Category Archives: Curiosidades

Modo Vá Para Fora Cá Dentro

Cornualha. Um pequeno grande paraíso no sul de Inglaterra. Fomos de mini-ferias e ja temos saudades do nosso cantinho à beira-mar plantado. Azul-Verde-Mar. Paisagens relaxantes e de prender a respiração. Estávamos mesmo a precisar disto. 🙂 4 dias de mini-ferias e de retiro.

Ficamos numa casa de turismo rural, os chamados lodges como se diz aqui, numa pequena localidade chamada Bude em Kilkhampton . Cada vez mais prefiro ficar numa casa do que num hotel. É mais intimo e pessoal, ao contrario dos hotéis. E fez-nos tão bem que ate o potty training do Louis funcionou às mil maravilhas. Tivemos a sorte de ser um sitio pet friendly e assim podemos levar o nosso Ginger connosco que também se portou lindamente. 🙂 Sentido-nos em casa 🙂

Marhamchurch – Widemouth Bay

Que rica prainha. Mesmo com tempo encoberto soube mesmo bem caminhar na areia molhada e sentir o cheiro da maresia. E o Louis mais uma vez adorou brincar com as pedrinhas e conchinhas.

Uma vista de cortar a respiração, que dá vontade de ficar aqui para sempre 🙂

Forrabury and Minster Slaughter Bridge

De seguida rumamos ao sitio da Lenda do Rei Artur. Quem não conhece a famosa historia da espada Excalibur? O Louis sentiu-se um rei no pequeno parque de diversões existente no recinto Arthurian Centre. Fizemos uma pequena caminhada ate chegarmos à famosa pedra e soube mesmo sentir o sossego e a paz da Mae Natureza. É um sitio lindo e muito relaxante onde podemos ouvir as aguas do Rio Camel e desfrutar dos jardins da Lady Charlotte Falmouth.

KIng’s Arthur Stone

No sábado fomos a Bodmin onde visitamos a maior igreja da Cornualha, St Petroc’s Church. Almoçamos no centro da cidade e depois fomos dar uma volta a um parque, onde o Louis fez amizade com um esquilo a quem deu o resto da sua maça, e depois disso voltamos ao local onde fomos felizes e eu ja vos aqui neste post.

Sobre o sitio mágico do Museum of Witchcraft and Magic onde o Louis se deliciou com os saborosos gelados da Cornualha, e nós, os crescidos também 🙂 O que mais me fascinou foi a forma como as pessoas se deixam levar ate à pitoresca vila de Boscastle e voltar sempre. Se eu pudesse mudava-me hoje mesmo para este sitio que chama por mim de forma tão natural. Quem disse que as bruxas são más? Eu própria sinto-me meia bruxa, às vezes. Se não quase sempre 😀 O medo do desconhecido não me assiste. 🙂 Adoro tudo o que esteja relacionado com com o mundo da magia. Acho que se tivesse vivido na Idade Media tinha sido queimada na fogueira, se calhar ate fui para quem acredite em reencarnação 🙂

Pelo meio consolamo-nos com as tradicionais pasties, os típicos pasteis de massa quebrada recheados com, carne, queijo e cebola ou batata. Uma curiosidade: sabiam que estes pasteis foram criados como marmita para os os homens irem trabalhar para o campo? E as bordas da massa não se comiam pois serviam apenas para os homens segurarem no pastel com as mãos sujas.

Também comemos o famoso Fish and chips que nos soube mesmo talvez por estarmos mais próximos do mar 😀 Sabiam que esta refeição teve origem portuguesa nos inícios do século XVI?

E claro, que eu tinha de experimentar o famoso Cream Tea, uma variante do Afternoon Tea, típico e originário desta zona 🙂

Foram dias maravilhosos neste pequeno paraíso a sudoeste de Inglaterra, do qual nos não queríamos sair e havemos de tornar a voltar 🙂

E assim demos por terminado um Verão diferente mas muito intenso 🙂

Mesmo em tempo de pandemia, conseguimos tirar uns dias em segurança para repor energias 🙂

E na viagem de regresso o GPS fez-nos esta surpresa para fugirmos ao transito: Passamos por Stonehenge

Stonehenge – imagem da minha autoria

Ficaram com vontade de visitar? 🙂

Como foram as vossas ferias? 🙂

About Matilde Ferreira

Storyteller Dices d’As Gavetas| Sabores do Coração

Voltar ao sitio onde fomos felizes. Tão bom. Mal saímos do carro o Louis reconheceu logo onde tínhamos estado no dia anterior. “Ice cream, please” disse ele no seu sotaque britânico. 🙂

Os melhores gelados aqui do Reino são da Cornualha. Depois de termos ido à praia, procuramos no mapa o Witchcraft Museum, que traduzido à letra, é o Museu das Bruxarias, que nos levou ate Boscastle, um sitio cheio de paz e magia. Senti-me no meu mundo.

Imagem da minha autoria – Witch Crafts Museum

Cernuno. Conhecem? Deus com chifres segundo os estudos celtas.

Por baixo da estatua do Deus e do gato preto, que eu adorei, estava um poço com a seguinte inscrição:

Lucky wishing well / Poço da sorte e dos desejos

By this coin / Que esta moeda

My wish fulfill / Cumpra o meu desejo

For the well is filled / O poço está cheio

By the witches will! / Por vontade das bruxas!

Todas as moedas atiradas para o poço são doadas para a Cornwall Air Ambulance e o Museu tem orgulho em poder contribuir com a sua parte para que os helicópteros e as “vassouras” continuem a sobrevoar os seus da Cornualha.

E é claro que o Louis atirou 2 moedinhas e ficou todo contente 🙂 Ja estão a ver o que é que ele pediu, claro: Ice-cream! Hehe 😀

Um sítio mágico, que nos atrai e nos faz querer voltar e querer ficar ali para sempre, como se nos tivesse lançado um feitiço ou talvez sejam os gelados, segundo o Louis. Talvez um dos ingredientes sejam pós de perilimpimpim que fazem com que as pessoas gostem tanto deste lugar e queiram voltar sempre 🙂

Qual é vosso sabor de gelado preferido? 🙂

E se o que desejariam se estivessem ao pé de um poço dos desejos? 🙂

Este desafio foi criado pelo blog AS GAVETAS DA MINHA CASA ENCANTADA.

About Matilde Ferreira

É tempo de…

… regressar ao trabalho, voltar à escola, aos empregos, à rotina. Apesar de vivermos tempos incertos, temos de continuar a viver neste “novo estado” das coisas.

Dizem que o melhor vem por ultimo, e isto tanto pois a minha altura preferida do ano são os últimos 4 meses, Setembro por ser o mes de regresso, Outubro por causa do Outono, das suas cores, das tartes de abóbora e do Halloween, Novembro pelas noites frias aninhados numa manta no sofa a ver filmes e series, enquanto a chuva cai la fora e das preparações para a época magica de Dezembro, o Natal. Tão bom!

Imagem da minha autoria – Cores do Outono

E vocês, tambem gostam deste ultimo período do ano? O que mais gostam desta altura? 🙂

About Matilde Ferreira

Deixei-me levar…

…ao sabor do vento. Ou melhor deixei-me levar pelo sabor da inércia das mini-ferias, julgando que tinha agendado posts para este domingo e segunda-feira passados… e qual não é o espanto daqui da Micas que afinal não houve posts para ninguém… Desde ja peço desculpas a quem cá veio visitar e não encontrou nada de novo. Com isto tomei a decisão de escrever posts ao sabor do vento, ao sabor da maré, porque cada vez mais acho que escrever por escrever não faz sentido, não concordam? 😉

Por isso a partir de agora os posts aqui no Cantinho vão sair conforme o tempo, disponibilidade e inspiração. 🙂 Tanto podem ser dia sim, dia não, como todos os dias 😉

Deixem-se surpreender 😉

Espero que gostem!

About Matilde Ferreira

Hora do pote Potty training

Louis no potty com o tablet, sem julgamentos pois para grandes males, grandes remédios… 😉

Ha um tempo certo para tudo. E tenho aprendido muito isso com o meu filhote como ja tenho dito aqui. Apresentei o pote ao Louis pouco tempo depois de ele ter feito um ano, antes de começar a andar, quando ja se colocava de pe agarrado às coisas, mas recusou sempre. Ja deu sinais e a creche ajudou, mas esta a ser difícil deixar de ser bebe. Eu sinto que ele vai conseguir, sem pressões, como conseguiu tudo atė agora. Eu também fui assim, apesar de ser rapariga, deixei as fraldas de pano aos 4 anos. Lembro-me disso pois é das primeiras memórias que tenho, e ultimamente estou constantemente a relembrar uma situação um pouco embaraçosa. Certa vez, eu fui a correr para a casa de banho muito envergonhada e cheia de receio que a minha mãe me ralhasse pois tinha acabado de fazer cocó na cueca… 🙁 julgando que ainda tinha fralda, ao ver a minha mãe mudar a fralda ao meu irmão do meio que ainda era bebé, mais novo que eu, 4 anos. A minha mãe, ao ver-me aflita tranquilizou-me, mas eu a partir daquele momento andava com o pote quase colado ao rabiosque e quando chegava a casa dos meus avós e fazia o mesmo. O mais incrível é que quando fui para a escola, aos 6 anos, aguentava a tarde sem ir à casa de banho por não me sentir à vontade…

Estou a ler um livro muito interessante para ajudar nesta fase: Potty Training in 3 days

Deixem as crianças serem crianças. O Tempo é muito importante nos primeiros 5 anos da nossa vida.

Como disse Ines Heredia nesta conversa, o sistema de ensino ainda tem muito para mudar nomeadamente quanto as idades das crianças nos níveis de ensino. Por exemplo, o Louis tinha um amiguinho na creche dele que fez os 4 anos em Outubro do ano passado, sendo do ano de 2015, quando a maioria era de 2016 como o Louis, logicamente esse menino vai estar sempre mais à frente q os outros meninos mas por fazer anos depois da abertura da escola não pode entrar para a pre juntamente com os outros meninos do seu ano… Parecendo que não isso faz muita diferença. No caso do Louis, ele é dos últimos a fazerem anos do ano dele, logo isso diz muito do seu desenvolvimento.

Está a custar muito deixar de ser bebé, meu querido, mas acredita que é por um bom motivo: Crescer ❤️

Para mim, serás sempre o meu bebé, do sorriso e olhar doces ❤️

Imagem da minha autoria

About Matilde Ferreira