Desafio Gratidão| Semana 4: Saúde

E nem de proposito, dentro de uma semana vou… ser operada. Por isso o tema desta semana é mais que apropriado. Desde os meus 18 anos em que me foi diagnosticada esta doença de seu nome SOP (Síndrome de Ovários Policísticos) que tenho lutado pela minha saúde. No meu ultimo emprego eu estava sempre a dizer que sem saude não havia trabalho. E é tão verdade… sem saúde não somos nada, e eu mesmo sem ela ou com pouca, não desisti, e dou muitas graças por tudo o que consegui ate agora. É nos piores momentos que encontramos forças para seguir em frente. Parece que finalmente ao fim de 20 anos vou encontrar a paz que tanto preciso em termos de saude. Ja perdi a conta as vezes que fui ao ginecologista, ja perdi a conta as vezes que olhei para a app do período para confirmar que este estava atrasado… Estes 5 anos foram decisivos mas também muito stressantes. Por isso tive de parar contra todas as mas línguas que adoram falar sem saber do que se passa. Perdi a conta aos testes de gravidez falhados por causa desta vontade de ser mãe. Mas valeu a pena a espera. Ja aqui agradeci muito a todas as equipas do NHS que me ajudaram a concretizar o meu sonho. E ao meu Rui, por nunca ter desistido de mim e ter sido o meu pilar. Obrigada, meu amor 🙂 Obrigada por me teres ajudado tanto. Sem ti seria impossível. Porque és a minha força. A minha inspiração. Da mesma forma que eu acredito em ti, espero estar sempre à tua altura e quero continuar a fazer de tudo para nao te falhar.

Sem saude não somos nada. Disse tantas vezes esta frase no meu ultimo ano (2012)  de trabalho em Portugal. E acreditem que faz tanto sentido. Podemos ter tudo na vida mas se nao tivermos saude… nada adianta.

Num mes so tenho uma semana de qualidade, o resto são dores de estômago com se tivesse uma pedra no lugar dele, dores de rins, afrontamentos, azias, dores de garganta, picos de sinusite, dores nas pernas desde as virilhas ate la embaixo, ja para não falar nas dores de cabeça que só acalmam com o paracetamol tomado com regra. Aos poucos tenho aprendido a controlar o meu organismo. Pois eu posso ter esta doença mas ela não me tem a mim, nem pode. Contrario o corpo. E tem resultado.

Há 20 anos que vivo com receio de ter o maldito Cancro (pois para quem nao sabe as possibilidades dos cistos nos ovários se tornarem malignos ainda sao grandes com o passar dos tempos… aprendi isto quando me foi diagnosticada a doença, ainda sem ter acesso a internet). Por isso sempre fui tão cautelosa com a minha saude e com as consultas de rotina… apesar de ter tomado a pílula tempo demais por recomendação medica, mas agora o mal esta feito e não ha volta a dar. Conseguem imaginar a ansiedade de cada vez que eu tinha de ir a uma consulta de ginecologia? Pois, também não desejo a ninguém. Valia-me o meu espirito positivo e a sensação de alivio ao saber que estava tudo bem no fim de cada consulta. 

Podem participar aqui neste desafio do blog The Silver Wing da Liliana Silva.

E a vossa saude como anda? 😉

About Matilde Ferreira

So dá malucos!

Estes dois casos fazem-me lembrar um período da minha vida em que os médicos me deram diagnósticos errados em relação a minha doença. Mas será que os médicos andam todos a dormir? Andamos cada vez mais doentes e se calhar os médicos também andam a ver por esta historia passada no nosso pais e esta passada ca no UK.

Sobre o primeiro caso, quem e quem e para decidir ate que idade e que podemos ter sexo? Caramba, acho que cada um sabe de si, agora ficar impossibilitada de sexo por causa de um erro médico e ainda por cima a lei não lhe dar razão, mas que raio anda esta gente a tomar?

E o segundo caso diz-me mesmo muito pois fez-me lembrar as vezes sem conta em que eu ia de manha para as urgências do Hospital/ Maternidade de Gaia cheia de dores provocadas pelos cistos nos ovários e a medica de serviço  sem fazer quaisquer exames dizia que eram cólicas e mandava para o w.c. com um clister! Incrível não? Uma pessoa se tiver de morrer, bem morre, com esta amada de incompetentes que apesar de terem um canudo parece quem não sabem nada de nada. Lembro-me que a minha primeira medica de família, aquela que me diagnosticou a Síndrome de Ovários Policísticos me deu toda a informação disponível na altura, disse-me que eu tinha de fazer exames periódicos para controlar a doença pois corria o risco de se os cistos crescessem poderiam tornar-se   malignos, ou seja cancerígenos. Isto em 1995 onde não havia tanta informação na internet como há hoje.

Não sei qual dos casos e mais grave mas o segundo caso deixa-me a pensar seriamente no que os médicos andam a fazer.

 

 

About Matilde Ferreira

Porque rir e o melhor remedio ;)

 “…Ri-te da noite,
do dia, da lua,
ri-te das ruas
curvas da ilha,
ri-te deste rapaz
desajeitado que te ama,
mas quando abro
os olhos e os fecho,
quando os meus passos se forem,
quando os meus passos voltarem,
nega-me o pão, o ar,
a luz, a primavera,
mas o teu riso nunca
porque sem ele morreria…”

Pablo Neruda

Desde miuda que adoro rir, seja com o Herman Jose, seja com os cartoons de banda desenhada desde o Patinhas, passado pela Turma da Monica aos livros da Mafalda, ou com a rubrica das Seleçoes do Reader’s Digest

E sim, rir faz bem a saude e mesmo das melhores terapias que a vida nos pode dar 😉

 

E voces ja deram uma boa gargalhada hoje? 😉

About Matilde Ferreira

Um dia de cada vez… Reset Mood*

IMG_67486 meses, meio ano… e tanta coisa aconteceu, tanta mesmo… dias bons, dias menos bons, perdas, recuperacao…

20 anos depois de muito sofrimento, 20 anos depois de me ter sido diagnosticada esta doenca estupida…

Pois e, ha meio ano atrás estava a preparar-me  para a minha laparoscopia aos ovarios, na qual foi drenado o quisto de 4 cms do meu ovario esquerdo

Cirurgia para cisto no ovário

A cirurgia para cisto no ovário é utilizada sempre que o problema gera sintomas ou quando existem suspeitas de malignidade, podendo ser usada:

  • Laparoscopia: é o principal tratamento para cisto no ovário para quem quer engravidar, pois permite a drenagem de cistos pequenos, provocando o mínimo de dano ao ovário;
  • Laparotomia: é utilizada em casos de cisto no ovário com grande tamanho, sendo feito um corte na barriga que permite que o cirurgião observe todo o ovário e retire o tecido necessário.

Durante a cirurgia para cisto no ovário, pode ser necessário fazer retirada do ovário e das trompas, principalmente em caso de cisto maligno. No entanto, a fertilidade da mulher pode não ser alterada, caso o outro ovário continue a funcionar normalmente e, por isso, ainda pode engravidar.

As cirurgias para cisto no ovário são feitas sob anestesia geral, sendo que a paciente pode regressar a casa no mesmo dia ou no seguinte a laparoscopia, ou até 5 dias, no caso da laparotomia. Normalmente, a recuperação da cirurgia dói mais na laparotomia do que na laparoscopia, mas a dor pode ser controlada com o uso de remédios analgésicos.

IMG_6747

 

Seis meses, meio ano, seis meses de esperanças, incertezas, dores, miminhos e amanha será o reinicio de um futuro melhor 🙂 🙂 🙂collage_20150507151419080_20150622125711598

I’m ready! Let’s Go 😉

Alguem de voces ja fez esta cirurgia?

Ou sofre de Sindrome de Ovarios Policisticos?

Fiquem com a entrevista que dei a querida Soraia do http://girlthings-coisasdemiudas.blogspot.co.uk/ no inicio do mes 🙂

http://girlthings-coisasdemiudas.blogspot.co.uk/2015/06/a-sop-na-primeira-pessoa-entrevista.html

Porque e preciso passar a palavra, pois a SOP e uma doenca muito silenciosa…

 

 

 

About Matilde Ferreira