Dear Meghan…

…acredita que eu sei bem o que sentes. Foste mãe aos 38, e eu aos 39. Lutei muito para o ser, sabias? Ao contrario de ti não sou famosa, felizmente, e nem quero. Imagino que não seja fácil, acredito mesmo que não seja nada fácil, mas lembra-te que foste bem acolhida pela Rainha, tens uns cunhados espectaculares que te dão todo o apoio e também passam pelo mesmo em relação aos media. Eu sei que não somos todos iguais, todos nos temos as nossas fraquezas e inseguranças, mas acredita que é nos piores momentos que vamos buscar forças para seguir em frente. Pelo menos tens pessoas perto de ti que te apoiam. Acredita, eu estou sozinha aqui com o meu marido. So nos temos um ao outro e ao nosso filhote. Não é fácil mas damos sempre a volta a cada dia que passa.

About Matilde Ferreira

6 thoughts on “Dear Meghan…

  1. Andreia Morais

    Nem todos vivemos as situações da mesma força, por isso, há coisas que acabam por nos doer mais. A base de apoio até pode ser fantástica, mas, ainda assim, faltar qualquer coisa. E a parte em que ela agradece por ele, efetivamente, lhe perguntar como ela está é de cortar o coração

    1. Matilde Post author

      Precisamente o que eu disse, precisamente pot nao sermos todos iguais nao vivermos todos as coisas da mesma forma é que devíamos pensar em quem estamos a influenciar… com bom senso, se pela negativa ou positiva… complicado? Pois as pessoas tendem a complicar o simples… 🙁 Eu fiquei sozinha no primeiro mes do meu filhote porque o pai fez uma viagem em trabalho aos EUA e so eu sei o que me custou, mas dei a volta e arranjei forma de seguir em frente pelo meu bebe e por mim 🙂

  2. Vera Benavente

    Surpreendeste-me muito pela positiva. Apesar de saber que não vais à bola com a Meghan gostei muito do teu texto.
    Eu não estou sozinha, tenho amigos que me ficam com a miúda a dormir para nós irmos jantar de vez em quando e a minha prima também mas não é igual a ter os nossos pais… É difícil!
    Por acaso as minhas amigas diziam-me frequentemente “És a única que pergunta sempre como eu estou” e só mais tarde me apercebi que as pessoas, não sendo por mal, como que se esquecem de perguntar como vai a mãe e o pai também…

    1. Matilde Post author

      Eu entendo-a, acredita que a entendo… e sinto mesmo muito por tambem ter e continuar a passar pela mesma situação como mae emigrante 🙁 Nos temos amigos mas estao longe, so podemos contar mesmo connosco. Nao e facil mas nos vamos dando a volta, um dia de cada vez 🙂

Leave a Reply