Tag Archives: mar

Podia ficar aqui para sempre…

Cresci junto ao mar. Vivi trinta anos a acordar a ver o mar pela janela do meu quarto. O mesmo mar de Sophia e de Eça. Saudades da Praia da Granja.

Esta é a minha terapia. A paz da minha alma.

Podes tirar a pessoa do mar mas não tiras o mar da pessoa.

fotografia da minha autoria

Aqui estou a quase duas horas de distancia, de carro, do mar. Tenho saudades de sair de casa a pe e so parar à beira-mar. Só demorava meia-hora. Chegava lá e sentava-me nas escadarias e ficava ali a olhar para o infinito. Melhor estado de alma. 🙂

Por aqui a praia mais próxima fica do lado sudeste de Inglaterra e é banhada pelas aguas gélidas do Mar do Norte, faltando aquele cheirinho a iodo das praias do norte de Portugal, que nos faz tao bem, mas não nos podemos queixar pois também temos praia banhadas pelo Oceano Atlantico no sul e sudoeste do país. Nos costumamos ir a Isle of Sheppey , mais precisamente Sheerness ou Leyston. mas também gostamos muito de Hastings, Brighton e as praias da Cornualha.

E vocês, o que sentem quando estão perto do mar? 🙂

Imagem da minha autoria

About Matilde Ferreira

Palavra para 2021: Terapia

Ainda mal o ano começou e parece que a sua palavra já está escolhida. Pois é, no fim desta pandemia, parece que vamos todos precisar dela… de Terapia!

Para mim a melhor terapia é o mar. Sentir o cheiro da maresia, ouvir as ondas do mar. Inspirador e relaxante. É o que dá ter vivido 30 anos perto dele…

E ja que não posso ir ver e ouvir o mar, ouço os passarinhos 🙂

Ver o mar e ouvir os passarinhos são para mim das melhores terapias que existem. À falta da primeira, tenho sempre a segunda. 🙂

Voo sobre o mar

nas asas de uma gaivota

E sinto a liberdade imensa

outrora perdida…

Acordo do meu sonho

com os raios de sol

a beijarem-me o rosto

e com os passarinhos

a cantarolarem la fora…

Vem uma vozinha em pezinhos de lã

e diz:

“vamos passear, mami?”

Deixo-vos com uma das minhas musicas preferidas para relaxar:

Qual é a vossa terapia preferida? 🙂

About Matilde Ferreira

Quando isto tudo passar…

…eu vou continuar a lutar. Mas será que as pessoas se vão lembrar de dar o valor ao que passaram durante esta pandemia?…

Para hoje quero apenas fazer-vos pedido, protejam-se, fiquem em casa se puderem. Pensem nos outros. Pensem que este virus não é uma simples gripe. Pensem que se se protegerem e se resguardarem, esta pandemia não vai durar para sempre e vocês vão puder voltar as vossas vidas normais o mais rápido e depressa possível. Acreditem! Ja falta pouco. Ja existem vacinas por isso é so uma questão de tempo. Pensem no meu filhote de 4 anos que quer ir para a escola conviver com a professora e com os amiguinhos e não pode, por mais que ele goste de estar em casa, ele prefere aprender na escola e não em frente a um monitor de um computador.

Pensem que disto vamos poder voltar a passear, a andar de avião. Eu mal posso esperar para voltar a Paris, ou ao meu Porto, ou ir de ferias ate a um sitio onde nunca estive antes. E ir ver o mar 🙂

Vão por mim que ja vivi alguma coisa e tenho alguma bagagem, as tempestades não duram para sempre e temos sempre o arco-íris no fim delas 🙂

Juntos nós vamos conseguir, acreditem!

Ja disse que quando acabar este confinamento/ lockdown quer ir ver o mar? Mal posso esperar para levarmos o Louis a ver o mar, ele adora 🙂

PS: Agora que olho para calendário, constato que faltam 2 meses para eu fazer 44 anos… espero não passar outro aniversario em confinamento.

About Matilde Ferreira

Modo Vá Para Fora Cá Dentro

Cornualha. Um pequeno grande paraíso no sul de Inglaterra. Fomos de mini-ferias e ja temos saudades do nosso cantinho à beira-mar plantado. Azul-Verde-Mar. Paisagens relaxantes e de prender a respiração. Estávamos mesmo a precisar disto. 🙂 4 dias de mini-ferias e de retiro.

Ficamos numa casa de turismo rural, os chamados lodges como se diz aqui, numa pequena localidade chamada Bude em Kilkhampton . Cada vez mais prefiro ficar numa casa do que num hotel. É mais intimo e pessoal, ao contrario dos hotéis. E fez-nos tão bem que ate o potty training do Louis funcionou às mil maravilhas. Tivemos a sorte de ser um sitio pet friendly e assim podemos levar o nosso Ginger connosco que também se portou lindamente. 🙂 Sentido-nos em casa 🙂

Marhamchurch – Widemouth Bay

Que rica prainha. Mesmo com tempo encoberto soube mesmo bem caminhar na areia molhada e sentir o cheiro da maresia. E o Louis mais uma vez adorou brincar com as pedrinhas e conchinhas.

Uma vista de cortar a respiração, que dá vontade de ficar aqui para sempre 🙂

Forrabury and Minster Slaughter Bridge

De seguida rumamos ao sitio da Lenda do Rei Artur. Quem não conhece a famosa historia da espada Excalibur? O Louis sentiu-se um rei no pequeno parque de diversões existente no recinto Arthurian Centre. Fizemos uma pequena caminhada ate chegarmos à famosa pedra e soube mesmo sentir o sossego e a paz da Mae Natureza. É um sitio lindo e muito relaxante onde podemos ouvir as aguas do Rio Camel e desfrutar dos jardins da Lady Charlotte Falmouth.

KIng’s Arthur Stone

No sábado fomos a Bodmin onde visitamos a maior igreja da Cornualha, St Petroc’s Church. Almoçamos no centro da cidade e depois fomos dar uma volta a um parque, onde o Louis fez amizade com um esquilo a quem deu o resto da sua maça, e depois disso voltamos ao local onde fomos felizes e eu ja vos aqui neste post.

Sobre o sitio mágico do Museum of Witchcraft and Magic onde o Louis se deliciou com os saborosos gelados da Cornualha, e nós, os crescidos também 🙂 O que mais me fascinou foi a forma como as pessoas se deixam levar ate à pitoresca vila de Boscastle e voltar sempre. Se eu pudesse mudava-me hoje mesmo para este sitio que chama por mim de forma tão natural. Quem disse que as bruxas são más? Eu própria sinto-me meia bruxa, às vezes. Se não quase sempre 😀 O medo do desconhecido não me assiste. 🙂 Adoro tudo o que esteja relacionado com com o mundo da magia. Acho que se tivesse vivido na Idade Media tinha sido queimada na fogueira, se calhar ate fui para quem acredite em reencarnação 🙂

Pelo meio consolamo-nos com as tradicionais pasties, os típicos pasteis de massa quebrada recheados com, carne, queijo e cebola ou batata. Uma curiosidade: sabiam que estes pasteis foram criados como marmita para os os homens irem trabalhar para o campo? E as bordas da massa não se comiam pois serviam apenas para os homens segurarem no pastel com as mãos sujas.

Também comemos o famoso Fish and chips que nos soube mesmo talvez por estarmos mais próximos do mar 😀 Sabiam que esta refeição teve origem portuguesa nos inícios do século XVI?

E claro, que eu tinha de experimentar o famoso Cream Tea, uma variante do Afternoon Tea, típico e originário desta zona 🙂

Foram dias maravilhosos neste pequeno paraíso a sudoeste de Inglaterra, do qual nos não queríamos sair e havemos de tornar a voltar 🙂

E assim demos por terminado um Verão diferente mas muito intenso 🙂

Mesmo em tempo de pandemia, conseguimos tirar uns dias em segurança para repor energias 🙂

E na viagem de regresso o GPS fez-nos esta surpresa para fugirmos ao transito: Passamos por Stonehenge

Stonehenge – imagem da minha autoria

Ficaram com vontade de visitar? 🙂

Como foram as vossas ferias? 🙂

About Matilde Ferreira

Summer Treasure Hunt

Cresci perto da praia. Praia das pedrinhas. Quando eu era pequenina adorava apanhar conchinhas e búzios, eram os meus tesouros de Verão. E o Louis gosta de fazer mesmo 🙂

Passear na areia molhada, enquanto a agua do mar me banha os pés, e ir colecionando conchinhas e pedrinhas relaxa-me tanto, e tambem é das coisas que o Louis mais gosta de fazer 🙂 Mexer na areia ou nas pedras, explorar, faz-lhe mesmo bem 🙂

Imagem da minha autoria

E depois chegamos a casa e fizemos este DIY para mais tarde recordar 🙂

O que acham? 😉 Gostam de fazer coisas do gênero? 🙂

About Matilde Ferreira