Conversas às Quartas com Ana Rita Correia| “Tudo O Que Eu Sempre Quis” Review

 

Foto da minha autoria – livro da Ana Rita Correia “Tudo o que eu sempre quis”

Conhecem aquele sentimento de quando estamos a ler um livro e não queremos termina-lo porque estamos a ter muito carinho pelas personagens? Pois foi mesmo isso que me aconteceu ao ler o livro da Ana Rita Correia. Tudo o que sempre quis é uma lufada de ar fresco que conta a historia de 5 jovens: Salvador, Lucas, Helena, Sara e Martim. O meu personagem preferido é mesmo o primeiro pela sua coragem ao encarar as situações…

A autora: Ana Rita Correia

“Ana Rita Correia nasceu no coração do Ribatejo, Santarém, a 13 de maio de 1993. Aos 14 anos descobriu que a leitura lhe proporcionava um escape para uma dimensão diferente, fazendo-a esquecer o que a rodeava. Fã incondicional de Nicholas Sparks, depressa decidiu que queria contar historias. Queria escrever livros. Dez anos depois os cadernos de capa preta com as pequenas historias que escrevia,  deram lugar a livros impressos. Continua a mesma leitora compulsiva, sobretudo para escapar ao stress do dia-a-dia da sua profissão como designer de interiores e exteriores. ” retirado do livro da Rita “Tudo o que sempre quis”

Imagem da minha autoria

1- Para acompanhar esta conversa… chá de…?

Não sou fã de chá mas opto por qualquer saber fora do normal. Talvez morango ?

2- Bolo ou biscoitos? 

Ambos, é uma escolha difícil ehehe

3- Como surgiu a ideia de escrever este livro?

A ideia surgiu assim do nada, depois de já ter largado um outro livro a meio. Ao início era para ser apenas uma pequena história e nunca pensei que chegasse onde chegou. Dava por mim a querer completá-la um pouco mais a cada página que escrevia. Achava que as personagens tinham muito para contar.

4- Onde foste buscar inspiração?

Inspirei-me nas pessoas que passaram pela minha vida, nas que partiram e nas que ficaram. A história em si é ficção mas as personagens são baseadas em pessoas reais, tal como os locais. Para quem já leu, a Sra Dª Rosário é uma versão de uma senhora nazarena que me é muito querida que eu chamo de avó. A pizzaria onde o Martim trabalha é uma versão melhorada do Mr Pizza da Nazaré. O avô dos irmãos (Salvador, Lucas e Helena) faleceu da mesma forma que o meu avô… A essência da história é ficção, mas tem pequenos pormenores tão meus que só quem me conhece bem dá por eles. As personagens são ficção, mas têm sempre algo em comum com as pessoas que cruzaram a minha vida. De certa forma sinto que este livro os está a homenagear, a imortalizar. Daí ser tão especial para mim, não só por ser o primeiro.

5- Qual ou quais é/são a/s tua/s personagens preferidas?

Adoro todos mas sem dúvida que o Lucas é o meu preferido, apesar de não ter explorado muito a sua história, é uma personagem que nos dá esperança. A mim dá. E faz-me acreditar que tudo é possível.

6- Para quando um próximo livro?

Se tudo correr bem, Abril do próximo ano.

7- Como te imaginas daqui a 10 anos?

Parece clichê mas imagino-me com a minha própria família e uns quantos livros escritos, algumas viagens feitas e feliz pela pessoa que espero vir a tornar-me junto das pessoas que mais amo.

8- O que mais gostas de fazer nos teus tempos livres? 

Para além do óbvio (escrever) adoro ler. Ouvir música, fotografar, pintar, conhecer locais e pessoas novas…

9- O que é ser blogger para ti?

Para mim ser blogger é partilhar um pouco de mim com as pessoas que me acompanham e que por vezes tanto carinho me dão mesmo de tão longe.

10- O que gostarias de dizer aos teus seguidores e leitores? 

Nunca desistam dos vossos sonhos. Pode nem sempre ser fácil – nunca é. – Pode nem sempre se calhar valer a pena mas arrisquem, experimentem, não tenham arrependimentos por não terem tentado. Valem mais arrependerem-se por terem tentado e não ter resultado. Vivam a vossa vida, esqueçam o ruído de fundo e sejam felizes à vossa maneira, a fazer aquilo que mais prazer vos dá. Vivam, sorriam e sejam felizes, todos os dias.

Obrigada, querida Rita por teres aceite o convite para esta agradável conversa 🙂 Desejo-te muito sucesso e jamais deixes de sonhar com historias tão bonitas como esta 🙂

Se ainda não leram o livro da Rita, recomendo que o façam pois é uma leitura leve e ao mesmo tempo intensa que vos fazer fazer ficar a pensar… e se fosse eu? 😉 Aproveitem agora o Natal para oferecer um presente a vocês mesmo, e ja agora a outra pessoa especial 😉

 

About Matilde Ferreira

Desafio Gratidão| Semana 44: A Liberdade

Foto da minha autoria – S.Miguel, Açores – Outubro 2018

Prezo muito a minha liberdade. Ja falei dela aqui muitas vezes. É ao pé do mar que me sinto mais livre. Desde sempre.

Imagem retirada do facebook

Eu preservo bastante a minha liberdade de expressão. Por tudo o que aprendi e continuo a aprender. Respeito mesmo muito o direito que nos foi devolvido, a nós portugueses, no 25 de Abril. Tenho perfeita noção do que partilho nas redes sociais, e penso antes de dizer seja o que for. Tenho perfeita noção de que a internet é um bem necessário quando bem usada. Perdoem-me a redundância. Uma coisa que não entendo, é que quanto mais informação existe, parece que mais ignorantes as pessoas são… Não percebo, a serio. Alguém que me explique como se eu fosse o meu filhote. Eu cresci sem internet e aprendia tanto. Tinha tv com coisas interessantes, enciclopédias, livros. Aprendi tanto e continuo a aprender. Gosto tanto.

Ler dá-me liberdade para explorar a minha imaginação. Deixo-me levar para bem longe nas asas das palavras. Fico de alma leve e de coração cheio.

Fico triste com o que está neste momento a acontecer no Brasil, porque me preocupo com os problemas do mundo desde sempre. Não consigo imaginar um povo sem liberdade de escolha e de opinião. É incrível que esta questão ambiental do mundo ja me preocupa desde os tempos da escola. Ou seja há mais de 20 anos e nada mudou, muito pelo contrario so piorou. 🙁

Haverá coisa pior do que a censura da nossa liberdade de expressão?…

Imagem retirada do facebook

Este desafio foi criado pelo blog The Silver Wing

O que mais gostam e agradecem na vossa Liberdade? 🙂

About Matilde Ferreira

Desafio Gratidão| Semana 43: O Sabor

Gosto de experimentar novos sabores, adoro o agridoce, misturar o doce com salgado. Um dos meus snacks preferidos de sempre é misturar batatas fritas de pacote com iogurte. Sabe-me mesmo bem. Gosto mais de salgados do que doces. Sempre foi assim na hora de pedir o lanche numa confeitaria  Que saudades dos pasteis de chaves, dos lanches mistos e dos Paes com chouriço. Prefiro salgados mas não gosto da comida muito salgada, nos últimos tempos ando a trocar o sal por alho que para além de dar mais sabor é mais saudável. Ainda não ponho são nas sopas  do Lu, comecei a por alho e ele adora 😉

Foto da minha autoria

Foto da minha autoria

E por falar em sabores, estamos na época dos melhores sabores da vida, os sabores de Outono. Perco-me com castanhas assadas, disparos docinhos, maça assada com canela ou marmelo… com vinho do Porto. Que maravilha! E por falar nisso tenho ali duas abóboras para fazer parte delas. Brevemente postarei a receita 🙂

Este desafio foi criado pelo blog The Silver Wing.

Quais são os vossos sabores preferidos? 🙂

About Matilde Ferreira

1 + 3 | Os Líderes de Hoje

Costumo dizer que não tenho perfil para chefe pois não gosto de mandar. Na escola nunca gostei muito de trabalhos de grupo pois sentia sempre que não era muito justo uns ficarem com os louros de quem trabalhava. E depois em adulta na vida profissional sempre fui mais de ajudar e fazer no meu trabalho em paz e sossego. Mas desde que vim para o UK que me fui apercebendo de que afinal o trabalho em equipa com um bom líder poder ser muito benéfico e proveitoso. E fico a pensar que afinal o mal está nas mentalidades antiquadas em Portugal… Lembro-me que o meu chefe dizia-me muitas vezes para eu ter cuidado pois estava perto de fazer 35 anos, segundo ele a idade limite para ser mais difícil de arranjar emprego. Acham que isto é coisa que se diga a uma funcionaria? Na minha terra isto chama-se “pressão psicológica“. Se fosse aqui no UK ele corria o risco de ser processado pois vai contra a ética profissional. Isto não é ser um bom líder. Um bom líder apoia, incentiva, organiza as suas equipas. E isto vai de encontro a que estou a estudar: Agile. Uma ferramenta, metodologia criada pela Toyota em 1980 com vista a ajudar na organização das suas equipas para melhorar o seu rendimento. Se todas as empresas praticassem este método ficavam a ganhar muito mais. Mas acredito que um dia todos conseguiam apesar de ainda haver um longo caminho a ser desbravado. Da minha parte estou a preparar-me para ajudar nesse sentido.

Imagem desafio criado pelo blog Thirteen da Carolina

Falemos agora de lideres nos governos. Com esta situação das eleições no Brasil que ja falei aqui dou por mim a constatar que estamos completamente entregues à bicharada. Não só no Brasil, mas nos USA com o Trump, aqui com o Brexit e em Portugal com a geringonça… cada vez chego mais a conclusão de que os políticos se aproveitam do desespero a que levam os próprios povos e depois estes ficam de tal forma iludidos caem que nem patinhos nas promessas falsas dos primeiros. Eu neste momento não sei em quem votar em Portugal. cansei de partidos, quero pessoas inteiras de alma e coração a governarem-nos. Porque nós precisamos de governos, caso contrario instala-se o caos. O mundo  não precisa de Trumps, nem de Bolsonaros, nem de Putins, nem de Brexits… o mundo precisam de Homens com H grande que unam as pessoas em vez de as separar. Porque juntos somos mais fortes!

 

About Matilde Ferreira

Desafio Gratidão| Semana 42: A Fotografia

Quem me segue por aqui e no meu Instagram sabe que eu sou uma apaixonada por fotografia. Adoro captar cada detalhe, cada pormenor. 🙂

Gosto muito de fotografar o meu filhote, o meu marido, a Natureza… perco-me com nasceres-do-sol e pores-do-sol… Perco-me a observar e a registar tudo e mais alguma coisa. Uma imagem vale mais que mil palavras é uma frase que me diz muito.

Costumo pensar que os meus olhos são como uma câmara fotográfica, penso assim desde pequenina. Parece que tenho uma câmara dentro da minha mente que através dos meus olhos vai fotografando tudo. 🙂 Serei só eu a pensar assim?

Deixo-vos com uma das muitas fotografias do meu telemóvel, tirada recentemente nas nossas ferias em terras açorianas.

Fotografia da minha autoria – Lugar do Rosto do Cão, Ponta Delgada, S. Miguel – Açores

Este desafio foi criado pelo blog The Silver Wing.

E voces gostam de fotografar? O que mais gostam de fotografar? 🙂

About Matilde Ferreira