois é uma leitura leve e ao mesmo tempo intensa que vos fazer fazer ficar a pensar… e se fosse eu? 😉 Aproveitem agora o Natal para oferecer um presente a vocês mesmo, e ja agora a outra pessoa especial 😉

 

About Matilde Ferreira

Doctor Strange

Foto da minha autoria

It’s a kind of magic… 🙂

Open your mind! Depois do ter ficado rendida ao Black Panther, descobri um novo super-herói interpretado por um dos meus actores preferidos Benedict Cumberbatch.

Este heroi não podia ter sido interpretado por outro actor. Parece que foi mesmo feito para ele. Assenta-lhe que nem uma luva. Benedict revela um verdadeiro talento em todas as personagens que representa. O filme está excelente, sem defeitos a apresentar, desde os efeitos secundários ate às actrizes secundarias, Rachel McAdams e e Tilda Swinton, quem não se lembra da Rainha das Neves? 😉 Esta ultima também esta como peixe na agua como The Ancient One.

Mesmo que não gostem de filmes de super-heróis, acreditem que este vale a pena ver, quanto mais anos seja pela mensagem de vida que transmite 😉

Bom domingo*

About Matilde Ferreira