Conversas às quartas… com a Andreia Morais

E hoje como convidada das Conversas às quartas, temos uma menina muito querida, a Andreia Morais. A Andreia tem 25 anos, vive em na minha terra, Vila Nova de Gaia e é mestre em Educação de Infância. Tem o blog que eu adoro seguir e ja não consigo passar um dia sem visitar 🙂 Recomendo que façam o mesmo.

1.Para acompanhar a conversa… chã de…

AM – Menta

2. Bolo ou Biscoitos?
AM – Bolo [de preferência, de chocolate]

3. Porque e quando criaste o teu blog?

AM – Criei As gavetas da minha casa encantada em agosto de 2013, porque senti necessidade de ter um blogue onde pudesse abordar vários temas que me fascinam, em vez de me limitar a publicar os meus textos ficcionais. Quis expandir a minha escrita a outras áreas. Desafiar-me. E criar um espaço que se adequasse a isso. Inicialmente, As gavetas seriam apenas um complemento do meu antigo blogue, mas rapidamente percebi que passariam a ser a minha única casa. Fui muito feliz no Parte do que sou, mas estava na altura de mudar, até porque deixou de corresponder àquilo que pretendia. Hoje, sem qualquer dúvida, sei que tenho um blogue à minha imagem, onde cabe um pouco de tudo que tenha significado para mim.

4. O que mais gostas neste mundo dos blogs?

AM – Adoro a diversidade, a identidade, a partilha e a interação com outros bloggers. Escrever é uma parte muito importante daquilo que sou. Mas ter a possibilidade de trocar opiniões com outras pessoas é fantástico, além de que nos permiti evoluir.

5. Se te surgisse a oportunidade de emigrar para onde irias?

AM – Confesso que é difícil responder a esta perguntar, porque nunca foi um objetivo [e espero que nunca venha a ser uma necessidade]. Ainda assim, Barcelona poderia ser uma possibilidade.

6. Qual é a tua viagem de sonho?

AM – Um dos meus maiores objetivos é poder conhecer Portugal de Norte a Sul, ilhas incluídas. E se fosse ao volante de uma Pão de Forma seria mais especial. No estrangeiro, adorava conhecer Barcelona, Santorini, Mykonos, Milão e Sydney.

7. Porquê educadora de infância?

AM – Em criança, nunca frequentei a creche e o pré-escolar, talvez por isso tenha desenvolvido uma maior curiosidade por essas faixas etárias. E como sempre gostei bastante da escola/de estudar, acabei por tentar descobrir aquilo que perdi por não ter andado numa creche/num jardim-de-infância. O certo é que é um sonho que me acompanha desde pequena.

8. Como vês as crianças deste novo milênio? Uma inspiração ou uma aventura?

AM – Honestamente? Ambas. Porque as crianças desafiam-nos e ensinam-nos imenso! A minha orientadora costumava dizer uma frase que, para mim, faz todo o sentido: precisamos de subir ao nível das crianças. Numa sociedade que ainda olha muito de cima para baixo, acho que é importante desconstruir a ideia de que os mais pequenos são um livro sem conteúdo. Eles sabem muita coisa, nós é que precisamos de aprender a ouvi-los. E de ser um exemplo, no verdadeiro sentido da palavra. Naturalmente, há coisas que não vão compreender, por estarem a descobrir o mundo. E necessitam da nossa ajuda. Da mesma maneira que precisam que lhes seja dada liberdade para se expressarem e fazerem as suas próprias aprendizagens.

As crianças são o nosso futuro, mas temos que lhes dar espaço para que sejam crianças, o que não significa privá-las de responsabilidades. Enquanto isso, devemos investir numa educação/formação/oportunidades cada vez melhores, para que toda a aventura do seu crescimento seja uma verdadeira inspiração quando olharem para trás.

9. Livro de cabeceira?

AM – Neste momento, estou a ler «Em teu ventre», de José Luís Peixoto

10. O que gostarias de dizer a todos os teus seguidores?

AM – Em primeiro lugar, agradecer por estarem sempre desse lado. É mesmo gratificante perceber que há pessoas que reservam um pouco do seu tempo para lerem e comentarem aquilo que escrevo e que partilho. Tenho crescido convosco! Em segundo lugar, dizer para nunca terem medo de arriscar. E para preservarem a identidade que vos caracteriza.

11. Como te vês daqui a 10 anos?

AM – Estável, tanto a nível emocional, como a nível profissional. Ou seja, com um emprego que me encha as medidas, casada, com um filho, bem perto de quem me é tanto e cheia de saúde.

Pergunta extra: Acreditas no nosso Porto campeão este ano? 😉

AM – Acredito! Não só pelos resultados alcançados, mas por toda a mística que regressou. Vejo os jogos do meu [nosso] clube e sinto que a união é inquebrável. Pessoalmente, acho que já tínhamos conquistado um pouco daquilo que é ser Porto com o Nuno Espírito Santo, mas sinto que o Sérgio Conceição fez uma revolução a fundo. E é tão bom perceber que a equipa e os adeptos estão juntos. A lutar pelo mesmo. Cada um no seu lado do campo. Voltou a ambição, a raça, a garra e aquele amor desmedido. Como portista, não podia estar mais orgulhosa!

Espero que tenham gostado tanto desta conversa quanto nós 🙂

Quem ainda nao conhece a Andreia e o seu blog? 😉

 

About Matilde Ferreira

Visita às Gavetas da Casa da Andreia

E hoje  fui  visitar a casa da Andreia Morais para abrir uma Gaveta muito especial 😉 Estão todos convidados a vir também 🙂

Em semana do seu aniversario de quarto de século e mais um 🙂  a Andreia teve a excelente ideia de convidar um grupo de bloggers amigos que tiveram todo o gosto em participar na sua festa 🙂 Conheci a Andreia há mais ou menos um ano e logo criei uma empatia especial com ela, para alem de ser da minha terra 🙂 gosto muito da forma como ela escreve e revejo-me muitas vezes na opinião dela. Para uma miúda de 26 aninhos ela revela ser uma pessoa com uma maturidade enorme. Espero continuar a seguir a Andreia ate ser bem velhinha e fico à espera, eu e o Lu, estamos aqui à espera dos livros infantis da Andreia pois tenho a certeza que ela vai conseguir publica-los, pela forma como escreve. Acredita minha querida, e vais conseguir, porque o sonho comanda a vida.

About Matilde Ferreira