Gianni Versace

Trabalhei com roupas deste famoso estilista no meu primeiro emprego no ano anterior ao da sua morte. E logo fiquei fascinada com o seu vestuário e acessórios. Acabei de ver o filme documentário que retrata a sua morte e o seu assassino, um serial-killer a sangue frio que percorreu a America inteira com a obsessão de matar o estilista. Versace morreu um mês e meio antes da Princesa Diana e o mundo ficou em choque. 1997 foi um ano horrendus. Foi também o ano em que perdi a minha madrinha para a leucemia.

Sempre foi dos meus estilistas preferidos, ainda tenho, em Portugal,  duas pecitas de roupa básica dele 🙂 Adoro a medusa 🙂 Gosto muito do perfume The Dreamer que ja vos falei aqui.

O filme documentário conta  as participações especiais de Penelope Cruz no papel da irmã do estilista, Donatella Versace e de Ricky Martin no de namorado do estilista.

Fiquei desiludida com o final do filme pois estava tão ansiosa para ver retratado o fim do rapaz e eis que resolvem terminar de outra forma… :'(

Deixo-vos com a historia deste “monstro” retirada da Wikipedia:

Antes dos assassinatos, Cunanan era um garoto de programa bem-educado e inteligente que atendia ricos clientes do sexo masculino ele também esteve envolvido em pequenos furtos e tráfico de drogas. O primeiro assassinato conhecido foi o de seu amigo Jeffrey Trail, um ex-oficial naval da Marinha dos Estados Unidos, ex-vendedor de propano e gerente de empresas, possivelmente um ex-amante, em 25 de abril de 1997, em Minneapolis. A próxima vítima foi o arquiteto David Madson, que foi encontrado na costa leste de Rush City perto do Lake Rush, Minnesota, em 29 de abril de 1997, com ferimentos de bala na cabeça, Madson era um ex-namorado de Cunanan. A polícia encontrou uma conexão, porque o corpo de Trail foi encontrado no sótão de um apartamento que pertencia a Madson em Minneapolis. Imprevisível, Cunanan foi a Chicago, onde matou o milionário Lee Miglin, de 72 anos, poucos dias depois. Miglin teve seu rosto embrulhado com fita adesiva. Depois, foi golpeado com tesouras e teve sua garganta cortada com uma serra de jardinagem. Trata-se de um crime sádico visando à excitação sexual, motivo clássico dos assassinos em série. Cinco dias depois, Cunanan, que pegou o carro Miglin, encontrou a quarta vítima em Pennsville, Nova Jersey, no ponto do Finn’s National Cemetery, matando o coveiro William Reese de 45 anos em 9 de maio de 1997. Após este assassinato, houve o primeiro contato de uma testemunha, o que fez o FBI o acrescentar na sua lista dos dez mais procurados. O matador fugiu com o caminhão de Reese e seguiu para Nova York. De lá ele se escondeu em Miami Beach, Flórida, por dois meses até seu próximo assassinato. Ele usou até mesmo seu próprio nome para penhorar um item roubado, mesmo sabendo que a polícia rotineiramente verifica registros de casas de penhores sobre mercadorias roubadas. Finalmente, Cunanan assassinou o famoso estilista italiano Gianni Versace que vestia algumas das pessoas mais famosas do mundo, como a princesa Diana e a popstar Madonna, em 15 de julho de 1997 em um dos mais famosos assassinatos do século XX. Versace foi assassinado em plena luz do dia, na frente de sua casa, naquilo que parece ter sido um assassinato planejado cuidadosamente. O estilista italiano Gianni Versace, de 50 anos, foi atingido com dois tiros fatais na nuca à queima-roupa na porta de sua mansão em South Beach. Versace, natural de Reggio Calabria (sul da Itália), foi baleado quando voltava para casa depois de ter comprado o jornal e tomado café no famoso News Café, que fica a uns 500 metros de sua casa. Há quem diga que Cunanan assassinou o estilista italiano porque representava o homem famoso, rico e popular que ele gostaria de ser. Mas o mistério continua. Ninguém sabe ao certo as razões que o levaram a matar Gianni Versace. Oito dias após o assassinato de Versace, em 23 de julho de 1997, a policia montou um cerco que durou mais de quatro horas à uma luxuosa mansão ancorada num canal em Miami Beach. Sob o olhar de mais de 100 policiais, entre eles equipes da SWAT com escudos e armamento pesado, agentes do FBI tentaram sem sucesso, com megafones, iniciar negociações com Andrew Cunanan só depois de uma saraivada de bombas de gás lacrimogêneo, a polícia se atreveu a invadir o lugar. Cunanan foi encontrado esticado numa cama, ele matou-se com um tiro na boca no quarto andar, onde estava escondido. Ele foi alvo de “uma das maiores caçadas humanas da história”, segundo disse em Washington a procuradora-geral, Janet Reno. A arma usada por Cunanan nos assassinatos e mesmo no seu suicídio foi uma pistola semi-automática Taurus PT 100, calibre .40 S&W que pertenceu a Jeff Trail. Na época dos crimes, havia muita especulação da imprensa e do público que os motivos de Cunanan eram que ele tinha sido diagnosticado com HIV positivo, no entanto, uma autópsia revelou que ele não possuía o vírus. A polícia vasculhou a casa flutuante onde Cunanan morreu a fim de encontrar as causas de sua matança. No entanto, Cunanan deixou para trás poucos pertences pessoais, os investigadores se surpreenderam, dada a sua reputação de aquisição de dinheiro e posses caras vindas de homens ricos mais velhos. A polícia não considerou nada muito importante para ser registrado, exceto muitos tubos de creme de hidrocortisona e uma coleção bastante extensa de livros de C. S. Lewis.

Como é que possível existirem pessoas como este rapaz? Ele vivia numa realidade à parte… O objetivo dele era ser o Gianni Versace e para isso tinha como obsessão matá-lo.  Eu só me pergunto, onde estão os pais desta gente? 🙁 Como é possível criarem estes monstros?…

 

About Matilde Ferreira

Cresci a ver o melhor :D

Para alem de fazer anos no mesmo dia que eu, o Verdadeiro Artista e uma das pessoas que mais admiro na vida. Falo claro, de Herman Jose  🙂 Não tenho palavras para descrever o que sinto pelo Herman. Ele faz parte da minha infância.

Como eu gostava de cantar isto, eu tinha 6 anos e corria o ano de 1983:

Adoro a tua luz, a tua cor, o teu sinal

Mas o que mais adoro em ti é o Tal Canal

Adoro a tua voz, a tua escrita, a tua oral

Mas o que mais adoro em ti é o Tal Canal

Adoro o teu olhar, teu gaguejar, teu ar fatal

Mas o que mais adoro em ti é o Tal Canal

Adoro a tua grelha, a tua taxa, o teu jornal

Mas o que mais adoro em ti é o Tal Canal

O tal canal (o tal canal)

O tal canal (o tal canal)

O tal o tal o tal o tal o tal canal

Adoro o teu andar, teu ondular sinusoidal

Mas o que mais adoro em ti é o Tal Canal

Adoro os teus botões e etcetera e tal

Mas o que mais adoro em ti é o Tal Canal

Adoro assim ligar-te e desligar-te no final

Mas o que mais adoro em ti é o Tal Canal

Adoro e em geral dá-me a impressão que faço mal

Mas posso lá passar sem ti, sem O TAL CANAL!

Maximiana, José Esteves, Serafim Saudade, Toni Silva, Nelito, Diácono Remédios, e mais recentemente, Nelo, personagens que ficaram para a historia ainda hoje fazem sucesso. Caramba, é incrível, como ainda hoje rio tanto com estas personagens. Se quero divertir-me ponho videos do Herman no Youtube, ou então vejo os instastories dele. Ando viciada na #bxafestivaleira  um dos bonecos criados pelo Herman no Instagram 🙂

Programas como o Tal Canal, Humor de Perdição, Casino Royal, Hermanias, e mais tarde Herman Enciclopédia fizeram da nossa geração mais alegre e feliz.

Dos momentos mais épicos da tv portuguesa 😀 O ultimo episodio da Roda da Sorte 🙂 Eu e o meu pai não perdíamos um episódio. 😀

E o Markl pareceu que adivinhou o meu TOP 5 do Grande Artista:

5- A Última Ceia

4- As aventuras de Lésse

3- Melga Shop – Manjedoura Injectável

2- Laurodermio – Não Pirilamparás…

1- Pai Natal vs Menino Jesus

Na minha opinião, o Não Pirilamparás ficava em primeiro 😀

E ca em casa adoramos bailarico:

Ai rapariga, rapariga, rapariga
Que só dizes disparates, disparates, disparates
É tanta asneira, tanta asneira, tanta asneira
Que p’ra tirar tanta asneira não chegam cem alicates.

Mas tu não sabes, tu não sabes, tu não sabes
Que isso de dar um beijinho já é um costume antigo
Ai quem te disse, quem te disse, quem te disse
Que lá por dares um beijinho tinhas de casar comigo.

Oh chega cá…
Não vou.
Tu és tão linda…
Pois sou.
Dá-me um beijinho…
Não dou…

És tão boa, és tão boa
És tão boa, és tão boa
És tão boa, és tão boa
És tão boa, és tão boa

Teus olhos são pecado
Teu rosto enfeitiçado
De tanto e aveludado
brilho

Sorriso de arlequim
Com dentes de marfim
Deus fez-te boa assim
Comó milho

O teu sabor a mel
O cheiro dessa pele
Causa inevitável

Amanhã faço dieta

Amanhã faço dieta

Hoje é que não me apetece

Para mim fazer dieta  
É uma treta, é uma seca  
É pior do que parece

Amanhã faço dieta

Morra a massa, fora o pão  
Viva a água, abaixo o vinho

Amanhã faço dieta  

Hoje ainda é que não

Porque me sinto fraquinho

Pequeno almoço
quer-se bem ajuizado

Leite magro desnatado
 uma tosta muito fina

Com um chá verde
tipo meio medicinal  
Com uma fatia frugal

de uma fruta pequenina

Mas na altura  
de atacar a refeição  

Surge uma indisposição
Instala-se uma tremura

Já que um bolo
está mesmo ali à mão  
Devora-se um pedação  

Que o açúcar é que cura

Amanhã faço dieta

Amanhã faço dieta

Hoje é que não me apetece

Para mim fazer dieta  

É uma treta, é uma seca  
É pior do que parece

Amanhã faço dieta
Morra a massa, fora o pão  

Viva a água, abaixo o vinho

Amanhã faço dieta  
Hoje ainda é que não
Porque me sinto fraquinho

Para o almoço  
aconselha-se a salada  
Ligeiramente temperada
Com 3 pingos de limão
 uma coxa
de galinha sem gordura  
Venha seca triste dura  
Como uma migalha de pão

Mas na altura  
de atacar a iguaria  
Toca na telefonia
Um cantor napolitano
 sua honra  
põe-se a cozer uma massa
Devora-se numa taça  
Com um queijo italiano

Amanhã faço dieta
Amanhã faço dieta
Hoje é que não me apetece

Para mim fazer dieta  
É uma treta, é uma seca  
É pior do que parece

Amanhã faço dieta  
Morra a massa, fora o pão  

Viva a água, abaixo o vinho

Amanhã faço dieta  
Hoje ainda é que não
Porque me sinto fraquinho

Chega o jantar  
decisão está tomada

Uma sopa deslavada
Feita de água mineral

Com meia couve
Um puré requintado
Um tomate enlatado  

De uma marca nacional

Mas num repente
Vem-nos à mente a lembrança

  Que dormir-se com a pança
Vazia é perigoso

Come-se um bife
Frita-se uma batata
Embrulha-se tudo em nata  

Para que fique mais guloso

Amanhã faço dieta
Amanhã faço dieta

Hoje é que não me apetece

Para mim fazer dieta  

É uma treta, é uma seca  
É pior do que parece

Amanhã faço dieta  

Morra a massa, fora o pão  

Viva a água, abaixo o vinho

Amanhã faço dieta

Hoje ainda é que não  

Porque me sinto fraquinho

Amanhã faço dieta

Amanhã faço dieta

Hoje é que não me apetece

Para mim fazer dieta

É uma treta, é uma seca

É pior do que parece

Amanhã faço dieta  

Morra a massa, fora o pão

Viva a água, abaixo o vinho

Amanhã faço dieta

Hoje ainda é que não

Porque me sinto fraquinho

Amanhã faço dieta  

Hoje ainda é que não

Porque me sinto fraquinho

Amanhã faço dieta  

Hoje ainda é que não

Porque me sinto fraquiiiiiiiiiiinhooooo

Heróica e lusitana gente vamos em frente mas combictamente…

Va lá cambada infantes desportistas, homens de conquistas
Povo que és o meu
Bola redonda e onze jogadores em frente
Sem temores que as tácticas dou eu
Tragam as gaitas, as bandeiras e a pomada
Vamos dar-lhes uma abada, ensinar-lhes o que é bom
Vamos mostrar a esses carafunchosos
Por momentos gloriosos
Quem é a nossa selecção

Bamos lá cambada, todos à molhada que isto é futebol total
Deixem-se de tretas, força nas canetas que o maior é PORTUGAL

Acorda a espreguiçar-se e a pensar não fazer nada,
Compõe a brilhantina, veste a calça afunilada.
Mergulha como o Sol na grande balda nacional
O super-homem português em Portugal.
Atira c**primentos aos ardinas desportivos
E sente inchar o peito quando há jogos positivos,
Depois toma de a**alto um autocarro matinal,
O super-homem português sensacional!

Eu sou o super-homem, o maior da minha rua.
E faço dez segundos do Rossio até à Lua.
Um super, super-homem a**im tão super há só um.
Um super, super-homem português e mais nenhum.

No aperto do metro não resiste e bem ligeiro
Apalpa na menina à sua frente que é traseiro!
Leva c’a mal na testa p’ra que não se porte mal,
O super-homem português do sopeiral.

À hora do almoço faz das tripas coração,
Num pastel de bacalhau e num triste carrascão.
E conta uma anedota ao parceiro habitual,
O super-homem português de Carnaval.
Refrão

Ao Domingo faz de conta que é cowboy de matiné,
Que é rei de qualquer coisa ao balcão de um estaminé,
Apanha uma perua de tremoço e de imperial,
O super-homem português dominical.

a**im se faz a vida deste herói do nosso tempo
Usando o dia-a-dia no seu próprio contra-tempo
Está sentado na geral do manicómio nacional,
O super-homem português de Portugal.

“Há uma excelente razão para se estar na rede social o Instagram… O Herman seria uma vedeta mundial se tivesse nascido numa parte do mundo mais, digamos assim, exposta. Que sorte tivemos nós em que ele tivesse aqui nascido.”

Não hei-de morrer sem ver um espetáculo do Verdadeiro Artista 🙂

E voces, gostam do Herman Jose e dos trabalhos dele? Que recordações têm dele?

 

About Matilde Ferreira

Corria o ano de 1994…

Fotografia de grupo da turma 11o D em Bordeus

Ha 23 anos, mais precisamente na noite do meu aniversario, 19 de Março, eu e a minha turma do 11o ano iniciávamos a viagem das nossas vidas por essa Europa fora, rumo a Alemanha do Leste, durante 15 dias de autocarro! Sim, leram bem,de autocarro, a comer em Mcdonalds 😀 Resolvi escrever este post no decorrer dos últimos acontecimentos estúpidos dos alunos portugueses em Espanha… acreditem que por todos sítios por onde nos passamos nao houve razoes de queixa, e dizem as mas línguas que éramos considerados a pior turma da escola, diziam eles que nunca fizeram nada para terem uma oportunidade como a nossa, pois mexemos mundos e fundos para concretizar esta viagem, inclusive tivemos uma preciosa ajuda financeira da Salvador Caetano.

Vejam se descobrem a Tily? 😀 Sou a primeira a contar da direita 😛

Saimos da nossa santa terrinha precisamente a meia noite do dia do meu aniversario, chegamos de madrugada a Espanha, e de manhãzinha estávamos a passar o Santiago Barnabeu em Madrid, continuamos rumo aos Pirenéus, e chegamos a Bordeaux ja de noite onde pernoitamos, fomos jantar a uma feira popular. Na manha seguinte rumamos a Paris onde também ja chegamos ao final da tarde, e ja nao podemos visitar o Louvre por ja se encontrar encerrado, porque antes de entrar em Paris fomos ao Palácio de Versalhes, o mesmo ja estava fechado mas aproveitamos para tirar fotos nos jardins, lembro-me que estava mesmo muito frio. Acreditem, ver a Torre Eiffel pela primeira vez foi uma emoção muito grande. Jantamos no McDonald’s das Galerias do Centre Pompideu onde eu dei uma trinca num bigmac que me deixou tao enjoada que ainda hoje nao consigo comer o raio do hamburguer… (a estúpida da professora armou-se em parva comigo e disse que se eu nao comesse aquilo, ia para a cama de barriga vazia…gente triste, nao acham?). No dia seguinte fomos conhecer a cidade, subimos ate ao Sacre Coeur, passando pelas Galerias LaFayette e passamos por artistas de rua, uns estavam a fazer retratos outros mímica… ate a nossa “querida” professora Margarida, sim a mesma da cena do hambúrguer, quis pousar com um deles… vejam so a figurinha 😛 A noite o jantar foi pizza 🙂 para compensar dos hambúrgueres 😛 No dia seguinte rumamos ate a zona “proibida” do Moulin Rouge que fica bem próximo de um dos meus locais preferidos, o cemitério Pere La Chaise onde esta sepultado, o grande Jim Morrison (para quem nao leu a biografia dele, que irei falar aqui em breve, recomendo No One Here Gets Out Alive) entre outros. Depois do almoço, fomos dar uma voltinha pelo Sena de bateau-mouche, lembro-me que fazia mesmo muito vento, e de termos ficado muito admirados por termos visto um casalinho gay  a dar um beijinhos por baixo de umas das pontes… ao inicio ainda pensamos que era um rapaz e uma rapariga mas depois constatamos o óbvio 😀

Estatua da Liberdade

Curiosidade: Sabiam que esta e a verdadeira e original estátua da Liberdade? A de Nova Iorque foi oferecida pelos franceses aos EU após a 2a Guerra Mundial,como podem ver aqui.

Saímos da cidade ja de noite, contornando o Arco do Triunfo, com as lágrimas nos olhos ao dizer adeus a cidades das luzes.

Seguimos viagem, rumo a Belgica onde vivemos momentos muito divertidos no hotel onde ficamos, quer dizer os meus colegas viveram pois estava tao cansada da viagem que adormeci mal cai a cama. Em Bruxelas ficamos encantados com a Grand-Place e nao descansamos enquanto nao descobrimos o menino a fazer xixi 😀 A noite fomos visitar a nossa antiga professora de Historia, Maria dos Anjos que estava a viver com o marido, que era deputado no parlamento europeu, na cidade… como eles viviam num condomínio fechado, lembro-me perfeitamente dela nos pedir para nao fazermos barulho… e claro que nos obedecemos mas e muito difícil uma turma de 30 alunos conseguir ser discreta 😛

Rumamos a cidade de Colonia, primeira estadia da Alemanha! E adivinhem onde comemos mal chegamos? Acertaram, no McDonald’s 😀 Por incrível que pareça  comi um hambúrguer de bacalhau delicioso 🙂  Eu adorei Colónia, so tive de pena de estar muita coisa em obras mas ficou a vontade imensa de querer regressar a esta bela cidade alema 🙂 Lembro-me que foi la que comprei o perfume original com o mesmo nome da cidade, kolnisch wasser 4711,  para a minha madrinha, pois ela tinha-me pedido muito, e aproveitei comprei uma miniatura para mim.

De Colónia rumamos a cidade que nos iria acolher durante 4 dias, demoramos um dia a atravessar a Alemanha de uma ponta a outra, e chegamos a Werdau ja de noite onde fomos muito bem recebidos. Foram 4 dias muito intensos e cheios de aventuras; o pai da minha alema era engenheiro civil e tinha acabado de chegar de Nova Iorque nessa mesma noite. Falava um ingles fluentissimo. A mae da minha alema arranhava no ingles, dizia ela que era com ajuda dos filmes sem legendas e sem dobragens ( na Alemanha e como em França, e tudo dobrado e nao ha legendas), notei que a queda do muro ainda estava muito recente, apesar de terem ja terem passado 5 anos, esta parte da Alemanha foi a que mais sofreu com a divisao… os nossos jantares eram muito simples, sandes de pao escuro e fruta mas acreditem que nao passei fome enquanto la estive. Eles sabiam dar o valor. Tenho pena de ter perdido o contacto com eles. No meu ultimo dia, encheram-me de presentes e deram-me um urso de peluche muito fofo para o meu irmão mais novo. Deixaram-me mesmo de coração cheio. Ah nestes 4 dias visitamos Dresden, uma cidade quase na fronteira com a Polónia por onde passaram muitos judeus para Auschwitz. Ah nestes 4 dias tambem a nossa alimentação melhorou bastante uma vez que nao vimos fast food 😛 Ah e verdade, informação extremamente importantíssima, foi na na escola dos nossos amigos alemães que aqui a Tily deu uma passa num cigarro pela primeirissima vez! Hehe 🙂

Retomando a viagem, desta feita de regresso, rumamos ao sul da Alemanha, com destino a capital da Baviera, Munique, nao fomos ao centro, com muita pena nossa pois segundo as professoras o tempo ja estava apertado… desculpas! Fomos a aldeia olimpica nos arredores onde visitamos a sede da BMW, cujo concessionário português era o nosso padrinho da viagem, Salvador Caetano. Nos adoramos, parecia que estávamos num filme de ficção cientifica, tudo muito branquinho e cheio de tecnologia… ah e grandes maquinas! Ah nos entretantos ainda aproveitamos para dar uma voltinha rapida nas imediações onde foram “desviados” uns cachecóis de vários clubes europeus 😛 (e nao, eu nao tive lata para trazer nenhum, com muita pena dos meus manos).

Atravessamos a Suiça durante a noite, em direcção a uma das minha cidades preferidas, Lyon (voltei la em 2008 desta feita em trabalho sendo a minha primeira viagem de aviao… um dia conto-vos tudo) Em Lyon voltamos ao fast food… e nao vao acreditar mas as senhoras professoras deixaram-nos a nossa mercê e foram jantar a um sitio caro, ja viram a responsabilidade? E podia ter dado para o torto se nao fossem os rapazes… um grupo de argelianos tentaram encurralar-nos a porta do mac mas os rapazes fizeram-lhes frente e felizmente deixaram-nos ir a nossa vida. Nao vao acreditar mas vi mais da cidade quando fui sozinha do que da primeira vez.

No dia seguinte rumamos a toda a velocidade para Espanha, atravessamos os Pirenéus sob uma tempestade de neve, acreditem, metia medo, mas tudo foi possível graças aos estes dois senhores, os nossos queridos motoristas, que eram mesmo muito divertidos. Fomos a Andorra, apesar da nossa vontade ser Barcelona, mas as nossas queridas professoras tinham outras ideias em mente que so soubemos vimos a policia da alfandega a mandar parar o autocarro com caes, valeu-nos o sangue frio de alguns colegas nossos que conversaram com os policias que se foram embora logo de seguida ao verem que éramos so um grupo de alunos inocentes. mas ainda bem que eles nao revistaram o autocarro pois se nao tinham encontrado as comprinhas que as nossas professoras tinham feito na cidade.

Atravessamos mais uma vez Espanha a todo o gas e chegamos a Portugal com um dia de antecedência e a minha mae tina a minha espera um delicioso bacalhau com natas que eu lhe tinha pedido no dia anterior ao telefone.

O nosso autocarro a entrada do cemiterio Pere-LaChaise, a nossa “casa” durante 15 dias

A viagem foi inesquecível mas o regresso a casa foi do melhor 🙂

Em Maio foi a vez dos alemães irem visitar-nos, ao contrario de nos, eles foram de avião, foi uma semana cheia de aventuras, com muitas festas, passeios pela cidade do Porto, visitamos as caves da Taylor’s, mostramos-lhes os nossos monumentos, as chaves da Igreja de S. Francisco na Ribeira, foram divididas, uma foi parar ao fundo do rio, outra foi para casa de uma colega nossa e a terceira foi para a Alemanha, e o nosso Douro, claro! 🙂 houve quem fumasse uns charros na “cozinha” dos chassos a cair de podre das camionetas da antiga Auto-Viação de Grijo 😀

Na hora da despedida…

Esta foto foi tirada pelos alemães quando se preparavam para regressar a Alemanha…

Aeroporto Francisco Sa Carneiro em 1994

Desde ja peço desculpas por ter poucas fotos, alias estas nem sao minhas mas sim de antigos colegas meus que publicaram num grupo do facebook sobre a viagem. Naquele tempo as maquinas digitais ainda eram um raridade, salvo erro. Eu levei maquina de rolo e andava sempre a contar quantas fotos ainda tinha disponíveis para tirar. Infelizmente as minhas fotografias foram destruídas pelas minhas primas mais novas… 🙁 Como veem a minha rica família e cheia de ovelhas negras… mas nao vale a pena falar de coisas tristes como veem a minha memoria esta bem recheada de recordações.

Ainda nao sai da Europa mas ate agora estes foram os locais onde ja estive, e voces ja viajaram muito? 😉 Viajar faz bem a alma 🙂


 

 

 

 

 

About Matilde Ferreira

It’s tea o’clock, darling*

 

358th Anniversary of Tea in the UK

Como vocês sabem, adoro chá, inclusive ja vos falei aqui e o Google hoje acertou na mouche com o doodle do dia, como forma de comemorar o 358th anniversary of Tea in the UK.tumblr_m3h0udltmj1r9waleo1_500

Sabiam que o famoso chá das cinco, five o’clock tea, foi introduzido por uma rainha portuguesa? Dona Catarina de Bragança, que veio a casar com o rei Charles II que estava no exilio.

Eu adoro esta parte da Historia de Portugal, tenho muito orgulho nesta rainha 🙂

Originário da China, o chá foi introduzido na Europa pelos portugueses no século XVI. Um dos hábitos mais tipicamente britânicos, o “chá das cinco”, foi introduzido na corte inglesa por Catarina de Bragança, princesa portuguesa, filha de D. João IV, quando esta casou com Carlos III de Inglaterra. O dote de Catarina deve ter sido um dos mais exóticos e sumptuosos da História: 500 mil libras de ouro, o livre comércio de Inglaterra com as possessões portuguesas na Ásia, em África e nas Américas, a cidade de Bombaim e uma caixa de chá… O dote de Catarina foi determinante para o futuro imperial da Inglaterra e o chá iria mudar para sempre a vida dos seus súbditos, tornando-se um elemento indissociável da sua personalidade e da sua maneira de ser. Ao ritual do “chá das cinco” estão associados os tradicionais scones e a marmalade, esta última também introduzida por Catarina de Bragança. 

(Texto retirado de: http://ospalmoemeio.blogspot.co.uk/2011/06/five-oclock-tea-nao-foi-as-cinco-foi-um.html)

Podem tambem ficar a saber mais sobre a historia do cha aqui: https://www.tea.co.uk/tea-a-brief-history

Os ingleses adoram beber o chá com leite, pois muitos bebem sem açúcar, inclusive ha chás que se bebem com leite, outros com mel, dependendo sempre do sabor do chá.

Eu nao consigo beber chá com leite, mas e uma questão de habito 😉

tumblr_ly7qacq3qf1qcb0rdo1_500

 

E nesta altura do ano sabe ainda melhor uma chávena de chá para aquecermos, nao acham?tumblr_mz6596kooa1qc414eo1_500

Ha por aqui amantes de cha? Se sim qual e o vosso preferido? 😉

lackofteameme

 

About Matilde Ferreira

International Women’s Day| Dia Internacional da Mulher

E porque este deveria ser celebrado todos os dias, assim como o dia do homem, porque nao somos nada uns sem os outros 🙂

Happy International Women’s Day! #OneDayIWill #GoogleDoodle

12495247_810796019051769_9065536503911861652_n

giphy (29)pixlr_20160308074731373

“No Dia 8 de Março de 1857, operárias de uma fábrica de tecidos, situada na cidade norte americana de Nova Iorque, fizeram uma grande greve. Ocuparam a fábrica e começaram a reivindicar melhores condições de trabalho, tais como, redução na carga diária de trabalho para dez horas (as fábricas exigiam 16 horas de trabalho diário), equiparação de salários com os homens (as mulheres chegavam a receber até um terço do salário de um homem, para executar o mesmo tipo de trabalho) e tratamento digno dentro do ambiente de trabalho.

A manifestação foi reprimida com total violência. As mulheres foram trancadas dentro da fábrica, que foi incendiada. Aproximadamente 130 tecelãs morreram carbonizadas, num ato totalmente desumano.

Porém, somente no ano de 1910, durante uma conferência na Dinamarca, ficou decidido que o 8 de março passaria a ser o “Dia Internacional da Mulher”, em homenagem as mulheres que morreram na fábrica em 1857. Mas somente no ano de 1975, através de um decreto, a data foi oficializada pela ONU (Organização das Nações Unidas).”12799284_1347261615299318_8922136242378312166_n

Sejam felizes!

About Matilde Ferreira