O Meu Pai

O meu pai era um homem simples e humilde, com os seus defeitos como qualquer ser humano. das melhores recordações que tenho é do meu pai gravar-me a cantar as musicas das Doce, O Sobe sobe balão sobe da Manuela Bravo, Eu vi um sapo entre outros êxitos da minha infância. 🙂

O meu pai não tinha muito mas sempre fez tudo para não deixar faltar nada à sua familia. Eu adorava ir com ele ao Hospital São João, no 78, sempre que ele ia dar sangue, e no fim as enfermeiras davam-me sempre um lanchinho, um pacote de bolachas maria e um sumo ou leite achocolatado 🙂 Sabia pela vida 🙂

O meu pai trabalhou a vida toda para não faltar nada à sua familia, e chegou à idade da reforma o trabalho deu-lhe um cancro na bexiga fruto dos anos em que andou a inalar vapores dos vernizes que usava devido à sua profissão como polidor de moveis, sem qualquer tipo de proteção. 🙁 Antes de ser operado o meu pais, que nunca teve medo de hospitais, estava com receio e eu disse-lhe ao telefone, daqui de Londres, que ia tudo correr bem, sempre com o meu optimismo natural. E correu, a operação foi um sucesso, conseguiram remover o cancro sem causar danos, pois este ainda estava na fase inicial mas o pior veio depois… o meu pai não resistiu a uma infecção hospitalar e acabou por não resistir… deixaram-no morrer sozinho e o pior, mandaram-no para a morgue sem insistirem em avisar os familiares 🙁 O Meu Pai nao merecia ser tratado assim depois de tanto ter contribuído para o o SNS com 40 de dador de sangue.

O meu pai faleceu ha quase 7 anos, 1 ano antes do nascimento do neto, Louis. Demos-lhe este nome em homenagem ao vô Luis que será sempre a estrelinha que guia o neto. E sabem o que mais? É isso que conforta o meu coração 🙂

About Matilde Ferreira

10 thoughts on “O Meu Pai

Leave a Reply