D.I.E.T.A.

Este post da Teresa deixou-me a pensar, pois tal como ela também eu tenho um ovario deficitário devido à minha doença, como ja tenho falado por aqui. Eu tenho um ovário doente, o direito, enquanto o esquerdo está muito subido foi por essa razão que tive de fazer tratamentos de fertilidade, uma vez que por vias naturais era muito difícil mesmo… Também sofri muito co pílulas. Hoje não tomo nenhuma, tenho aparelho e aguardo que o meu organismos se adapte a ele… Às vezes tenho vontade de tirar o sistema reprodutor mas nem todas somos Angelinas Jolie… Se o temos é para regularizar as nossas hormonal e a nossa saude mental feminina. Cabe-nos a nos saber ouvir e controlar o nosso organismo. Eu consegui, como uma alimentação equilibrada e exercício fisico moderado.

D- deve

I- incluir

E- equilibradamente

T- todos os 

A- alimentos

Fiquem com este programa que ando a ver no Youtube que me levou a constatar o que ja penso ha muito tempo: o meio termo e o equilíbrio são definitivamente a melhor escolha.

Sabiam que nos EUA ja se fazem caixões XXXL e ja ha pessoas a morrerem aos 45 anos por complicações ligadas à obesidade? Aqui no Reino Unido estão a ir pelo mesmo caminho… A situação é muito preocupante. 🙁

E voces, fazem uma alimentação equilibrada ou nem por isso?

 

About Matilde Ferreira

Uma pergunta…

…no passado sábado, dia 1 de Dezembro, lembrou-se o Dia Mundial contra a SIDA, e na rádio fizeram esta pergunta: eram capazes de abraçar uma pessoa com o vírus da SIDA ou um seropositivo? A minha reposta imediata foi: SIM! Como se eu tivesse voltado atras no tempo, aos anos de 1991, ano da morte de Freddie Mercury, e 1992, ano da estreia do filme Philadelphia… Custa-me a acreditar que nossos dias ainda existam pessoa incapazes de o fazer 🙁

Freddie Mercury faleceu a 24 de Novembro de 1991, um dia depois do aniversario da minha madrinha que era uma fã incondicional dele. 🙁 E uma semana depois, a 1 de Dezembro “lembra-se” o dia da luta contra a SIDA… ele ha coincidências.

Imagem da minha autoria

Deixo-vos com um pequeno extracto do livro The Life, Death and Legacy of Freddie Mercury – Somebody To Love onde podem ler pormenores dos últimos dias do cantor e também como o vírus apareceu no inicio do século passado… 🙁

Novembro de 1991. Londres, 10 de domingo. O clima na capital é tipicamente sombrio. (…) Incapaz de andar sem assistência e com a visão começando a falhar, ele é cuidadosamente levado pelos degraus da aeronave. (…) Pouco mais de uma hora depois, o carro o deixa em sua mansão Kensington, os portões eletrônicos de segurança o fecham para o mundo lá fora.
E o mundo para ele. (…)
(…) Ele passa seu tempo em seu quarto. (…)
(…) Mas os visitantes são menos agora. (…) O gotejamento à direita da cama – ali para permitir transfusões de sangue – trai a doença que agora habita esta casa. (…)
O homem que mora aqui seria irreconhecível agora para a maioria de nós, mas quase todos nós conhecemos sua identidade. (…) E ele é um prisioneiro dentro das paredes de sua casa. (…)
(…) Razão principal, sendo que ele tem AIDS. A esperança de uma cura, uma meia crença em tratamentos que poderiam prolongar a vida, foi para ele. Os médicos especialistas recuaram – eles não têm mais nada a oferecer. (…)
(…) Não há espaço reservado para a esperança, (…) Seu sistema imunológico está tão comprometido que torna o corpo efetivamente desamparado contra a ameaça de infecção. (…)
(…) As drogas que ele tomou nos últimos três anos, um coquetel experimental e, finalmente, letal, pouco fizeram para adiar o inevitável. (…)
(…) A esperança de um milagre não aconteceu. (…) Assim terminou a sua vida. E como sua morte começou.

 

Acerca do virus da SIDA…

 

Tudo tem um começo.
Nosso começo é no Congo Belga, no coração da África. O ano é 1908 e o país está tentando se reconstruir após o regime brutal do rei Leopoldo II. (…)
(…) O nosso caçador vive nas profundezas da selva congolesa como parte do pequeno grupo étnico Banthu (…) Os dentes do chimpanzé afundam na sua mão esquerda (…) Ele examina a mão ferida. (…)
(…) Desconhecido, o chimpanzé que ele caçou e matou está portando um vírus. (…) O vírus imediatamente começa a se replicar de forma agressiva. (…)
(…) Depois de três dias no rio, nosso caçador chega a Leopoldville. (…) As carcaças que ele transportou, incluindo o chimpazee que o mordeu, são cortadas para serem vendidas, cozidas ou fumadas. (…)
(…) Neste ou em visitas subseqüentes, o caçador passará o vírus para iniciar sua velocidade em toda a humanidade. A transmissão do vírus do chimpanzé para o caçador foi provavelmente a única vez em que essa única linhagem do HIV atravessou a fronteira da espécie, do chimpanzé ao humano, e depois se estabeleceu com sucesso para se tornar a pandemia que ainda enfrentamos hoje. (…)

 

Tinham conhecimento desta historia?

O que fariam nesta situação?

Nota: Ainda não vi o filme Bohemian Rhapsody pois estou a espera que saia na Apple TV para o ver com o mini Freddie ca de casa que ja é viciado nas musicas da banda e nos trailers do filme. Depois contar com o nosso review 😉

About Matilde Ferreira

Em pleno século XXI…

…como é que possível isto ainda acontecer?

Esta situação aconteceu ha umas semanas atras. Um homem foi muito inconveniente, malcriado e estupido para uma senhora de idade num voo da companhia Ryanair. Ate quando isto vai continua a acontecer? É a pergunta que faço vezes sem conta…

Nem de propósito, na mesma semana em que isto acontece, a BBC transmite um  episódio de Doctor Who em que fala num episódio, que ficou na Historia, sobre uma situação verídica que aconteceu ha muitos anos atras com Rosa Parks .

Por recusar dar o seu lugar a um homem branco, Rosa, deu inicio, então, na altura o movimento de direitos civis por parte da comunidade negra nos EUA, em 1955.

Deixo-vos com um anuncio português  que ja tem alguns anos mas que continua com uma mensagem muito actual.

Put racism in the right place.

 

 

About Matilde Ferreira

Fake News

Fake news, fake news, fake news… tudo é fake! Vivemos numa era em que ja nao sabemos em que acreditar. Eu dou graças por ter bom senso e pensar por cabeça própria. Não é facil hoje em dia ser assim. E quando nao consigo argumentar perante tanta ignorância, prefiro ficar em silencio e ignorar essas pessoas. Porque o silencio é mesmo a maior resposta.

Esta capa chamou-me a atenção por estar tão actual e tão bem executada. A mentira, infelizmente, tem mais poder do que o que deveria ter.  Como é que possível as coisas terem chegado a este ponto?

Imagem retirada do Google +

E isto e isto são o que fazem as fake news…desculpem mas não gosto de extremismos nem de radicalismos. Antes de falarem, pensem, procurem saber se é Verdade. Sigam o conselho do Papa Francisco e não alimentem fofocas nem coscuvilhices.

Tenham um boa semana!!

About Matilde Ferreira

Conversas às Quartas com Ana Rita Correia| “Tudo O Que Eu Sempre Quis” Review

 

Foto da minha autoria – livro da Ana Rita Correia “Tudo o que eu sempre quis”

Conhecem aquele sentimento de quando estamos a ler um livro e não queremos termina-lo porque estamos a ter muito carinho pelas personagens? Pois foi mesmo isso que me aconteceu ao ler o livro da Ana Rita Correia. Tudo o que sempre quis é uma lufada de ar fresco que conta a historia de 5 jovens: Salvador, Lucas, Helena, Sara e Martim. O meu personagem preferido é mesmo o primeiro pela sua coragem ao encarar as situações…

A autora: Ana Rita Correia

“Ana Rita Correia nasceu no coração do Ribatejo, Santarém, a 13 de maio de 1993. Aos 14 anos descobriu que a leitura lhe proporcionava um escape para uma dimensão diferente, fazendo-a esquecer o que a rodeava. Fã incondicional de Nicholas Sparks, depressa decidiu que queria contar historias. Queria escrever livros. Dez anos depois os cadernos de capa preta com as pequenas historias que escrevia,  deram lugar a livros impressos. Continua a mesma leitora compulsiva, sobretudo para escapar ao stress do dia-a-dia da sua profissão como designer de interiores e exteriores. ” retirado do livro da Rita “Tudo o que sempre quis”

Imagem da minha autoria

1- Para acompanhar esta conversa… chá de…?

Não sou fã de chá mas opto por qualquer saber fora do normal. Talvez morango ?

2- Bolo ou biscoitos? 

Ambos, é uma escolha difícil ehehe

3- Como surgiu a ideia de escrever este livro?

A ideia surgiu assim do nada, depois de já ter largado um outro livro a meio. Ao início era para ser apenas uma pequena história e nunca pensei que chegasse onde chegou. Dava por mim a querer completá-la um pouco mais a cada página que escrevia. Achava que as personagens tinham muito para contar.

4- Onde foste buscar inspiração?

Inspirei-me nas pessoas que passaram pela minha vida, nas que partiram e nas que ficaram. A história em si é ficção mas as personagens são baseadas em pessoas reais, tal como os locais. Para quem já leu, a Sra Dª Rosário é uma versão de uma senhora nazarena que me é muito querida que eu chamo de avó. A pizzaria onde o Martim trabalha é uma versão melhorada do Mr Pizza da Nazaré. O avô dos irmãos (Salvador, Lucas e Helena) faleceu da mesma forma que o meu avô… A essência da história é ficção, mas tem pequenos pormenores tão meus que só quem me conhece bem dá por eles. As personagens são ficção, mas têm sempre algo em comum com as pessoas que cruzaram a minha vida. De certa forma sinto que este livro os está a homenagear, a imortalizar. Daí ser tão especial para mim, não só por ser o primeiro.

5- Qual ou quais é/são a/s tua/s personagens preferidas?

Adoro todos mas sem dúvida que o Lucas é o meu preferido, apesar de não ter explorado muito a sua história, é uma personagem que nos dá esperança. A mim dá. E faz-me acreditar que tudo é possível.

6- Para quando um próximo livro?

Se tudo correr bem, Abril do próximo ano.

7- Como te imaginas daqui a 10 anos?

Parece clichê mas imagino-me com a minha própria família e uns quantos livros escritos, algumas viagens feitas e feliz pela pessoa que espero vir a tornar-me junto das pessoas que mais amo.

8- O que mais gostas de fazer nos teus tempos livres? 

Para além do óbvio (escrever) adoro ler. Ouvir música, fotografar, pintar, conhecer locais e pessoas novas…

9- O que é ser blogger para ti?

Para mim ser blogger é partilhar um pouco de mim com as pessoas que me acompanham e que por vezes tanto carinho me dão mesmo de tão longe.

10- O que gostarias de dizer aos teus seguidores e leitores? 

Nunca desistam dos vossos sonhos. Pode nem sempre ser fácil – nunca é. – Pode nem sempre se calhar valer a pena mas arrisquem, experimentem, não tenham arrependimentos por não terem tentado. Valem mais arrependerem-se por terem tentado e não ter resultado. Vivam a vossa vida, esqueçam o ruído de fundo e sejam felizes à vossa maneira, a fazer aquilo que mais prazer vos dá. Vivam, sorriam e sejam felizes, todos os dias.

Obrigada, querida Rita por teres aceite o convite para esta agradável conversa 🙂 Desejo-te muito sucesso e jamais deixes de sonhar com historias tão bonitas como esta 🙂

Se ainda não leram o livro da Rita, recomendo que o façam pois é uma leitura leve e ao mesmo tempo intensa que vos fazer fazer ficar a pensar… e se fosse eu? 😉 Aproveitem agora o Natal para oferecer um presente a vocês mesmo, e ja agora a outra pessoa especial 😉

 

About Matilde Ferreira