Um Filme… para ver de novo

A Raiz do Medo, ou no titulo original Primal Fear, que conta com a participação principal de Richard Gere e tem como banda sonora, a musica Canção do Mar, original de Amalia Rodrigues, cantada por Dulce Pontes.

Vi este filme em 2011, um pouco tarde pois este é do ano de 1996. Mas valeu a pena, pois gostei mesmo muito do filme, da sua mensagem e de todo o suspense existente do princípio ao fim dele. Richard Gere representa como um peixe na água.

Em Chicago, a morte de um arcebispo a facadas choca o público, atraindo a atenção da mídia local. Um advogado oportunista em busca de fama se oferece para defender o principal suspeito do crime, um adolescente pobre com problemas mentais.

Uma curiosidade: segundo me lembro de ouvir dizer, a musica foi escolhida pelo próprio Richard Gere que adora fado e tem uma profunda admiração por Dulce Pontes.

Fiquem com o som do filme 😉

Fui bailar no meu batel
Além do mar cruel
E o mar bramindo
Diz que eu fui roubar
A luz sem par
Do teu olhar tão lindo
Vem saber se o mar terá razão
Vem cá ver bailar meu coração
Se eu bailar no meu batel
Nao vou ao mar cruel
E nem lhe digo aonde eu fui cantar
Sorrir, bailar, viver, sonhar contigo
Vem saber se o mar terá razão
Vem cá ver bailar meu coração
Se eu bailar no meu batel
Nao vou ao mar cruel
E nem lhe digo aonde eu fui cantar
Sorrir, bailar, viver, sonhar contigo
Ja viram este filme? Lembram-se desta musica? 🙂

About Matilde Ferreira

Desafio Gratidão| Semana 33: O Amor Próprio

Imagem retirada do Google

Foi preciso cair numa Depressao profunda para aprender a gostar de mim…

Se eu nao gostar de mim, quem gostará

Esta frase ouvia-se numa anuncio de um leite no inicio do novo milênio. E ouvi-la vezes sem conta, ajudou-me muito. Sempre fui muito bichinho do buraco como dizia a minha mãe. Desde miúda que sempre gostei de ficar no meu canto, no meu quarto, no meu mundo a ler um livro ou a inventar as minhas historias. Sempre fui muito envergonhada, introvertida, dizia para mim mesma que não gostava de mim. Usava roupas largas para disfarçar a minha magreza…  Mas cresci, sofri e aprendi. Aprendi a respeitar-me a gostar de mim. Foi preciso cair no fundo para aprender. Foi preciso ficar doente e fechar-me em casa durante quase um ano para dar valor à Vida.

Imagem retirada do Google

Apesar de tudo, em criança era tudo muito mais fácil e eu tenho muito boas recordações da minha infância. Nunca tive pressa de crescer. Sempre soube esperar. Sempre tive calma e paciência. O meu primeiro beijo foi aos 18 anos. O meu primeiro namorado foi aos 19. E ainda fui muito a tempo. De tudo. Diverti-me, fiz asneiras, poucas, mas sempre com bom senso. Tudo aconteceu na altura certa. 🙂 Ate que conheci aquele que me faz bem desde o inicio, me deu ainda mais razoes para eu gostar ainda mais de mim  e passados 10 anos me deu aquele que é a  pessoa mais importante das nossas vidas.

Imagem da minha autoria

Yes, Tina I’m simply the best 😀 Hehe

Amem-se muito 🙂

About Matilde Ferreira

E o melhor dia para…

…casar 🙂 É o 30 de Junho 🙂

Vou pedir ao Quim para mudar a letra pois o nosso dia é quando a gente quiser hehe 🙂

Pois é apesar de ja me sentir casada, eu e o Rui resolvemos por tudo no papel 😀 So por causa das coisas 😛 Este ano fazemos 13 anos de relacionamento, foi ha 13 anos que nos nos conhecemos, mas eu ainda lhe dei luta, foi preciso um Verão inteiro para nos conhecermos pessoalmente, sim conhecemos por estas bandas da internet, ainda nao existia facebook 😀 Somos mesmo da velha guarda 🙂 Ate que um dia, mais precisamente no dia 2 de Outubro de 2005 aceitei o pedido dele para namorar, junto ao Senhor da Pedra. E assim temo-nos aturado e amado muito com muita cumplicidade e… muita conversa. Ah pois, o segredo de uma relação esta na conversa. Lembro-me que os mais pais falavam muito um com o outro, quer dizer o meu pai desabafava e a minha mãe escutava-o mas ela quando falava também não se calava hehe 🙂

E pensar que eu não queria perder a amizade do Rui e no fim das contas mais do que meu companheiro ele é também o meu melhor amigo 🙂

E é incrível ha mais ou menos um ano atras, pensar que um casal nosso conhecido nos aconselhou a não casarmos e passados seis meses também casaram… é bom pensar que causamos boas influencias 😛 

E agora vou so ali dizer mais uma vez Sim 🙂

 

 

 

 

About Matilde Ferreira

Um filme sempre actual

O advogado Andrew trabalha num conceituado escritório de advocacia. Quando descobre que é portador do vírus HIV, é despedido sumariamente. Ele então contrata os serviços de outro advogado para processar a companhia.

Chorei ao ver este filme. Tom Hanks é o meu actor preferido e este filme explica porquê. este filme apareceu pouco depois da morte de Freddy Mercury que morreu vitima de Sida. 🙁 Freddy é para mim das melhores pessoas que passou pelo nosso planeta. Partiu cedo demais e faz tanta falta à Humanidade. Mas deixou-nos um Grande legado que não me canso de mostrar ao meu filho: a sua Musica. Sim, Musica com M grande… coisa rara hoje em dia.

Denzel Washington também esta excelente no papel de advogado de defesa da personagem de Hanks, que ganhou o seu primeiro Oscar com este filme, mas Denzel também merecia.

Deixo-vos com a musica do filme, interpretada por Bruce Springsteen, The Boss, que ainda hoje me deixa com a lagrimosa no canto do olho.

…Ain’t no angel gonna greet me
It’s just you and I my friend
And my clothes don’t fit me no more
A thousand miles just to slip this skin

The night has fallen, I’m lyin’ awake
I can feel myself fading away
So receive me brother with your faithless kiss
Or will we leave each other alone like this
On the streets of Philadelphia?…

Quem se lembra deste filme? Fiquei com vontade de o voltar a ver 🙂

About Matilde Ferreira

Musicas da Minha Infancia

Longe vão os tempos em que eu andava com um microfone ligado a um pequeno radio a pilhas pela casa dos meus avos a cantar estas musicas 🙂

Esta primeira era a minha preferida… xobe xobe balão xobe

Sobe, sobe, balão sobe
Vai pedir àquela estrela
Que me deixe lá viver e sonhar
Levo o meu amor comigo
Pois eu sei que encontrei
O lugar ideal para amar

Podes não saber cantar
Nem sequer assobiar
Com certeza que não vais desafinar
Em play-back, em play-back, em play-back
Só precisas de acertar
Não tem nada que enganar
E assim mesmo, sem cantar vais encantar
Em play-back, em play-back, em play-back
Põe o microfone à frente
Muito disfarçadamente
Vai sorrindo, que é pra gente
Lá presente
Não notar!
Em play-back tu és alguém
Mesmo afónico cantas bem
Em play-back
A fazer play-back
E viva o play-back
Hás-de sempre cantar
Em play-back, respirar pra quê?
Quem não sabe também não vê
Em play-back
A fazer play-back
E viva o play-back
Dá pra toda uma soirée
Podes não saber cantar
Nem sequer assobiar
Com certeza que não vais desafinar
Em play-back, em play back, em play-back
Só precisas de acertar
Não tem nada que enganar
E assim

Uma da manhã
Um toque, um brilho no olhar
Duas da manhã
Dois dedos de magia
Às duas por três
Quem sabe onde isto irá parar
Quatro da manhã caindo
Um luar de lua lindo
Uma gota a mais
E o chão ia fugindo
Uma da manhã ei bem bom
Duas da manhã bem bom
Já três da manhã ei bem bom
Quatro da manhã bem bom
Cinco da manhã ei bem bom
Já seis da manhã bem bom
Sete da manhã ei bem bom
Oito da manhã bem bom
Café da manhã pra dois
Sem saber o que virá depois bem bom…

E o Lu também ja vai pelo mesmo caminho, para ja ainda e só o “papa a papa, papa a papa” e também gosta que eu lhe A Machadinha e o Mahna Mahna dos Marretas hehe. 

E voces, que musicas guardam da vossa infância?

About Matilde Ferreira