Restaurante Cais 20

Ola a todos,

Ora hoje e a minha vez de escrever aqui no Cantinho acerca das nossas recentes Ferias na Ilha de São Miguel, nos Açores, mais concretamente sob a forma de um review a um dos restaurantes que visitamos durante a nossa estadia, o Restaurante Cais 20 este restaurante era especialmente conveniente para nos, por ficava perto do sitio onde ficamos alojados, mas acima de tudo surpreendeu pelo atendimento e pela qualidade da comida.

Outro aspecto positivo foi o facto de o restaurante ter uma pequena area para as crianças brincarem, o que permitiu que o Louis convivesse um bocadinho com crianças da mesma idade, muito bem pensado da parte do restaurante. Outro aspecto muito positivo era a vista do restaurante que tem uma enorme janela com vista para o mar … simplesmente espetacular !

Gostamos tanto que la fomos 2 vezes 🙂

Entre as coisas que provamos gostávamos de destacar, as Lapas grelhadas, o arroz de tamboril,  o polvo grelhado, e os bifinhos de vitela (o Lu adorou), tudo usando produtos locais que nos deixam tantas saudades ! Ah e não esquecer a morcela com ananás, uma combinação estranha para nos mas que se revelou excelente!

Apenas de tudo, tenho um reparo a fazer, que não e culpa do restaurante em si, mas que acaba por afectar a nossa experiencia como clientes, como e muito movimentado o Restaurante e muito barulhento … mas tirando isso adoramos e voltávamos de novo de certeza.

Bem, espero tenham gostado e fica aqui a nossa recomendação, ah e se la forem não se esqueçam de provar as Lapas … dos Açores claro 😉

About Rui Moreira

As nossas ferias nos Açores

Mar e Serra – Açores

Um sonho tornado realidade. Passados 15 anos de espera fomos ao Paraíso no meio do Atlantico. Gostava de dizer ao Sr Nunes, um antigo colega de trabalho, que todos os anos ia com a esposa para as ilhas,  que ele tinha razão. Durante uma semana respirei  ar puro e fomos ainda mais felizes. Recomendo a toda a gente que precise de parar. 🙂 Não precisam de ir à India para fazer um retiro, acreditem. Foi preciso ter vizinhos açorianos no andar de cima da nossa casa anterior para conseguirmos ir aos Açores. E superou as expectativas. Viemos de coração cheio e alma leve com a promessa de voltar. 🙂

Ao fim de quase dois anos, fez-me bem voltar a andar de avião, uma coisa que adoro fazer 🙂

Por onde começar? S.Miguel e a sua capital, Ponta Delgada, têm muitas coisas para ver que preenchem uma semana. Numa semana apanhamos de tudo. Aqui o Anticiclone sente-se mesmo,  temos as 4 estações do ano num dia só e mais uma extra. Mesmo assim,  ainda conseguimos ir varias vezes à praia. O Lu adorou brincar na areia preta. Primeiro estranhou, depois entranhou, e ate comeu areia hehe. 😀 Coisas de criança 🙂 Como criança feliz que é, adorou, esteve nas suas 7 quintas e interagiu tanto.

Lagoas das Sete Cidades

Primeira paragem: Lagoa das Sete Cidades. Como não podia deixar de ser. Conseguem imaginar a minha cara quando vi esta vista? 🙂 Não conseguia acreditar, pois so conhecia estas paisagens dos livros e da tv. Nao apetecia sair dali. Que maravilha de lugar 🙂 Por toda a ilha se respira ar puro, da para ver pelo ar de felicidade das vaquinhas. 🙂 Ah ao final do dia ainda fomos ate a nossa prainha, perto do Rosto do Cão,  bem perto da nossa casa onde ficamos alojados, pertencente à Azores Villas, que recomendamos pelo serviço 5 estrelas. Ja tenho saudades das conversas deliciosas com a nossa Noelia. De fácil acesso, muito confortável, sentido-nos como se estivéssemos em casa. Imaginem que fiz sopa para o Lu pois tinha varinha magica, e ainda consegui dar um jeito a duas peças de roupa minha com o ferro de engomar que havia na casa.

Nossa Praia 🙂

Casamatas da Praia de Santa Barbara

No segundo dia, segunda-feira, depois de termos almoçado um bom repasto em casa, fomos ate à praia de Santa Barbara, pois o dia estava convidativo, onde aproveitamos para conhecer as Casamatas. Foi aqui que o Lu adorou brincar na areia.

 

Lagoa do Fogo

Na terceira paragem, dia do nosso aniversario de namoro, fomos até à Lagoa do Fogo, onde estava uma ventania que quase nos levava junto com ela,  e  depois descemos ate às famosas Furnas, e o seu tão característico cheiro a enxofre… apesar deste pequeno senão, adoramos a paisagem, ainda podemos ir visitar um sitio muito especial e romântico: a Capela da Nossa Senhora das Vitorias mandada construir em homenagem a uma senhora que estava muito doente pelo seu marido. Quanto ao famosos cozido das Furnas vai ter de ficar para o ano pois o tempo não estava de feição…

Na quarta-feira, quarta paragem, depois de termos comido um rico manjar no Restaurante Atlantico Grill , rumamos ate à muito conhecida Ermida da Nossa Senhora da Paz  onde eu e o Lu apanhamos uma molha monumental… meio das escadarias 😀 Que rico banhoca! Não sei como conseguimos descer as escadas no meio de tanta agua! Hehe 😀 Com isto tivemos de voltar para casa e com muita pena minha tivemos de deixar o Parque Terra Nostra para o ano também… So motivos para voltar ao Paraiso.

Quinta-feira, quinta paragem, fomos almoçar ao Restaurante da Associação Agricola, onde nos regalamos com o melhor bife da região, e à tarde fomos conhecer a única plantação de chá existente na Europa. Para uma tea lover como eu fiquei deslumbrada. Aproveitamos para ir ate ao Miradouro da Bela Vista onde desfrutamos da vista de cortar a respiração. E ainda tivemos tempo para ir passear pela Portas da Cidade.

Portas da Cidade

Na sexta-feira, foi hora de carregar os últimos cartuchos com um arroz de tamboril no Cais 20 e aproveitar os ultimos momentos na nossa prainha.

No ultimo dia sábado, fomos almoçar a casa dos pais do nosso amigo e vizinho que aproveitaram para nos levar ao aeroporto que fica a 5 minutos de casa deles.

Para este post não ficar muito longo, vou deixar os reviews dos 3 Restaurantes e da plantação de chá para mais 4 posts.

Para o ano ha mais 🙂

Ja foram aos Açores?

About Matilde Ferreira

Onde é que vocês estavam…

Fotografias da Revista Time deste mês

…há 17 anos atras no dia 11 de Setembro? E estava a entrar ao serviço num dos meu primeiros empregos, como caixa no Modelo Bonjour na Av. da Republica em V.N. de Gaia. Lembro-me de chegar na altura em que o segundo avião embatia numa das torres e os meus colegas dizerem que era repetição… fui trabalhar normalmente mas em choque. Passei o resto do dia desligada do mundo a fazer o meu trabalho. Só mais tarde quando cheguei a casa é que cai em mim e vi que o pesadelo era real. Não tinha acesso a internet e talvez por isso mesmo o assunto não se tornou tão viral no nosso pais.

Na minha humilde opinião, conspirações à parte, esta tragédia foi executada internamente… só não vê, quem não quer…

Se ainda nao viram este documentário, recomendo que o vejam…

Deixo-vos com esta musica dedicada a todos aqueles que perderam a vida há 17 anos atras…

and I wished for so long…
I cannot stay
All the precious moments…
Cannot stay
It’s not like wings have fallen…
I cannot say
Without you something is missing…
I cannot say
Holding hands of daughters and sons
In their phase they’re falling down
Down, down, down

I have wished for so long…
How I wish for you again

Will I walk the long road?
I cannot stay
There’s no need to say goodbye

Oh, the friends and family…
All the memories going round
Round, round round…

I have wished for so long…
How I wished for you today
And the wind keeps rollin’
And the sky keeps turning grey
And the sun is set
The sun will rise another day

I have wished for so long…
How I wish for you today

I have wished for so long…
How I wish for you today
Will I walk the long road?
We all walk the long road

About Matilde Ferreira

Um Filme… para ver de novo

A Raiz do Medo, ou no titulo original Primal Fear, que conta com a participação principal de Richard Gere e tem como banda sonora, a musica Canção do Mar, original de Amalia Rodrigues, cantada por Dulce Pontes.

Vi este filme em 2011, um pouco tarde pois este é do ano de 1996. Mas valeu a pena, pois gostei mesmo muito do filme, da sua mensagem e de todo o suspense existente do princípio ao fim dele. Richard Gere representa como um peixe na água.

Em Chicago, a morte de um arcebispo a facadas choca o público, atraindo a atenção da mídia local. Um advogado oportunista em busca de fama se oferece para defender o principal suspeito do crime, um adolescente pobre com problemas mentais.

Uma curiosidade: segundo me lembro de ouvir dizer, a musica foi escolhida pelo próprio Richard Gere que adora fado e tem uma profunda admiração por Dulce Pontes.

Fiquem com o som do filme 😉

Fui bailar no meu batel
Além do mar cruel
E o mar bramindo
Diz que eu fui roubar
A luz sem par
Do teu olhar tão lindo
Vem saber se o mar terá razão
Vem cá ver bailar meu coração
Se eu bailar no meu batel
Nao vou ao mar cruel
E nem lhe digo aonde eu fui cantar
Sorrir, bailar, viver, sonhar contigo
Vem saber se o mar terá razão
Vem cá ver bailar meu coração
Se eu bailar no meu batel
Nao vou ao mar cruel
E nem lhe digo aonde eu fui cantar
Sorrir, bailar, viver, sonhar contigo
Ja viram este filme? Lembram-se desta musica? 🙂

About Matilde Ferreira

Desafio Gratidão| Semana 33: O Amor Próprio

Imagem retirada do Google

Foi preciso cair numa Depressao profunda para aprender a gostar de mim…

Se eu nao gostar de mim, quem gostará

Esta frase ouvia-se numa anuncio de um leite no inicio do novo milênio. E ouvi-la vezes sem conta, ajudou-me muito. Sempre fui muito bichinho do buraco como dizia a minha mãe. Desde miúda que sempre gostei de ficar no meu canto, no meu quarto, no meu mundo a ler um livro ou a inventar as minhas historias. Sempre fui muito envergonhada, introvertida, dizia para mim mesma que não gostava de mim. Usava roupas largas para disfarçar a minha magreza…  Mas cresci, sofri e aprendi. Aprendi a respeitar-me a gostar de mim. Foi preciso cair no fundo para aprender. Foi preciso ficar doente e fechar-me em casa durante quase um ano para dar valor à Vida.

Imagem retirada do Google

Apesar de tudo, em criança era tudo muito mais fácil e eu tenho muito boas recordações da minha infância. Nunca tive pressa de crescer. Sempre soube esperar. Sempre tive calma e paciência. O meu primeiro beijo foi aos 18 anos. O meu primeiro namorado foi aos 19. E ainda fui muito a tempo. De tudo. Diverti-me, fiz asneiras, poucas, mas sempre com bom senso. Tudo aconteceu na altura certa. 🙂 Ate que conheci aquele que me faz bem desde o inicio, me deu ainda mais razoes para eu gostar ainda mais de mim  e passados 10 anos me deu aquele que é a  pessoa mais importante das nossas vidas.

Imagem da minha autoria

Yes, Tina I’m simply the best 😀 Hehe

Amem-se muito 🙂

About Matilde Ferreira