“Mãe emigrada não tem plano B”

Alô! Chamo-me Cris Loureiro (www.crisloureiroblogs.com) e hoje sou eu quem faço as honras da casa aqui no Cantinho da nossa querida Tily.

foto da autoria da C.Loureiro

Tanto a Matilde quanto eu, somos mães a viver o auge da maternidade aos quarenta, longe do nosso país Natal e de toda a família. Acho que estes factos em comum acabaram por nos aproximar criando uma empatia mutua que tem feito crescer esta nossa recente mas forte amizade. É sobre esta distância, que na vida de uma mãe parece pesar ainda mais, que hoje vos irei escrever.

Em certo momento da minha vida eu achei que ela, a minha vida, começava a não fazer grande sentido, a não ter evolução, não ter um sonho pelo qual correr atrás, tudo parecia pequeno e insignificante. Foi assim que o desejo de ser mãe nasceu em mim e começou a fazer sentido, acabando por se tornar no meu sonho maior. Um sonho tão grande que me exigiu mudanças radicais, uma das mudanças foi trocar de país. Em 2009 Portugal não dava, a mim e ao meu companheiro, qualquer estabilidade nem condições para criar uma criança, quanto mais duas, porque quando eu sonho eu sonho grande. Quase a fazer os meus 35 anos, era agora ou nunca.

Inglaterra recebeu-nos com o essencial, um emprego que nos permitia viver bem, tornando o meu, agora nosso, sonho possível. Em 2011 nasceu a L. e em 2013 nasceu a C. Com a falta de família ou amigos por perto estes dois bebés, agora crianças, dependiam e dependem única e exclusivamente de mim e do pai delas, não há plano B. É assustador, é uma constante aventura e desafio mas é a nossa realidade e foi a única forma que encontrámos de realizar o nosso sonho maior, ser pais.

Se não tivesse mudado de país dificilmente teria uma L. e uma C. provávelmente nunca teria nem sido pensada. Inglaterra não me dá plano B mas o plano A permite que o pai trabalhe e ganhe o suficiente para que a mãe não precise de trabalhar (ou vice versa), pelo menos a tempo inteiro, oferecendo à mãe a disponibilidade necessária para dar apoio às suas crianças que afinal de contas são o futuro de um país. As minhas filhas não precisam que os avós as vão buscar à escola e fiquem com elas, muitas vezes até às 8 e 9 da noite, à espera dos seus pais. Não precisam que os pais façam malabarismo com os dias de férias que muitas vezes leva a que pais não possam tirar férias em simultâneo, etc. Aqui só temos plano A mas o plano A funciona bastante bem, não colocando a responsabilidade de criar crianças nas costas de pessoas já com idade para não terem horários rigorosos e sim viverem o seu merecido descanso.

foto da autoria da C.Loureiro

Porém tenho medo, muito medo, porque o plano A pode falhar, neste plano não há tempo nem hora certa para ficar doente, este plano não dá direito a erro ou omissão, este plano dá muito medo e cansaço, mas enquanto ele vai funcionando dá também um enorme prazer e realização, pessoal, profissional e familiar.

Há por aí muitas mães a viver noutro país ou cidade, longe de familiares e/ou amigos?

Por Cris Loureiro.

 

A Cris lançou o desafio para uma troca de posts  nos nossos blogs, no grupo Vidas quase Perfeitas, e eu fiquei logo inspirada e claro que aceitei de imediato. Passem pelo blog da Cris para verem a minha colaboração.

 

About Matilde Ferreira

Royal Ascot Looks

Todos os anos se realiza ca no burgo um evento de corridas de cavalos, chamado Royal Ascot,  onde os looks se relevam mais do que os cavalos 😀

A rainha parecia um raio de sol de verão no casaco amarelo, vestido amarelo com estampado floral e um chapéu amarelo combinando com uma grande flor azul. Ela tinha um par de luvas brancas, cordões de pérolas, um broche preto e branco e uma das confiáveis bolsas Launer. Muito elegante, sua majestade!

fotos retiradas da revista Hello

fotos retiradas da revista Hello

Estes foram os meus looks preferidos 🙂

E a minha querida Rolanda Oliveira tambem la esteve linda como sempre 🙂

foto retirada do Facebook da propria Rolanda Oliveira

Estou tentada a comprar um chapéu destes na minha loja preferida a Matalan 🙂 Apesar de não gostar de usar chapéus, acho que é uma questão de habito hehe 😀

Ja conheciam este evento?

 

 

 

 

About Matilde Ferreira

Passeio de comboio a Windsor :)

Vista do Castelo de Windsor à chegada do comboio à estação Eton & Windsor

Em dia de casamento real, hoje trago-vos o nosso passeio de comboio ate ao local do evento, Windsor. Para chegar a Windsor temos de apanhar dois comboios, o primeiro atravessa 3 estações, West Drayton, Fica a meia do sitio onde vivemos e gostamos muito de ir ate la desfrutar do Alexandra Gardens.

A entrada do Parque com o castelo como pano de fundo…

O nosso coreto onde o Lu deu os primeiros passos…

Mais o vez o coreto, que estava a ser preparado para ser um dos pontos de operações para o evento do casamento real 🙂

Neste dia nao quisemos nada com confusões, e o que nos valeu é que ao sair do comboio tem umas escadinhas que nos levam mais rápido ao parque que referi acima. Nem parecia que estávamos perto do evento. 🙂

Vista do comboio ao chegar a Windsor

Verde muito verde e céu azul 🙂

Windsor Riverside

O Lu fartou-se de correr pelo parque e de andar atras dos passarinhos, mas o que ele queria mesmo era ir para a o parque das camionetas de excursões, sim as pessoas aqui fazem romarias para visitar a segunda residência oficial da Rainha. Valeu-me um acessório que nao dispenso mas que muita gente confunde com uma trela… mas nos não queremos saber, apenas queremos preservar a segurança do nosso filho pois ele esta numa fase de descoberta e exploração e basta um segundo de desleixo para que ele vá para o meio da estrada atras dos carros. Definitivamente nestas idades ainda não existe noção do perigo, se bem que ele é bastante receoso, mas tanto esta a apertar-nos a mão como a escapar de nos…

O Lu adorou andar de comboio assim como estar à espera deles 🙂 Adora sentir o ventinho na cara e fica deliciado 🙂 A cara dele de cada vez que um comboio passava 🙂

E aqui vai ele muito sossegadinho a desfrutar das vistas 🙂

O CBeebies, canal preferido do LU, tem uma rubrica chamada My First, que conta as primeiras experiências das crianças tais como idas a praia, andar de comboio, festas de aniversario, etc, e esta experiencia do Lu adequa-se perfeitamente a esse tema 🙂

 

About Matilde Ferreira

Vamos ao Zoo?

Fui pela primeira ao Jardim Zoológico de Lisboa, tinha 10 anos e foi numa visita de estudo. O ZSL foi dos primeiros sitios que visitei ca em Londres, estava um frio de rachar mas adorei a visita. Percorremos o Regent’s Park quase todo, foi uma passeio agradável   e cansativo ao mesmo tempo, mas soube bem.  🙂

Em vez de irmos ao Madame Tussaud (acreditam que estamos ca ha 5 anos e nunca la pusemos os pés?…) que fica bem perto, preferimos ir passear pelo parque ate ao Zoo.

O Jardim Zoológico de Londres, gerido pela Zoological Society of London, é o mais antigo zoo científico do mundo. Foi inaugurado em Londres em 27 de Abril de 1828 e tinha a intenção original de ser usado como colecção para estudos científicos.In WikiPedia

Pelo caminho desfrutamos destas maravilhosas paisagens 🙂

O Google relembrou-me estas imagens de ha 5 anos atras com o meu Rui de cigarro na mão… felizmente deixou de fumar ha 4 anos atras 🙂 

Adorei este relógio 🙂

O Zoo conta com um aquário enorme com uma enorme diversidade de especies 🙂

Fomos também ver o recinto das borboletas que eu adorei 🙂

Pelo caminho fizemos amiguinhos bem fofinhos 🙂 Estes macaquinhos andam a solta numa área reservada para esse efeito e conseguem ser bem atrevidos com os visitantes 😛 

No fim ainda encontramos este nosso amigo que se encontrava na sua hora de meditação 😀

Foi mesmo um dia muito bem passado e agora temos de levar la o Lu ZfL 🙂 E vocês, gostam de ir ao Zoo?

About Matilde Ferreira

Mas andam a brincar com a vida das pessoas?

Desiludida… com as gentes britânicas. Não directamente comigo pois continuam a tratar-me bem…

Então nao é que o Home Office aqui da ilha se lembrou de enviar por engano cartas para 100 cidadãos europeus a dizer que eles tinham de deixar o pais, assim sem mais nem menos? Meus senhores, as desculpas não se pedem, evitam-se…

 

The Home Office has apologised to around 100 EU citizens living in the UK after it mistakenly sent them letters ordering them to leave the country or face being deported.

Officials from the Home Office spent yesterday phoning those who had been sent the letters to say sorry to them and to explain that it had been an unfortunate error.

EU nationals have a right to live in Britain under freedom of movement rules, and although that right will end for new arrivals after Brexit, a Home Office spokesman said the error had not been caused by anything related to Britain’s withdrawal from Europe.

The spokesman said: “We have been urgently looking into why this happened.”

Theresa May echoed a Home Office statement in saying the rights of EU nationals living in the UK remain unchanged.

Ainda bem que tudo não passou de um erro estupido… mas nao quero imaginar o que estas pessoas sentiram 🙁

About Matilde Ferreira