Desafio Gratidão| Semana 48: A Casa

Foto da minha autoria

Home is where the heart is

Ja devem ter reparado que adoro falar neste por aqui. Casa é lar, o nosso Porto Seguro. Sabem aquela sensação boa do regresso a casa? Eu adoro. Sair de casa é bom, arejamos, estamos com pessoas, vivemos experiencias, mas voltar da-nos uma sensação de conforto tão bom.

Em miuda tinha um medo muito grande de ficar sem casa. De viver como sem-abrigo… deve ser das experiências mais tristes que um ser humano é obrigado a passar 🙁 Ficar sem tecto, sem o sitio onde nos sentimos protegidos. Deve ser horrível. Tinha muito medo que o mar chegasse a casa dos meus pais, apesar de ainda morarmos a meia hora a pé, eu via-o da janela do meu quarto e tinha esse receio muito aflitivo… Ainda hoje tenho receio de acidentes domésticos, catástrofes naturais, coisas que podem fazer com que eu fique sem o nosso Porto de Abrigo, o lugar onde nos sentimos bem com os nossos.

Este desafio foi criado pelo blog The Silver Wing

E voces gostam da vossa casa? 🙂

About Matilde Ferreira

3+1| Em Casa

Imagem da minha autoria

“Casa é onde o coração está”

Adoro esta frase. Gosto de sair casa mas o regresso é sempre tão bom. 🙂

Em Londres sinto-me em casa da mesma forma com me sentia no Porto. Talvez por serem cidades tão parecidas, dai eu chamar-lhes de irmãs. Ja morei em  4 casas. E em todas elas sempre me senti segura. 🙂

E nem de propósito estamos na altura do ano em quem mais prazer me da estar em casa. Seja a ler um livro no sofá enrolada numa manta quentinha enquanto bebo uma caneca de chã, ou a ver uma serie ou filme agarradinha a ele. Ou a brincar com o filhote no quarto dele, ou na nossa cama a brincar com as almofadas e depois adormecer agarradinha a ele. Gosto de sair bem agasalhada e ir ate ao parque mas o regresso a casa é sempre reconfortante. Gosto de convidar amigos para virem ca a casa jantar e beber um bom vinho, e termos conversas tão interessantes que não queremos que se vao embora. 🙂

Vivi grande parte da minha vida ao pe do mar, no campo. Aos 30 anos mudei-me para a cidade à beira-rio, e desde aí sempre vivi na cidade. Depois emigramos para a grande cidade, ainda mais distante do mar, e continuo a gostar de morar na cidade. Quando sinto falta do mar, se se proporcionar vamos ate ele que fica a hora e meia de distancia. Mas sinto-me tao bem que tudo compensa essa distancia. Se formos realmente felizes interiormente tudo o resta fica mais fácil.

Em Maio de 2017 mostrei a nossa anterior casa aqui no cantinho da Cris Loureiro.  E agora mostro-vos a nossa casa actual. Gosto muito das áreas dela. Tem 2 arrumos, 2 casas de banho e um terraço onde o Lu adora brincar. Ah e sabem temos um jardim e terraço comunitário. Gosto bastante desta casa por situar num sitio cheio de Historia para a Musica, aqui na Old Vinyl Factory como contei aqui à Teresa.

Imagens da minha autoria

Gosto de tudo nesta casa, dos seus cantinhos acolhedores, das suas áreas, das janelas grandes por onde entra a luz do sol logo pela manha. Do meu cantinho predilecto junto a porta do terraço. Do cantinho preferido dele, do Lu, onde ele conta historias do faz-de-conta.  Gosto do nosso estilo minimalista, do branco das paredes e da mobília escolhida por nos. Gosto do parquinho pequenino que temos no jardim comunitário la embaixo. Gosto da zona rodeada por parques tranquilos e inspiradores.

Em todas as casas que ja moramos, dissemos: aqui vamos ser felizes, e sempre fizemos por isso, pois acho que isso é essencial para fazer da nossa casa um verdadeiro lar, seja onde for.

E voces, preferem uma casa ou um lar? 🙂

About Matilde Ferreira