Tag Archives: Juice Final

JuizoFinal…

Ja por aqui falei que o mundo acaba para quem morre, como diz a minha querida mãe. Parece que no dia 22 de Janeiro de 2015, fez esta passada segunda-feira 3 anos,  foi o dia do Juízo Final de acordo com esta e esta noticia… e o que é certo é que ainda ca andamos, resta saber por quanto tempo 😛

Doomsday Clock – O Relógio do Juízo Final] ou Relógio do Apocalipse (no original em inglês: Doomsday Clock) é um relógio simbólico mantido desde 1947 pelo comitê de diretores do Bulletin of the Atomic Scientists da Universidade de Chicago. O dispositivo utiliza uma analogia onde a raça humana está a “minutos para a meia-noite“, onde a meia-noite representa a destruição por uma guerra nuclear.

Desde sua introdução, o relógio vem aparecendo na capa de cada exemplar do Bulletin of the Atomic Scientists. A primeira representação do relógio foi produzida em 1947, quando a artista Martyl Langsdorf, esposa do físico Alexander Langsdorf Jr. (que trabalhou no Projeto Manhattan), foi convidada pelo co-fundador da revista Hyman Goldsmith para desenhar uma capa para a edição de Junho.

O número de minutos para a meia-noite, uma medida do nível nuclear, de aparelhamento e tecnologias envolvidas, é atualizado periodicamente.

O efeito Trump tem afetado o relógio, tanto que acrescentou 30 segundos desde que começou a governar.

Este assunto dava pano para mangas, e recomendo verem o documentário da RTP 2077 – 10 segundos para o futuro acreditem que vão fiar a pensar muito no quanto a humanidade desde que aconteceu a revolução industrial anda a fazer ao nosso querido planeta.

5 TEORIAS DO DOOMSDAY ACERCA DO UNIVERSO

1- O Universo EternoAh, a noção antiga de que o universo sempre foi – e sempre será. Este é um dos primeiros conceitos que os seres humanos criaram sobre a natureza do universo, mas há uma nova rotação nesta teoria que parece um pouco mais, bem, sério.
Em vez de a singularidade do Big Bang ser o início do tempo em si, o tempo poderia ter existido antes (por uma eternidade anterior), e a singularidade e o golpe resultante poderiam resultar da colisão de duas branas (estruturas semelhantes a folhas que se formam em um plano superior de existência).
Neste modelo, o universo é cíclico e continuará expandindo e contratando para sempre. Podemos saber com certeza nos próximos 20 anos – temos um satélite (o satélite Planck) que agende o espaço para padrões em radiação de fundo que as teorias proeminentes sobre a origem do universo prediz.

É um processo longo, mas uma vez que temos esse padrão de radiação, poderíamos entender melhor como nosso universo começou – e como ele vai acabar.

2- Evento de Metastabilidade ao Vácuo: Esta teoria depende da idéia de que o universo existe em um estado fundamentalmente instável. Se você olha os valores das partículas da física quântica, alguns sugerem que nosso universo está a balançar na beira da estabilidade. Alguns cientistas teorizam que há bilhões de anos, o universo vai se derrubar.
Quando isso acontece, em algum momento do universo, uma bolha aparecerá. Pense nisso como um universo alternativo (embora seja realmente o mesmo universo com propriedades diferentes). Esta bolha se expandirá em todas as direções à velocidade da luz e eliminará tudo o que ela toca. Eventualmente, essa bolha irá destruir tudo no universo.
Mas não se preocupe: o universo ainda estará lá. As leis da física serão diferentes, e pode haver vida. Mas o universo não seria qualquer coisa que pudéssemos compreender.

Os cientistas acham que provavelmente seria muito mais aborrecido, e até postulou que para que a vida exista, o universo pode ter que existir nessa vantagem.

3- A Barreira do Tempo: Se tentarmos calcular probabilidades em um multiverso (onde existem universos infinitos, cada um um pouco diferente), enfrentamos o mesmo problema que o universo infinito: tudo tem 100% de chances de ocorrer.
Para resolver este problema, os cientistas tomam uma seção do universo e apenas calculam probabilidades para isso. Isso faz com que os cálculos funcionem, mas os limites que eles desenham invariavelmente cortam seções de universos nas bordas externas da amostra, da mesma forma que você pode cortar partes do Texas se você desenhou um círculo em um mapa dos EUA.
Como as leis da física não fazem sentido em um multiverso infinito, a única forma como esse modelo faz sentido é se esse limite é um limite real e físico que nada pode expandir além. E de acordo com a física, nos próximos 3.7 bilhões de anos, atravessaremos essa barreira do tempo, e o universo acabará por nós.

Agora, é muito provável que simplesmente não tenhamos a compreensão da física para descrever com precisão esse fenômeno ainda, mas certamente é uma perspectiva assustadora.

4-Não será (porque vivemos em um multiverso): Se tentarmos calcular probabilidades em um multiverso (onde existem universos infinitos, cada um um pouco diferente), enfrentamos o mesmo problema que o universo infinito: tudo tem 100% de chances de ocorrer.
Para resolver este problema, os cientistas tomam uma seção do universo e apenas calculam probabilidades para isso. Isso faz com que os cálculos funcionem, mas os limites que eles desenham invariavelmente cortam seções de universos nas bordas externas da amostra, da mesma forma que você pode cortar partes do Texas se você desenhou um círculo em um mapa dos EUA.
Como as leis da física não fazem sentido em um multiverso infinito, a única forma como esse modelo faz sentido é se esse limite é um limite real e físico que nada pode expandir além. E de acordo com a física, nos próximos 3.7 bilhões de anos, atravessaremos essa barreira do tempo, e o universo acabará por nós.

Agora, é muito provável que simplesmente não tenhamos a compreensão da física para descrever com precisão esse fenômeno ainda, mas certamente é uma perspectiva assustadora.

5- O Fim do Tempo: Se alguma coisa é eterna, certamente é tempo. Se existe um universo ou não, o tempo tem que se encantar. Caso contrário, não haverá maneira de discernir um momento a partir do próximo. Mas e se o tempo perder o impulso e simplesmente congelar? E se não houvesse mais momentos? Apenas no mesmo instante. Para sempre.
Suponhamos que vivamos em um universo que nunca termina. Com uma infinita quantidade de tempo, tudo o que poderia acontecer tem uma probabilidade de 100% de acontecer. O mesmo paradoxo acontece se você tem a vida eterna. Você vive um tempo infinito, então tudo o que é possível é garantido que aconteça (e acontece um número infinito de vezes).
Assim, se você viver para sempre, as chances de você ficar permanentemente incapacitado de algum jeito chegam a 100 por cento, e você passa a eternidade por meio da escuridão do espaço. Porque isso desperdiçou muitos cálculos que tentam prever os resultados em nosso universo (como as figuras atrás da energia escura), os cientistas teorizaram algo mais: esse tempo em si deve eventualmente parar.

Supondo que você ainda estava vivo para experimentar isso (em bilhões de anos, muito depois que a Terra se foi), você nunca perceberia que nada estava mal. O tempo acabaria de parar e, segundo os cientistas, “então tudo ficará congelado, como um instantâneo de um instante, para sempre”.
Mas não seria realmente para sempre, já que o tempo não iria avançar. Seria apenas um instante no tempo. Você nunca morreria. Você nunca envelhecerá. Seria uma espécie de pseudo imortalidade. Mas você nunca saberia.

Deixo-vos com um pensamento: Mas se não damos valor a este planeta, para quê pensar em habitar outros? Para fazermos o mesmo que fizemos e estamos a fazer a este? 🙁 Marte, para ser habitavel  precisa de uma coisa que a Terra tem em abundância: efeito de estufa. Vamos fazer-lhe o mesmo estrago que fizemos a este paraíso chamado Planeta Azul? 🙁 A maior parte da Humanidade mata em nome de um Deus pois crê que vão alcançar o Paraíso depois da morte mas esquecem-se que o verdadeiro Paraíso é este planeta e esta Vida que nos temos.

Ate quando vão continuar a existir mais pessoas a sujar do que a limpar?

Deixo-vos o estado actual da margem do Canal aqui da zona, o Grand Union Canal, o maior do Reino Unido…

Deixo-vos com esta pérola 😀

E voces, em que é que acreditam? 😉

 

 

 

 

About Matilde Ferreira