Category Archives: Words

“E Deus Eras Tu” Review| Conversas às quartas com Susana Sousa

Imagem da minha autoria

Aquele momento em que uma amiga nossa escreve um livro em que o titulo diz tudo o que nos vai na alma. Porque sim. Porque eu acredito que nós temos um pouco de Deus em nos. Porque temos a capacidade de tomar decisōes e fazer escolhas.

Fotografia da minha autoria

A Susana foi das minhas primeiras amizades no Facebook, ja la vão 9 anos e logo criei um carinho muito especial por ela pois é uma pessoa que transmite nos vibes, coisa rara hoje e dia. Ela chegou a trabalhar na empresa onde também trabalhei mas depois de eu ter saído de la, infelizmente ja nao me cruzei com ela.

Susana Ferreira Sousa

“Susana Ferreira Sousa, natura da cidade invicta, sempre foi uma apaixonada pelas letras e pela escrita em particular. Após um período de afastamento em que “vagueou” pelas ciências, regressou às origens dando continuidade ao que desde muito jovem fazia: escrever.” – retirado do livro E Deus Eras Tu

1- Para acompanhar esta conversa… é bom que tenhas café o meu é forte e sem açúcar.

2-Com… bolo húmido de chocolate…o chocolate é a minha grande perdição, de resto não ligo a doces.

3- Qual é a tua relação com o teu Deus? A minha relação com o meu Deus é tão, mas tão turbulenta. Amo-o e apetece-me esbofeteá-lo ao mesmo tempo.

Mas é o melhor do mundo para mim, transmite-me calma, serenidade, faz com que me ria com a leveza de uma criança… é isso mesmo. O meu Deus torna-me tão leve, estar com ele é estar sentada nas nuvens, deixa-me longe de tudo o que me incomoda.

4- O que te levou a publicar este livro?  Não sei.. talvez um libertar de emoções e sensações. Talvez agitar um pouco as mentes… não sei. Senti necessidade de o fazer. Só isso. Um impulso como tantos outros na minha vida.

5- Na tua opinião as relações humanas são complicadas ou as pessoas é que as complicam? As pessoas complicam imensamente, não quero dizer com isto que sejam sempre fáceis mas temos tendência a exacerbar tudo que possa suscitar dúvida ou discórdia e a capacidade de aproveitar o melhor fica muito reduzida.

6- Acreditas no Amor verdadeiro? Acredito piamente no amor mas não acredito que haja algures “a metade da laranja”, nem sou apologista desse conceito. Se não formos completos sozinhos nunca poderemos amar ninguém, podemos sim criar uma dependência em relação a alguém.

7- E no Amor à primeira vista? No amor á primeira vista claro que não acredito. Acredito no tesão á primeira vista e acredito no amor que se cimenta muito para lá da aparência. Eu, pessoalmente,amo a inteligência, o raciocínio,a sagacidade,o bom humor, amo que me desafiem o intelecto, que me contrariem, que tenham personalidade. Amo o carácter.
Depois de me apaixonar por cada uma dessas coisas…aí sim amo a pessoa para além do corpo.

Á primeira vista é um invólucro, não gosto de invólucros cheios de nada.

8- Como te imaginas daqui a 10 anos? Daqui a dez anos estarei sozinha com os meus livros e a minha música.

Não tenho expectativas de nada a não ser sossego, muito sossego.

9- Como surgiu a paixão pela escrita?  É uma paixão de sempre. No liceu escrevia letras para uma banda, escrevia poesia, tinha uma coluna no jornal da escola…escrevia nos meus diários, claroooo …a escrita sempre me acompanhou, sempre foi uma libertação.

10- Para quando um próximo livro? Não faço ideia, comecei a escrever e já ia adiantada quando perdi a pen…sendo eu como sou obviamente não tinha nenhum backup, depois não me apeteceu recomeçar.
São fases…sou como a lua.

Mas quando voltar a uma fase iluminada serás a primeira a saber.

Não há nada para agradecer, foi um gosto acomodar-me neste cantinho tão teu.
Beijinhos e muito sucesso para o Cantinho da Tily.
Desde ja te agradeço de coração, querida Susana por teres aceite o convite para esta conversa tão agradável 🙂 Da minha parte quero desejar-te todo o sucesso e felicidade que tu mereces, minha querida 🙂
E assim chegou ao fim esta rubrica, Conversas às Quartas,  que tanto prazer me deu fazer.
Espero que tenham gostado tanto quanto eu 🙂
E agora? Perguntam voces… Vamos a ver o que o novo ano nos reserva 😉

About Matilde Ferreira

“Mãe emigrada não tem plano B”

Alô! Chamo-me Cris Loureiro (www.crisloureiroblogs.com) e hoje sou eu quem faço as honras da casa aqui no Cantinho da nossa querida Tily.

foto da autoria da C.Loureiro

Tanto a Matilde quanto eu, somos mães a viver o auge da maternidade aos quarenta, longe do nosso país Natal e de toda a família. Acho que estes factos em comum acabaram por nos aproximar criando uma empatia mutua que tem feito crescer esta nossa recente mas forte amizade. É sobre esta distância, que na vida de uma mãe parece pesar ainda mais, que hoje vos irei escrever.

Em certo momento da minha vida eu achei que ela, a minha vida, começava a não fazer grande sentido, a não ter evolução, não ter um sonho pelo qual correr atrás, tudo parecia pequeno e insignificante. Foi assim que o desejo de ser mãe nasceu em mim e começou a fazer sentido, acabando por se tornar no meu sonho maior. Um sonho tão grande que me exigiu mudanças radicais, uma das mudanças foi trocar de país. Em 2009 Portugal não dava, a mim e ao meu companheiro, qualquer estabilidade nem condições para criar uma criança, quanto mais duas, porque quando eu sonho eu sonho grande. Quase a fazer os meus 35 anos, era agora ou nunca.

Inglaterra recebeu-nos com o essencial, um emprego que nos permitia viver bem, tornando o meu, agora nosso, sonho possível. Em 2011 nasceu a L. e em 2013 nasceu a C. Com a falta de família ou amigos por perto estes dois bebés, agora crianças, dependiam e dependem única e exclusivamente de mim e do pai delas, não há plano B. É assustador, é uma constante aventura e desafio mas é a nossa realidade e foi a única forma que encontrámos de realizar o nosso sonho maior, ser pais.

Se não tivesse mudado de país dificilmente teria uma L. e uma C. provávelmente nunca teria nem sido pensada. Inglaterra não me dá plano B mas o plano A permite que o pai trabalhe e ganhe o suficiente para que a mãe não precise de trabalhar (ou vice versa), pelo menos a tempo inteiro, oferecendo à mãe a disponibilidade necessária para dar apoio às suas crianças que afinal de contas são o futuro de um país. As minhas filhas não precisam que os avós as vão buscar à escola e fiquem com elas, muitas vezes até às 8 e 9 da noite, à espera dos seus pais. Não precisam que os pais façam malabarismo com os dias de férias que muitas vezes leva a que pais não possam tirar férias em simultâneo, etc. Aqui só temos plano A mas o plano A funciona bastante bem, não colocando a responsabilidade de criar crianças nas costas de pessoas já com idade para não terem horários rigorosos e sim viverem o seu merecido descanso.

foto da autoria da C.Loureiro

Porém tenho medo, muito medo, porque o plano A pode falhar, neste plano não há tempo nem hora certa para ficar doente, este plano não dá direito a erro ou omissão, este plano dá muito medo e cansaço, mas enquanto ele vai funcionando dá também um enorme prazer e realização, pessoal, profissional e familiar.

Há por aí muitas mães a viver noutro país ou cidade, longe de familiares e/ou amigos?

Por Cris Loureiro.

 

A Cris lançou o desafio para uma troca de posts  nos nossos blogs, no grupo Vidas quase Perfeitas, e eu fiquei logo inspirada e claro que aceitei de imediato. Passem pelo blog da Cris para verem a minha colaboração.

 

About Matilde Ferreira

Desafio Gratidão| Semana 1: Um Propósito

Tanto pedi um desafio para este ano e a Liliana Silva do The Silver Wing fez-me a vontade ja que eu tanto pensei mas a minha imaginação não me fez a vontade. Menos mal porque o desafio que a Liliana vem de encontro a tudo o que venho a pensar nestes últimos tempos e só me tem feito bem. Durante as 52 semanas do ano, às sextas-feiras um tema novo tendo como base a Gratidão 🙂

E o primeiro tema é:

Um Propósito

Fazer a minha familia feliz. 🙂 Fazer o meu marido e filhote felizes. Poder fazer tudo para que não lhes falte nada. Saber que eles estão bem, faz-me bem. Ja não me vejo sem estes dois. Agradeço todos os dias por os ter na minha vida. Sinto muito orgulho neles.

Ainda bem que nao desisti de nós. Ainda bem que esperei por ti meu amor. A nossa relação não é perfeita. É como todas as outras com os seus altos e baixos. Mas nos damos sempre a volta. Com muitos miminhos e muitas conversas. E como eu gosto de conversar contigo. Desde sempre. Se sou chatinha é porque me preocupo contigo, convosco. Quero ficar contigo ate ser bem velhinha, um ano de cada vez, não me imagino com mais ninguém. Só com o nosso companheiro de vida, o nosso Lu.

O que acharam deste desafio? 🙂 Vamos encher a blogosfera de Gratidão 😉

About Matilde Ferreira

TaG|That’s True

thats true

A tag consiste em:
» Contar ao todo 25 factos sobre mim, sendo 20 verdadeiros e 5 falsos.
» Indicar 10 blogues para responder à tag. Cada blogue tem 6 oportunidades de tentar adivinhar os 5 factos falsos.

O prémio: O blog que acertar os 5 factos (nas 6 oportunidades) terá direito a um post no blog que o indicou (neste caso o meu) dedicado exclusivamente ao seu blog. Se errar, será o blog indicado (quem eu nomear) que terá de fazer um post sobre o blog que o indicou.
O motivo: Ajudar a divulgar outros blogues e dá-los a conhecer a mais leitores, conhecer-mos mais bloggers e construir amizades, quem sabe.

(Obs.: Os blogs que eu nomear têm até dia 31 de Outubro para responder e depois eu irei revelar quais são os 5 factos falsos.)

De seguida ficam os meus 25 factos:

1. Não gosto de sushi
2. Em criança queria ser… jornalista.
3. Sei andar de bicicleta.
4. Digo sempre o que penso… ou quase sempre.
5. Não sei nadar.
6. Adoro gatos.
7. Sou desorganizada.
8. Tenho memoria de elefante.
9. Gosto de transmitir boas energias aos outros.
10. Fui operada aos 9 meses.
11. Vivo em Londres mas sou do Porto.
12. Sou muito vaidosa.
13. Adoro a Natureza.
14. Estou gravida.
15. Quando me zango não falo.
16. Na adolescência dei a volta a meia Europa com a minha turma… de autocarro.
17. O meu blog tem 5 anos oficiais.
18. Adoro ler.
19. Gosto de ficar no meu canto.
20. Adoro usar rasteirinhas.
21. Sou boa ouvinte… ou pelo menos tento ser.
22. Gosto de dar miminhos e de recebe-los.
23. Sou muito amiga do meu amigo.
24. Não sou de extremos, comigo não ha 8 nem 80. 
25. Adoro andar de avião.

Os blogues que nomeio são:

*Teresa Silva do Ontem E So Memoria

*Mena Almeida do E Entre Os Meus Dias

*Andreia Morais do As Gavetas da Minha Casa Encantada

*Marta Carvalho do A Marca da Marta

*Raquel Carinha do My Super Sweet Twenty 

Melanie Moreira do That Girl

Ana Casanova do Naipes Heart

Mas todos são livres de opinar nos comentários… quem será que acerta? 😀

About Matilde Ferreira

Saudade… palavras [quase] perfeitas [BEDAS30]

E a oitava palavra do desafio do blog da Cris Loureiro e muito especial para os portugueses e nao tem tradução em mais nenhuma língua. E uma palavra tão nossa mas tão nossa que só faz mesmo sentido na língua portuguesa. O povo português e conhecido por ter os sentimentos a flor da pele. Vibra com sentimento, com emoção.

Nem a Wikipedia em inglês consegue traduzir a nossa palavra:

Saudade is a deep emotional state of nostalgic or profound melancholic longing for an absent something or someone that one loves. 

Eu nao sinto falta mas tenho saudades… Calma, não me interpretem mal. As boas recordações que tenho, bastam-me.

Tenho saudades da minha cidade, do meu Porto. Conheço a minha cidade como a palma da minha mao. Adoro ser turista na minha cidade. Faço parte dela e ela de mim.

Tenho saudades de quem ja partiu, do meu avo Ilídio, dos avós do Rui, do meu pai.

Tenho saudades da minha mãe e dos meus manos.

Saudade é uma palavra tão relativa quanto bela.

Tudo na vida tem o seu tempo, so temos é de tirar o melhor de tudo e de todos. Só assim ficaremos com boas memórias que nos trazem saudades boas.

Deixo-vos com dois poemas de F. Pessoa que descrevem na perfeição

 

E voces de que é que têm mais saudades?

 

 

 

About Matilde Ferreira