Category Archives: TV

Foi para isto que se fez…

a internet e a televis√£o ūüôā

Confesso que n√£o costumo ver a programa√ß√£o da SIC mas gostei bastante da presta√ß√£o de Raul Meireles com a interpreta√ß√£o do grande Antonio Varia√ß√Ķes na estreia do programa Lip Sync Portugal com a apresenta√ß√£o da fant√°stica dupla Cesar Mour√£o e Jo√£o Manzarra.

Imagem retirada do site da SIC

Um homem do Norte, √† Porto, sem duvidas! ūüėÄ

O que mais gostei foi do espirito de humildade tao caracter√≠stico no ex-jogador. Como ele pr√≥prio disse, se ja o comparam ao Antonio Varia√ß√Ķes pelo visual, porque n√£o aproveitar e se divertir com isso? ūüėČ Adorei!

E depois desta presta√ß√£o fiquei com ainda mais vontade de ver o filme sobre a vida deste grande artista ūüôā

Quem viu? ūüėČ

About Matilde Ferreira

Gente assim…

https://tvi.iol.pt/vocenatv/rever/03-01-2019/voce-na-tv-3-de-janeiro-de-2019/5c2e0d690cf2a84eaefb70d2

A ver a partir da 1.02.23

…assusta-me e mete-me nojo.

“Discurso nacionalista √© muito marcado pelo √≥dio…” e viol√™ncia. Como √© que uma pessoa que n√£o viveu no tempo do Salazar pede para existir outro Salazar? Ser√° que esta pessoa n√£o estudou a mesma Historia que eu? Como √© que poss√≠vel? Para alem de eu ter estado atenta nas aulas de Historia, tive uma m√£e que odiou viver na √©poca salazarista. A minha parte preferida da Historia do nosso pa√≠s √©, sem duvida, o 25 de Abril. Por tudo de bom que nos trouxe, pela lufada de ar fresco. Por podermos falar sem medos. Escrever sem medos. Dar a nossa opini√£o, sem medos. Que o povo n√£o tenha sabido escolher bem os seus lideres, isso ja √© outra historia. O povo foi iludido. Estava deslumbrado com uma coisa chamada Liberdade que ha muito n√£o tinha. Compreens√≠vel. A√≠ culpa n√£o foi do povo mas sim dos pol√≠ticos corruptos que se aproveitaram dessa fragilidade das pessoas.

Uma das coisas que mais me chocou ditas por Manuel Machado foi este se mostrar indignado por ter sido condenado a 2 anos e meio de pris√£o por ter escrito um texto na internet… Uau! Ser√° que este senhor sabe que no tempo do Salazar, muitas pessoas pessoas foram condenadas, presas e torturadas por escreverem textos e livros s√≥ por darem a sua opini√£o?

A conclus√£o que eu tiro disto, mais uma vez, √© que infelizmente a ignor√Ęncia tem mais voz que a Educa√ß√£o. ūüôĀ

recriação da imagem da minha autoria


Comecemos pelo princ√≠pio: Alcindo Monteiro foi assassinado em Lisboa em 1995, morto ao pontap√© por um grupo de nazis reunidos naquela noite de 10 de junho (o ‚ÄúDia da Ra√ßa‚ÄĚ, como Cavaco ainda h√° poucos anos dizia) que sa√≠ram pelas ruas para ca√ßar pretos e os matar. Entre eles, encontrava-se um criminoso chamado M√°rio Machado, membro da Hammerskins, que cumpriu pena de pris√£o por discrimina√ß√£o racial, sequestro, coa√ß√£o agravada, posse ilegal de arma, ofensa √† integridade f√≠sica qualificada e tentativa de extors√£o e que, como prova do seu amor ao nazismo, tem tatuada no corpo uma cruz su√°stica. M√°rio Machado esteve preso v√°rios anos pelos seus crimes. Nunca se arrependeu. Mais: continua a defender exatamente as mesmas ideias, cuja concretiza√ß√£o √©, entre outras coisas, espancamentos como o que vitimou Alcindo Monteiro (e defender o mesmo rem√©dio para gays, ciganos e comunistas). Os assassinos de Alcindo Monteiro, note-se, foram identificados pelos cabelos que tinham nas botas.

Manuel Lu√≠s Goucha, que conduz um programa na TVI, apresentou M√°rio Machado como um entrevistado conhecido por ser ‚Äúautor de algumas afirma√ß√Ķes pol√©micas‚ÄĚ. Fraquinho. Devia ter apresentado o seu convidado como ‚Äúo espancador de pretos que defende o nazismo‚ÄĚ. Era mais rigoroso e, assim como assim, talvez lhe desse mais uns espectadores. Mas Goucha est√° no bom caminho: ter um nazi que bate em pretos no programa da manh√£ at√© √© divertido, porque n√≥s vivemos numa democracia e toda a gente tem direito a ter opini√£o. S√≥ √© pena que o Alcindo Monteiro n√£o possa ter dado a sua opini√£o no mesmo programa. √Č chato, mas n√£o dava para ‚Äúfazer o contraponto‚ÄĚ: √© que o Alcindo foi assassinado ao pontap√©, porque era preto. Mas pronto, isso agora pouco interessa e, assim como assim, o que √© facto √© que o Alcindo j√° c√° n√£o est√°, n√£o se fala mais nisso, venha o nazi e faz um sucesso. Foi pena que Goucha n√£o lhe tenha perguntado em direto o que sente quando espanca pretos e, j√° agora, que n√£o tenha perguntado a Machado se acha que os paneleiros devem ser assassinados ao pontap√©, assassinados √† estalada ou se teriam apenas de ser submetidos a tratamentos for√ßados para expulsarem de si a enfermidade e o v√≠cio de que padecem. Al√©m de, claro, estarem calados e quietos no seu arm√°rio. Que pena, querida dire√ß√£o da TVI, ter-se perdido uma oportunidade destas.

No mesmo programa, um suposto jornalista que se interessa muito pelo Machado ‚Äď mas que √© t√£o jornalista que pelos vistos nem sequer est√° registado na Comiss√£o da Carteira Profissional ‚Äď foi dizendo que ‚Äúalgumas partes do Salazar faziam falta‚ÄĚ e um rep√≥rter andou pela rua a fazer um inqu√©rito aos transeuntes em que se perguntava se estes achavam ‚Äúque precisamos de um novo Salazar‚ÄĚ. Coisa normal. A pergunta ali√°s podia ter sido espec√≠fica e detalhada: ‚Äúdefende a reabertura do campo de concentra√ß√£o do Tarrafal, criado pelo Salazar?‚ÄĚ ou ‚Äúacha que precisamos de uma nova lei que pro√≠ba os sindicatos livres, designadamente o sindicato dos jornalistas?‚ÄĚ. Ou, por exemplo, sei l√°, para uma pergunta mais aberta com v√°rias respostas poss√≠veis: ‚Äúacha que as pessoas que defendem ideologias democr√°ticas e um sistema de m√ļltiplos partidos deveriam ser submetidas √† tortura do sono, √† tortura da √°gua ou ao isolamento em celas sem janelas?‚ÄĚ. √Č importante conhecer o que pensam os portugueses e, vivendo n√≥s em democracia, devemos respeitar todas as opini√Ķes.

Aos que n√£o compreendem nada disto, antes de apontarem o dedo, pensem bem. Portugal vive um tempo de exce√ß√£o que exige medidas dr√°sticas: estamos em plena guerra de audi√™ncias nos programas da manh√£, a Cristina Ferreira foi para o outro canal e n√£o h√° tempo a perder. Para batalhas desta envergadura, a TVI sabe que todos devem ser mobilizados e todas as armas devem ser empenhadas. √ď gente da minha terra, que se lixe a democracia, o antirracismo, as elei√ß√Ķes livres e essas coisas todas do politicamente correto (que j√° n√£o h√° pachorra!) como os direitos humanos, o c√≥digo deontol√≥gico ou a √©tica profissional dos jornalistas, a Constitui√ß√£o mais os palha√ßos que a defendem. O mundo √© para os espertos. Venham os que arrebentam com os pretos, os que espancam os gays e os que querem as mulheres a levar na tromba e a estarem caladinhas, que √© assim que se defende a liberdade de express√£o, a inova√ß√£o televisiva e o aprofundamento de uma sociedade aberta.

Finalmente alguém torna a cruz suástica uma coisa banal. Obrigado, Goucha. Obrigado, TVI. Impecável.


E a melhor resposta para este tipo de gente est√° aqui:

Apesar de tudo Manuel Luis Goucha e Maria Cerqueira Gomes estiveram muito na condução da entrevista.

E vocês, o que acham sobre este assunto?

About Matilde Ferreira

Desafio Gratid√£o| Semana 41: A Tecnologia

Foto da minha autoria – Lu a falar ao telefone – Jan.2018

A tecnologia é um bem necessário que a maioria dos humanos nao sabe usar. Para tudo tem de haver um meio termo, como ja falei aqui e a tecnologia não é excepção. Para escrever este post eu preciso dela. Para o partilhar tambem. A tecnologia faz parte do ganha-pão do meu marido. Se formos razoáveis com tudo, nada pode falhar.

Sou da gera√ß√£o da caixinha magica. Passava a manha entretida a ver os meus desenhos animados preferidos. Cresci e aprendi muito com a tv. Mas tinha tempo para tudo. Para ler. Para brincar. Para ajudar a minha m√£e. E o meu filhote apesar de ser da gera√ß√£o touch-screen parece ser da nossa…temos o bom senso de esconder telem√≥veis e tablets para ele assim poder ficar entretido ou com a tv ou ¬†com os seus carrinhos, livros e legos.

Foto da minha autoria – Lu a ver uma das suas series preferidas – Agosto 2018

O que me entristece nos nossos dias √© ver pessoas a fazerem figurinhas tristes por estas bandas sem ter a m√≠nima no√ß√£o de como se utiliza a internet. Quando comecei a usa-la existiam regras b√°sicas de educa√ß√£o online… que se formos a ver s√£o as mesmas da vida real. Ha um c√≥digo de √©tica na internet, sabiam? Coisas simples como n√£o ligar o caps lock pois significa que estamos a gritar com a outra pessoa, entre outras coisas. Outra das coisas que me faz muita confus√£o √© que as pessoas por tr√°s do ecr√£ ou do teclado parece que se transformam e desligam o c√©rebro… escrevem sem pensar e sem l√≥gica nenhuma… e isto da-me uma vontade muito grande de chamar os meus amigos extraterrestres e ir embora daqui para fora com a minha fam√≠lia… E pronto, pe√ßo desculpas pois ja estou a divagar…

 

Fiquem com uma das primeiras vezes em que o Lu mexeu num teclado ūüôā Acho que ainda n√£o andava… s√≥ gatinhava ūüôā

 

Podem  acompanhar este desafio da Gratidão criado pela Liliana Silva do blog Silver Wing aqui .

Qual é valor que a tecnologia tem para vocês?

About Matilde Ferreira

Dentro…

Enquanto a maioria andava entretida com uma tal serie dos nuestros hermanos,¬†eu rendi-me ao produto nacional hehe ūüôā

Dentro conta varias historias de mulheres que vivem o seu dia-a-dia no interior de uma pris√£o.

“Pedro, um jovem rec√©m-licenciado em psicologia √© colocado como estagi√°rio num estabelecimento prisional feminino. A psic√≥loga-chefe, por incapacidade de acompanhar todos os casos, entrega-lhe alguns casos de reclusas que necessitam de apoio psicol√≥gico. Al√©m disso, Pedro, com a sua juventude, tem tamb√©m uma grande vontade de mudar e humanizar as condi√ß√Ķes da pris√£o e das reclusas. Pedro rapidamente conhece o n√ļcleo de reclusas que se tornam personagens centrais da s√©rie e acompanha os seus casos. Para al√©m disso, em cada epis√≥dio √© retratado um caso espec√≠fico relacionado com os v√°rios tipos de crimes habitualmente cometidos por mulheres e os seus contornos psicol√≥gicos. Pedro tem tamb√©m uma vida fora do estabelecimento, que √© posta em risco desde a sua entrada no mesmo.”

 

Quem se lembra de Vera Kolodzig da primeira novela da TVI, Jardins Proibidos? Sim, cresceu e tornou-se uma mulher muito bonita e talentosa.

Servi√ßo publico no seu melhor ūüôā

J√° viram esta serie? ūüôā

About Matilde Ferreira

Series que quero ver

Com Setembro chega tamb√©m a √©poca das series novas ou antigas. Mas eu este ano quero ver series novas aconchegada no sof√° enrolada numa manta ūüôā Haver√° coisa melhor? Tamb√©m gosto de ver na cama debaixo do edred√£o. ūüôā

Manifest conta com a participação de Josh Dallas que conheci como Prince Charming em Once Upon A Time.

“Manifest √© uma futura s√©rie de televis√£o americana dram√°tica programada para estrear em 24 de setembro de 2018 na NBC.

Manifest come√ßa “quando o voo 828 da Montego Air aterrou em seguran√ßa ap√≥s um voo turbulento mas rotineiro, a tripula√ß√£o e os passageiros ficaram aliviados. Contudo, no espa√ßo de poucas horas, o mundo tinha envelhecido cinco anos e os seus amigos, familiares e colegas, ap√≥s luto Perderam a esperan√ßa e seguiram em frente. Agora, diante do imposs√≠vel, todos recebem uma segunda chance, mas √† medida que suas novas realidades se tornam claras, um mist√©rio mais profundo se desdobra e alguns dos passageiros que retornaram logo percebem que podem ser por algo maior do que eles jamais imaginaram ser poss√≠vel”

Whiskey Cavalier tambem conta com a participação de um actor, Scott Foley, que gosto muito e que participou numa das minhas series preferidas que vai deixar saudades: Scandal.

“Whiskey Cavalier √© uma futura s√©rie de televis√£o dram√°tica americana programada para estrear durante a temporada de televis√£o de 2018-2019 na ABC.

Whisky Cavalier segue as “aventuras do agente do FBI Will Chase (codinome: Whiskey Cavalier) que, ap√≥s um rompimento emocional, √© designado para trabalhar com a agente da CIA Francesca” Frankie “Trowbridge (codinome: Fiery Tribune). Juntos, a equipe inter-ag√™ncias de espi√Ķes que periodicamente salvam o mundo (e uns aos outros) enquanto navegam pelas estradas rochosas de amizade, romance e pol√≠tica do escrit√≥rio.”

De Stephen King, o mestre do suspense, trago-vos n√£o uma mas duas series que estou com muita vontade de assistir: Mr Mercedes e Castle Rock

“Mr. Mercedes √© um romance policial do autor Stephen King, publicado em 03 de Junho de 2014 pela editora americana Scribner e lan√ßado em 2016 no Brasil pela editora Suma de Letras. √Č o primeiro livro da trilogia de Bill Hodges.

Ainda √© madrugada e, em uma falida cidade do Meio-Oeste, centenas de pessoas fazem fila em uma feira de empregos, desesperadas para conseguir trabalho. De repente, um √ļnico carro surge, avan√ßando para a multid√£o. O Mercedes atropela v√°rios inocentes, antes de recuar e fazer outra investida. Oito pessoas s√£o mortas e v√°rias ficam feridas. O assassino escapa. Meses depois, o detetive Bill Hodges ainda √© atormentado pelo fracasso na resolu√ß√£o do caso, e passa os dias em frente √† TV, contemplando a ideia de se matar. Ao receber uma carta de algu√©m que se autodenomina o Assassino do Mercedes, Hodges desperta da aposentadoria deprimida, decidido a encontrar o culpado. Mr. Mercedes narra uma guerra entre o bem e o mal, e o mergulho de Stephen King na mente obsessiva e psic√≥tica desse assassino √© t√£o arrepiante quanto inesquec√≠vel.”

“Castle Rock faz parte da topografia fict√≠cia de Stephen King no Maine e fornece o cen√°rio para v√°rios de seus romances, novelas e contos. Castle Rock apareceu pela primeira vez no romance The King Zone, de 1979, e reapareceu t√£o tarde quanto seu romance Doctor Sleep e o romance de 2014 Revival (veja a lista abaixo). O nome √© tirado do forte de montanha fict√≠cio de mesmo nome no romance de 1954 de William Golding, Lord of the Flies…

Em 1991, em Castle Rock, Maine, o xerife Alan Pangborn encontra a crian√ßa desaparecida Henry Deaver em p√© no meio do lago congelado da cidade. Em 2018, em seu √ļltimo dia como diretor da Penitenci√°ria do Estado de Shawshank, Dale Lacy comete suic√≠dio. Sua sucessora, Theresa Porter, planeja reabrir um bloco de c√©las h√° muito abandonado para que ela possa manter a popula√ß√£o carcer√°ria. Enquanto contava as camas, o guarda Dennis Zalewski encontra um garoto preso em uma gaiola subterr√Ęnea. O¬†mi√ļdo¬† ao ser libertado, sussurra o nome de Henry. Porter se recusa a envolver Henry, que agora √© um advogado da linha da morte, mas Zalewski o chama anonimamente. Depois de retornar a Castle Rock e se reconectar com Pangborn e sua m√£e sofredora de dem√™ncia Ruth, Henry tenta aprender mais sobre The Kid apenas para que Porter o obstrua. Zalewski, entretanto, descobre que The Kid escapou e matou v√°rios guardas. Em um flashback, √© revelado que o pai de Henry desapareceu na mesma √©poca que ele e foi encontrado morto. Em um segundo flashback, Lacy diz a The Kid para pedir Henry quando chegar a hora…”

 

Conhecem algumas destas series? ūüėČ Espero que gostem deste servi√ßo publico hehe ūüôā

Agora so resta saber onde as poderei ver…

Que series recomendam? ūüôā

 

 

About Matilde Ferreira