Category Archives: Escrita Criativa

Lágrimas de Coragem| Storyteller Dices d’As Gavetas

Ela parou o carro

em frente ao mar

Ele saiu mudo e calado…

Foi embora e deixou-a no carro a chorar…

Como pode ser tao insensivel

Depois de tudo o que ela fez por ele

Que mal fez ela?

Logo ela que sempre fez tudo por ele, pelos dois…

La fora a tempestade era forte,

Trovejava forte, o vento assobiava,

O tempo combinava com o estado

Da sua alma…

Tal como a chuva as suas lágrimas

Lavavam a sua alma…

Chora, menina, chora tudo o que tens para chorar

São essas lagrimas que te vao dar forças para

Seguir em frente

Olhou para a gaivota que pousou em frente ao carro,

E deixou-se inspirar pela sua liberdade.

E pensou:

Voa, menina, como uma gaivota voa nas asas do vento.

E a tempestade foi-se embora,

Dando lugar a um belo dia de sol.

E tal como a Natureza,

Ela seguiu em frente na sua caminhada da Vida,

Mais forte e segura de si.

Imagem da minha autoria

Este desafio foi criado pelo blog As Gavetas da Minha Casa Encantada.

About Matilde Ferreira

O coelho e a raposa 🐰🦊

Estes são os bonecos preferidos do Louis. Lembram-vos de alguma historia em especial? O Louis adora a raposa do Peter Rabbit, por isso escolheu estes dois peluches para serem os seus melhores amigos. Anda sempre com eles de um lado para o outro, seja para contar historias, “tomar chá”, hora da papa ou da naninha. 🙂

Imagem da minha autoria

Entretanto na floresta…

-Onde vais com tanta pressa?- perguntou a Raposa ao Coelho.

-Tenho de me despachar, não posso falar agora- respondeu Coelho.

-Posso te acompanhar? – perguntou novamente a Raposa.

-Não te ponhas com segundas intenções, raposinha – disse o Coelho, desconfiado- olha que eu sou muito rápido, para alem de estar sem paciência para as tuas “brincadeiras”.

-Tem calma, Coelho, eu só quero fazer amigos… Sabes que desde o tempo do Principezinho que me sinto muito sozinha… – disse a Raposa com um ar triste.

-Pois acredito, mas eu tenho imensa pressa pois não tarda nada começa a chover e eu tenho de levar cenouras para casa para alimentar os meus filhotes que devem estar cheio de fome.

-Eu ajudo-te. Assim como assim nao tenho nada para fazer.

-Está bem, mas tens de me prometer que te portas bem.

-Combinado.

O coelho corria muito rápido e a raposa tinha muita dificuldade em o acompanhar até que começou a chover torrencialmente e tiveram de parar.

-Assim nunca mais vou conseguir levar comida para os meus filhotes- disse o Coelho, muito triste.

-Calma, disse a Raposa- vais ver que quando a chuva parar o arco-iria vai-te mostrar o caminho.

E assim foi, depois de algum tempo a chuva deu lugar a um belo arco-íris que mostrou o caminho para uma pequena quinta onde havia uma pequena horta cheia de cenouras.

A Raposa ajudou o Coelho a colherem algumas cenouras sem serem vistos, e nova Minho para casa consolaram-se a comer duas grandes cenouras cada um.

Ao chegarem a casa do Coelho, este disse:

-Muito obrigada por me teres ajudado, Raposa, o que posso fazer te retribuir?

-Seres meu amigo basta-me.

Dito isto a Raposa virou costas e foi-se embora.

De repente o Coelho chamou-a e disse: -Gostava de te convidar para tomares um cha ca em casa e conheceres a minha familia.

A Raposa aceitou muito tímida, e foi assim que deram inicio a uma bela Amizade.

About Matilde Ferreira

Nas asas do vento…

Video da minha autoria

O silencio inunda a casa…

Enquanto o vento sopra la fora

Fazendo as folhas das arvores

Dançar a sua danca imaginaria…

Baila, Dança

nas asas do vento

Deixo-me levar

Nas asas do vento

Tal como o sol se deixa envolver

Nas asas do Vento…

Lá fora o vento brinca

De esconde-esconde com o sol

Fazendo girar tudo à sua volta

Danço e bailo

Deixando-me envolver nas asas do vento

Como as folhas das arvores

Que seguem a canção…

Da minha autoria

About Matilde Ferreira

Storyteller Dices d’As Gavetas| Um café pela manhã…

Imagem da minha autoria

Acordei com uma vontade enorme de escrever. Com o café ainda a fumegar na caneca, peguei no lápis e comecei. As palavras saiam naturalmente. Que sensação tao boa. escrever faz-me bem. A minha alma fica mais leve. Alivia-me.

-Vai tudo correr bem- disse ele- Alguém disse um dia: parem o mundo que eu quero descer! E hoje o mundo parou…

-Quando isto acabar apanhamos um avião… para abraçar a minha mãe e os meus irmãos… – fiquei em silêncio por uns instantes a pensar que a minha mãe ja não estava entre nós… faleceu na sexta-feira passada, sexta-feira santa. É incrivel a coincidência deste dia. A minha mãe não podia ter escolhido dia mais simbólico para nos deixar. Partiu em paz, esperou que nós lhe ligássemos como era habitual e passadas nem 2 horas o meu irmão estava a ligar-nos a dar a triste noticia…

As lagrimas corriam-me pela cara quando ele me deu veio dar um abraço apertado. Ficamos assim por uns instantes como se o mundo tivesse parado mesmo.

-É incrível como damos tudo como garantido e agora que o mundo está em suspenso damos ainda mais valor aquilo que temos. “Só não ha solução para a morte” – sempre disse a minha mãe. E eu dou tanto valor às lições que ela me deu. Fazem parte de mim, fazem parte do meu ser. Ja não sei ser de outra maneira. Tudo o que sei devo à minha mãe. – disse eu, divagando…

-A tua mãe agora está em paz junto do teu pai. – disse ele, tentando tranquilizar-me.

– Sim, são anjos que nos estão a proteger, a nós e ao Louis. À noite procuro-os nas estrelas, sempre que os quiser ver. Sinto-me protegida. 🙂

Imagem retirada do Instagram – Em memória à minha mãe
Imagem da minha autoria – Um girassol para a Andreia

Este desafio foi criado pelo blog da Andreia Morais, As Gavetas da Minha Casa Encantada. Passem por lá hoje pois é dia de festa, a Andreia faz anos. 🙂

About Matilde Ferreira

O Dia em que a Rainha…

… veio tomar um chá cá em casa, com o nosso pequeno principe 🙂 E trouxe o seu fiel cãozinho, e um tigre e uma raposa. O tigre portou-se muito mal pois comeu o lanche todo e bebeu o cha todo, e foi-se embora sem nada dizer. Mas a raposa ficou a falar com a rainha e o seu cãozinho numa animada conversa. Contaram historias, e a rainha perguntou à raposa se ela era a mesma da historia do Principezinho. Esta disse-lhe que sim e que tinha adorado viver as aventuras com pequeno principe. E a que mais tinha gostado era da parte da rosa, pois dizia-lhe mesmo muito. Depois de tanta conversa, foram dormir uma sesta pois estavam muito cansados.

Imagem da minha autoria – montagem para a foto feita pelo Louis
Fotografia da minha autoria – Our little prince
Imagem da minha autoria – A Rosa, símbolo do Principezinho
Imagem da minha autoria – Louis e a sua raposa

-Por Louis Ferreira Moreira.

Sim, esta historia podia muito bem ter sido contada pelo nosso Louis pois ele adora contar e inventar historias aos seus bonecos. 🙂

About Matilde Ferreira