Tag Archives: educação

A Descoberta de Si Mesma- Guidinha Caderninho e o Mundo Magico das Emoçōes

Este livro trouxe-me memórias da minha infância. Em criança tal como a Guidinha, eu tinha muitas conversas na minha cabeça, com o Consciente, Sub-Consciente, Ego, Memoria, Mente e Coração (Megamind), e sonhava muito para manter essas conversas “vivas”. Hoje olho para o meu filhote com ternura enquanto ele explora as suas emoções brincado e criando historias com os seus bonecos e brinquedos. É como um passar de testemunho.

A partir de que idade é que começamos a ser mais conscientes da realidade? 5, 6 anos… Talvez. Gostava que ao tomarmos mais consciência não perdêssemos a nossa inocência… (tive esta conversa com a mãe de um amiguinho do Louis, enquanto esta desabafava comigo que o filho mais velho é posto de parte pelos colegas de escola 🙁

Porque é obrigatório ler “Guidinha Caderninho e o Mundo Magico das Emoções”? Porque são historias que ajudam a criança a aprender a lidar a lidar com o “enredo das emoções, a ganhar confiança nas suas capacidades pessoais e intelectuais, a relacionar-se melhor com o mundo e conseguir comunicar o que quer, o que pensa, o que sente e ser mais feliz.

Este livro fascinante de Guida Guardado, professora do 1o ciclo, aborda o caminho do crescimento e do autoconhecimento recorrendo a historias simples do dia-a-dia das crianças. Com a simplicidade magica das suas palavras torna compreensíveis matérias tão complexas como o desenvolvimento da inteligência emocional, a capacidade para compreender e geriras emoções e a aprendizagem para a tomada das decisōes.

Em “Guidinha Caderninho e o Mundo Magico das Emoções” a escritora Guida Guardado, como seu imaginativo e cativante estilo literário, vai muito para alem de oferecer ao leitor historias infantis. Com a personagem central, Guidinha, as crianças descobrem os seus “eus” interiores, aprendem a reconhecer os seus sentimentos, a expressar adequadamente as suas emoções e a desenvolver relações mais saudáveis com quem as rodeia.

Deixo-vos com algumas passagens do livro:

“-Os medos e as preocupações não têm de ser vistos apenas como emoções negativas que queremos fazer desaparecer. É através das experiencias menos boas que fazemos grandes aprendizagens.”

“A Guidinha percebeu que quando assumia aquilo que sentia perante os outros, tudo ficava mais fácil, pois era compreendida. Afinal o Megamind tinha razão “quando eu mudo, os outros também mudam.”

“…-Ter maturidade tem a ver com a maneira como tu tratas os outros e a ti mesma, como pensas e como te comportas.”

“A expressão andar em ‘piloto automático’ significa isso mesmo, é nao fazer as coisas de forma consciente. Mas isso também se aplica as emoções, à maneira de ser de cada um e às expressões do corpo. Por isso é que as pessoas por vezes, interpretam mal o comportamento do outro.”

“-Temos de educar a Mente a aprender como se fosse uma criança. Às vezes ela fica perdida e a pessoa parece uma barata tonta, perde-se com as coisas que acontecem à sua volta.”

Podem encontrar este livro aqui no Instagram da Pagina da Guida Guardado, Kids & Grown-ups.

About Matilde Ferreira

Lingua Universal…

Quando eu era pequenina queria muito aprender ingles para entender o que as pessoas que eu via na tv diziam. Dava por mim a ter conversas mentais comigo mesma, num “ingles inventado”. Senti-me realmente muito frustrada quando no fim da primaria, terem escolhido por mim o francês para o 1o ano do ciclo. Apesar de detestar a lingua francesa, fui aluna de 5s mas ainda hoje odeio falar a lingua, apesar de a perceber bastante bem. Já o ingles tudo o que sei é de ouvido e à minha mãe me ter oferecido um curso de correspondência CEAC. Uma das técnicas que mais usei, era não ler as legendas em português dos filmes e series. Na minha opinião, a lingua mais fácil e falada no mundo inteiro, ou a terceira, vá… (porque convenhamos que o chinês e o espanhol so estão à frente por questões populacionais) . É a lingua universal que deveria servir povos e não dividi-los… Ja repararam que para falar com turistas, por exemplo, em Portugal, falamos em ingles?

O meu ultimo emprego foi numa multinacional francesa e eu passava a maior parte do tempo a falar ingles do que português… ou francês. Incrível não? Tinha fornecedores holandeses com quem tinha a sorte de falar ingles, uma vez que infelizmente não pesco nada de neerlandês, com muita pena minha, pois gostava muito de aprender, e italiano. Por falar nisso, uma curiosidade, tive uma fornecedora italiana que quis aprender português pois tinha muito gosto e ainda hoje falo português com ela. Ah ela so se queixou que a nossa gramatica era muito difícil 🙂

O nosso Lu é o único português na creche mas tem muitos amiguinhos indianos que tal como ele estão habituados a falar uma lingua diferente em casa mas a lingua que os une é o ingles. Seria tudo tao mais fácil se todos entendessem as coisas desta forma tao simples e descomplicada 🙂

Imagem retirada do Google

About Matilde Ferreira

Desafio Gratidão| Semana 35: A Educação

Imagem retirada do Google

Vivemos num mundo em que a educação é uma coisa rara, infelizmente. Mas eu preservo muito a educação que os meus pais me deram. Thank you, excuse me and i’m sorry são palavras que me saem em modo automático. Eu disse em inglês mas tambem as diria em português acaso estivesse em Portugal. Gosto de cumprimentar as pessoas com quem me cruzo com um Bom Dia ou um Hello 🙂

Sabem que, na minha humilde opinião, em muitas países a educação é sobrevalorizada porque nao convém. Porque se as pessoas tiverem educação alargam os seus horizontes, abrem as suas mentes, seja para a politica ou para a religião. E é disso que os terroristas ou gentes do poder têm medo. Eles têm medo que os povos pensem por cabeça própria…

Deixo-vos com uma frase inspiradora de uma jovem que admiro muito, Malala Yousafzai

Imagem retirada do Google

 

Consideram-se pessoas educadas e com Educação? 🙂

About Matilde Ferreira

Avós nao estragam…

Na minha humilde opinião, os avos não devem estragar os netos mas sim ajudar a educar.

Este artigo pode parecer exagerado mas acreditem que existem avós que também exageram ao contrariar os pais. Tudo tem um meio termo, nem 8 nem 80, como eu costumo dizer. Em miúda eu adorava ir para casa dos meus avós maternos ao fim de semana porque la eu podia brincar a vontade e correr muito. Mas lembro-me que os meus avos respeitavam a vontade dos meus pais. Mimavam-me mas com sempre com peso e medida, e eu adorava passear com o meu avo, fazia-me mesmo muito bem. Sentia-me protegida. Ja o meu Rui também tem excelentes memórias dos avos paternos dele, e ja agora eu também, apesar de os ter conhecido ja nos últimos anos da vida deles. Eram um casal inspirador. Daqueles que nos queremos seguir o exemplo. Os bons valores que o meu Rui tem foram-lhe transmitidos pelos avós. O homem bem educado e humilde que ele e hoje, deve-o aos avós. E eu tenho tanto orgulho nele. Parece que os nossos avos de antigamente e que eram de valor, não me interpretem mal mas falta essa essência nos dias que correm.

E para desanuviar, fiquem com a resposta da avó 😀

E voces, que recordações têm dos vossos avós? 🙂

About Matilde Ferreira