Tag Archives: Saude feminina

It’s Recovery Time…

É tempo de recuperar. Apos 4 dias de internamento no Hospital, quero muito acreditar que o pior ja passou. A recuperação está a ser lenta mas necessária, por muito que me custe parar, estar quieta. Eu sei que tenho de estabilizar para ficar boa. Estou livre dos 3 fibroide grandes que eu tinha alojados no meu utero, um deles desde 2007, provocados pela SOP e pela Endometriose. Estou muito grata à equipa do Dr Chilcott. Foram fantásticos e operaram em tempo recorde.

Os meus intestinos ainda estão sob o efeito da anestesia, da medicação e dos fibroides, causando-me muita obstipação, o que não ajuda nada pois não posso fazer forças nem grande esforço. Beber muita água e comer sólidos moles, e fibras muitas fibras ajuda. Nada do que eu ja não tenha feito nos últimos tempos. É tudo uma questão de habito. Tambem procuro movimentar-me o mais que posso. Alias mal consegui por os pés no chão no hospital, andava sempre a percorrer os corredores dele, sempre com consciência. Mal posso esperar para regressar às caminhadas que tanto gosto mas entretanto tenho de ter calma.

Tirar um órgão inteiro como o sistema reprodutor não é nada fácil, ele devia servir não só para a sua função principal de reproduzir mas também para regular o organismo feminino. Desde os meus 18 anos que o meu sistema reprodutor só me tem feito sofrer. A única coisa boa para a qual serviu foi para ter o meu filho e estou-lhe grata por isso, de resto sinto-me livre. Os fibroides eram tao grandes que na ultima consulta com o Dr Chilcott, ele os sentiu com as próprias mãos só de apalpar a minha barriga, para vocês terem uma noção.

Gostava muito de ter tido um segundo filho, de dar um maninho ou maninha ao Louis, chegamos a falar sobre isso mas não deu. Se o gêmeo do Louis não resistiu, sim nós conseguimos implantar dois embriões quando fizemos o tratamento da FIV mas o Louis quis a minha barriga só para ele. 🙂 Foi uma longa luta mas valeu muito a pena, fazia tudo de novo se tivesse de ser. Ja vos contei por aqui muitas vezes o meu percurso. Vivi períodos muito intensos e que me deixavam de rastos. O meu período veio tarde, aos 18 anos, e partiu cedo, após 26 anos mas deixa-me aliviada. A minha ame teve de ler com o dela quase até aos 60 anos, e lembro-me que sofria muito com o dela, em silencio. Ja chega de tratarem a saude feminina de forma silenciosa. Está mais do que na hora das mulheres serem ouvidas na hora de falarem dos seus problemas de saúde!

É tempo de os fibroids serem considerados um serio problema de saude reprodutiva e uma falha na qualidade de vida. É tempo de hora de lhes fazer uma triagem com mais antecedência e frequência. É tem de parar de sangrar.

E no dia em que saí do hospital apareceu-me este post no Instagram. Uma mulher de 34 anos, 10 anos mais nova que eu, recupera no hospital em Bengaluru, na India, após lhe ter sido removidos 222 fibroides uterinos!!!

Vai ser um Natal atribulado, com uma segunda operação ao cisto sebáceo que tenho na cabeça, na véspera de Natal (voltarei para casa no mesmo dia) mas acredito que será tudo por um bom motivo 🙂

E vai ser assim que vou celebrar as festas, em vez de champanhe, ter este cocktail delicioso para combater as dores e recuperar bem 🙂

2022 vai ser um Ano Bom!!!

Que este post seja uma especie de alerta para todas as mulheres 🙂

About Matilde Ferreira

Herói Sem Capa

Imagem retirada do site do Dr Chilcott

Dr Ian Chilcott. É um medico ginecologista e obstetra muito conceituado cá em Londres. daqui a uma semana, mais precisamente no dia 2 de Dezembro (torçam por mim), dia do aniversario do meu irmão Bruno, vou voltar a estar nas mãos deste medico, como há quase 3 anos atras, em Fevereiro de 2008, pois foi ele que fez a minha segunda laparoscopia para remover um cisto de quase 10 mm do meu ovário esquerdo.

Desta vez irei ser submetida a uma histerectomia para remover o meu sistema reprodutor todo, uma vez que tenho 3 fibroides grandes no meu útero que me provocam muitas dores, e segundo o Dr Chilcott faz com que eu pareça ter uma barriga de quase 4 meses de gravidez… isto dependendo das alturas dos meses, pois as vezes parece que vou ter rebentar a criança… 🙁 Para vocês terem uma ideia da situação, ele agora ja não precisa de ecografia pois através do toque consegue sentir os ditos cujos.

Estou confiante. E acima de tudo bem informada. Tenho a sorte de so ter conhecimento de casos com sucesso. Uma amiga da mãe do melhor amigo do Louis, foi operada ha 2 meses e esta a recuperar bem. A irma de uma senhora muito minha amiga tambem fez uma histerectomia mais ou menos com a minha idade e ficou livre de problemas de saude. E por ultimo, uma senhora daqui da zona por quem eu tenho muita estima e que é uma grande inspiração para mim (ela trabalha para o Council daqui da zona e dá aconselhamento a vitimas de VD) também fez esta operação mais ou menos da minha idade também e recomenda, dizendo que recuperou muito bem, inclusive está farta de me dar conselhos para a pós-recuperaçao. Tem mais de 70 anos e nunca sofreu de menopausa depois de fazer a operação.

Como disse estou confiante mas também estou receosa. Acho que é normal, na minha situação. Tenho receio que os fibroides rebentem a meio da noite… logo agora que estou tao perto de me ver livre deles. Digo isto porque as dores estão cada vez piores e a minha barriga está cada vez mais inchada… e eu estou mesmo farta desta situação 🙁 Não é bom para mim nem para a minha familia. Caramba, acho que ja chega… não concordam?

Em 2008 , o meu medico de familia na altura, depois de ver que eu tinha um fibroide de 5mm no útero disse-me que a única solução era remover o sistema reprodutor… isso não se diz a alguém que quer ser mãe, pois não? Foi preciso mais de uma década para lutar pelo meu sonho. Consegui e nao me arrependo de nada, mesmo que isso tenha feito com que a minha saúde tenha piorado. Mas valeu muito a pena. Gostava muito de dizer isso a esse medico, o Dr Costa Ramos, que pelos vistos ainda exerce hoje em dia. Se eu tivesse seguido o conselho dele… o Louis hoje não existia… e que foi preciso emigrar para o conseguir ter. Lamentável, não acham?

O mais incrível é que este fibroide me tem acompanhado ao longo desta década e me tem causado muitos transtornos, tais como prisão de ventre e idas constantes ao wc, e ainda fez mais dois amigos… 🙁 Só mesmo durante a gravidez do Louis, o fibroide me deu descanso, se calhar teve medo do nosso pequeno guerreiro 🙂

Tem sido uma luta constante, que espero finalmente termine com esta ultima batalha 🙂

Vale a pena lutar pelos vossos sonhos, jamais desistam deles mesmo quando estiverem a perder as esperanças, a Vida mostra-vos a luz ao fundo do túnel 🙂

O Nosso Sonho

About Matilde Ferreira

O Meu Ultimo Periodo…

…26 anos depois do primeiro.

Finalmente. Acho que nenhuma mulher gosta de ter o período. A minha mãe sofria muito com o dela. Aliás foi com ela que aprendi a usar toalhas para poupar nos pensos higiênicos. No meio de tanto azar acho que tive sorte do período só me ter vindo aos 18 anos. E tive de tomar a pílula para o fazer descer. Se calhar foi este o único de todos os meus problemas de saúde… tomar a pílula ao longo de mais de uma década não fez nada be ao meu organismo. 🙁 Confesso que só gostava que ele tivesse vindo mais cedo para o usar como desculpa para não fazer Educação Física. As minhas colegas diziam que eu era uma sortuda mas eu nao lhe chamaria sorte. O meu sistema reprodutor só me tem dado maleitas e a única coisa boa para a qual ele serviu foi mesmo o Louis. 🙂

Como podem ver nas imagens acima, tiradas da app que me tem acompanhado nestes últimos 10 anos, Lady Timer, o meu ultimo período, foi esta semana e ja está a terminar, felizmente deixando muitas sequelas. Ao longo destes 20 anos o que me tem valido é o bendito paracetamol, uma vez que não posso tomar ibuprofeno por causa do meu estômago. A minha sorte é que o paracetamol aqui se vende em toda a parte super baratinho.

Serei operada (no proximo dia 2 de Dezembro) quando estiver no meu período fértil se ele acontecesse… O mais incrível é que sempre foi muito difícil para mim detectar o meu período fértil daí ter sido necessário recorrer à FIV para engravidar. Eu perdi a conta à quantidade de testes de gravidez e de períodos férteis nos dois primeiros anos, 2013 e 2014, que fiz cá em Londres. A minha sorte é que estes testes são acessíveis e podem ser adquiridos em qualquer lado aqui por estas bandas. Mas acreditem que mexeu muito com a minha sanidade mental. 🙁 O mais importante é que eu não desisti do meu sonho e isto tudo está a valer a pena para vê-lo crescer saudável e feliz 🙂

Deixo-vos com dois documentários sobre o tema, que valem muito a pena serem vistos., sem estigmas e sem tabus.

Menopausa… estou pronta!

E vocês, como lidam com o vosso Período?

About Matilde Ferreira

Ponto de situação…

Los Dibujitos — Song of the uterus.

Hoje trago-vos novidades sobre o meu estado de saúde. Amanha vou retirar o aparelho de cobre pois ele é incompatível com o fibroide uterino que tenho há mais de uma década… Pois é, a minha médica quando me colocou o aparelho esqueceu-se este pequeno grande pormenor. Enfim. Ainda me lembro de quando este me foi diagnosticado, eu ter ido a um ginecologista em Paços de Ferreira que na altura me disse que nao removia o mioma nem que eu lhe pusesse um lingote em ouro à frente…

O ideal seria remover o útero e tomar hormonas para a menopausa, ficava livre de dores e ganhava anos de qualidade de vida. Mas acho que ainda é cedo e quero experimentar o implante hormonal.

Estes são os sintomas que os fibroides uterinos causam:

*menstruações intensas ou menstruações dolorosas
*dor de barriga (abdominal)
*dor na região lombar
*uma necessidade frequente de urinar (por isso nao aguentei tanto tempo da ultima vez que me desloquei ao consolado e as casas de banho estavam interditas ao publico...:( ) 
*obstipação
*dor ou desconforto durante o sexo (no meu caso é após)

E a melhor imagem para descrever o útero feminino vai para…

Imagem retirada do Google

Ja repararam que o nosso útero só serve para uma coisa? Não quer dizer que isso não seja importante, alias é das coisas mais importantes da Vida, ele é responsável por ela. 🙂 escusava era de ser tão maléfico quando deixa de fazer o seu papel… 🙁

Imagem retirada do Google

E nem de propósito esta sexta-feira ao final do dia, recebi uma chamada a minha medica de família com boas noticias: ela vai fazer um requerimento ao hospital para tratarem de remover o mioma ou em ultimo caso o útero. O melhor será mesmo remover o útero uma vez que nos nao queremos ter mais filhos devido à idade. Fiquei tão contente qu parece que me saiu um peso de cima 🙂 Apos mais de 20 anos de dores, apesar de ter trabalhado muito, acho que ja esta mais que na hora de viver a vida de verdade. 🙂

Deixo-vos com o caso da cantora FKA Twigs que teve de se submeter a uma operação para extrair um mioma uterino do tamanho de duas maças, ter kiwis e alguns morangos… uma autentica salada de frutas de muitas dores e uma barriga de seis meses de gestação.

E isto é o que eu vou sentir quando me ver livre do meu útero…

Acho que só vou acreditar quando acontecer 😀

Mal posso esperar por finalmente ter a minha liberdade 🙂

Por tanto ja sabem que os próximos meses vai ser muito importantes e decisivos para mim mas será tudo por uma boa causa, assim como foram os anos de 2014 e 2015 antes do Louis nascer. Estou preparada 🙂

About Matilde Ferreira

O meu maior sonho…

… é que as doenças femininas deixem de serem tratadas como um bicho de sete cabeças por parte dos médicos e da sociedade. Eu falo por experiencia ao longo dos anos a minha doença agravou-se porque os médicos confundiam os sintomas, diziam que eram cólicas e davam-me clisters… Gostava que esses sintomas fossem bem interpretados para que assim as doenças não se agravem para algo pior… Sim, porque no meu caso os cistos nos ovários podem levar a cancro com o passar da idade (este é meu maior receio desde que a doença me foi diagnosticada aos 18 anos… ainda não tinha internet nem computador para poder pesquisar sobre a doença. O que me valeu foi a informação da minha medica de família na altura e os panfletos que ela me disponibilizou… corria o ano de 1996, pesquisei muito sim, mas em livros.) . Diabetes Tipo II e problemas de coração, crises de rins, pernas e tornozelos inchados que levam a tromboses… são também umas das causas da doença/ síndrome.

E esta pandemia não está a ajudar em nada, porque eu sei que os médicos estão demasiado ocupados a combater este vírus terrível… que ainda não tive a oportunidade de fazer os meus exames anuais de rotina.

Identifico-me tanto com esta rapariga norte-americana, Shelby Eckard, conhecida como PCOS Support Girl que sigo no Facebook, Twitter e Instagram.

Quantas vezes nós nos colocamos em segundo lugar ora porque dissemos ao medico que os exames ficam para a próxima consulta, ora porque temos louça para lavar, ora porque temos de ir levar o filho à escola, ora porque temos de os entreter… e o nosso corpo vai dando sinais mas não fazemos por não ligar.Revi-me tanto com este texto da PCOS Support Girl.

Imagem retirada do Facebook – Texto do Instagram aqui

Ela é democrata e apesar de estar fortemente combalida por causa da doença, esteve quase 4 horas na fila para votar… sujeita a ser insultada e agredida pelos apoiantes radicais do Trump. 🙁 E mesmo assim ela não desistiu, mesmo depois de ter passado os últimos dias no hospital. Sim, porque ela sabe que o seu voto conta para as coisas mudarem, principalmente se forem para ajudar a saude dela.

Gostava de acordar um dia e não ter mais estes sintomas, acordar varias vezes a meio da noite com a barriga a rebentar a pensar que não vou aguentar e que não vou passar dessa noite… 🙁

Gostava muito que os médicos deixassem de dizer que a cura para a PCOS está em perder peso, eu era muito magra quando fui diagnosticada esta síndrome e foi a pílula receitada pelos médicos que me fez engordar…

O que me vai dando forças para seguir em frente são a minha família, os meus dois amores e estes podcasts sobre a PCOS onde a Shelby participa com outra rapariga, a Jeni da minha idade, que também sofre da doença, e ja teve dois cancros… Estas conversas vão me mostrando que eu não estou sozinha nesta luta. 🙂

About Matilde Ferreira