Festival da Canção RTP 2018

Longe vão os tempos em que eu ficava acordada a ver o Festival da Canção… mas a partir do momento em que entrei na idade adulta deixei de ver. Depois da primeira fase ter decorrido na semana passada, deixo-vos esta analise deste podcast feito pela Joana Marques da Antena 3

E apesar de concordar com tudo o que foi dito no podcast de cima… dei por mim a gostar desta canção apesar dos pesares… confesso que o que mais gostei dela foi da letra 🙂

Conduzimos dias a fio

Naquela estrada perdida

E não chegamos nunca

Porque a viagem era o destino

O tempo é escasso 

Ja só temos meia vida

Se andarmos pra tras

Perdemos o que vem

E tu quem me dizes amor

De nunca parares de existir 

Assim possa viver sem pensar

Que podes um dia não estar 

Refrão:

Ha tantas coisas boas

E uma delas é estares perto 

De que servem dez Lisboas

Se me sinto no deserto… 

O dia em que entenderes o meu olhar

É o dia em que eu vou deixar de te amar

E tu que me dizes amor, de nunca parares de existir

Assim posso viver sem pensar 

Que podes um dia não estar… 

Refrão 

Parece que a RTP guardou o melhor para o fim, pois esta segunda fase que decorreu este domingo foi sem duvida cheia de surpresas das boas 🙂 pela primeira vez, se não estou em erro tivemos duas canções em inglês o que eu acho muito bem pois apesar de gostar muito da nossa língua acho que ja esta mais do que na hora de usarmos a língua universal como faz a maioria dos países intervenientes no Festival da Eurovisão 🙂

E o grande vencedor da noite foi mesmo o Diogo Piçarra, em jeito de premonição para a grande Final, o jovem cantor arrecadou 24 pontos do júri e do publico 🙂 A musica não é de todo festivaleira mas é muito bonita, simples e com um letra incrível, e so o facto de ter violinos ja me tocou a alma 🙂 Na minha humilde opinião ja ganhou a Eurovisão pois é muito melhor do que a do Salvador Sobral…

De costas para o mar
A tua miragem
Não há amor que dure
E tristeza que passe
Tu olhas para tudo
E não vês nada
Só o teu futuro
Na ponta da arma
Podem fazer muros
Mas não tapam a alma
Tu olhas para tudo
E não vês nada

Eu sou nada
Mas eu consigo tudo
E mesmo no escuro
Irei sempre as claras

Tu olhas para tudo
E não vês nada

Como disse acima fiquei muito contente por finalmente haverem duas musicas cantadas em Ingles, afinal de contas é a língua universal e trata-se de um evento a nível continental, logo faz todo o sentido fazermos como a maioria dos países participantes, e não, aqui não se trata de patriotismos 🙂

As minhas preferidas foram:

Canção n.º 3: Sequin – “All Over Again”

Canção n.º 8: Minnie & Rhayra – “Patati Patata”

Canção n.º 11: Lili – “O Voo das Cegonhas”

Canção n.º 12: Daniela Onís – “P’ra Lá do Rio”

Canção n.º 13: Peter Serrado – “Sunset”

E os finalistas são:

Canção do Fim – Diogo Piçarra – 24 pontos
O Jardim – Cláudia Pascoal – 20 pontos
Bandeira Azul – Maria Inês Paris – 12 pontos
Patati Patata – Minnie & Rhayra – 10 pontos
O Voo das Cegonhas – Lili – 10 pontos
Amor Veloz – David Pessoa – 9 pontos
Sunset – Peter Serrado – 9 pontos

E os momentos da noite para mim, que me fizeram regressar a minha infância foram o tributo ao saudoso Carlos Paião com estas 3 musicas que me dizem muito pois eu andava sempre com um microfone e o meu raio gravador a pilhas atras de mim a cantarola-las em casa dos meus avos 🙂

 

E para finalizar o Verdadeiro Artista fechou as actuações com chave de ouro 🙂

Deixo-vos com os vencedores do Festival da Canção ao longo dos anos 🙂

E voces que recordações têm do Festival da Canção da RTP? Viram as duas eliminatórias? Qual é a vossa canção preferida? 🙂

 

 

About Matilde Ferreira

BAFTA 2018

E a antevisão dos Oscares aconteceu na semana passada ca na ilha 🙂 Falo-vos dos BAFTA Awards 🙂 que contou com a apresentação da famosa actriz de comedia Joanna Lumley uma vez que Stephen Fry foi recentemente diagnosticado com cancro… espero que recupere rápido.

Sem mais demoras deixo-vos com o vencedor da noite que arrecadou a maior parte das estatuetas, ainda tive a oportunidade de ver mas quero muito fazer-lo assim que esteja disponível hehe 🙂

Quanto aos looks estes são os meus preferidos, seguindo a velha máxima “com um vestido preto nunca me comprometo” como forma em apoio às campanhas Time’s Up e Me Too contra o assédio sexual

Ja viram o filme? 😉 E o que acharam desta forma de protesto das actrizes? 🙂

About Matilde Ferreira

Apanhados…

Corria o ano de 2005, salvo erro, eu chegava ao escritório e as minhas colegas estavam a começar o dia a dar risadas a ver estas pérolas 😀 Começar o dia a rir faz tão bem e das melhores recordações que tenho daquela empresa hehe 😀

Os primórdios da internet do inicio do novo milênio eram tão fixes 😀

A minha preferida era da Dona Helena com o seu copinho de vinho do Porto na mao 😀 ah e senhora dos chineses, e a da humidade 😀 hehe 🙂

E voces, também se lembram dos apanhados? Qual era o vosso preferido? 🙂

About Matilde Ferreira

A song to… go for a walk

Sempre que quero ir fazer uma caminhada ponho esta musica na minha playlist e parece que tudo flui muito melhor 🙂 Esta musica transmite boas vibes e isso é tão bom 🙂 Por vezes tenho de me conter para não dançar no meio da rua ou do parque hehe 😀

Walking on the Sunshine é uma musica de 1983 da banda Katrina & The Waves 🙂

I used to think maybe you loved me now baby I’m sure
And I just can’t wait till the day when you knock on my door
Now every time I go for the mailbox, gotta hold myself down
‘Cause I just can’t wait ’til you write me you’re coming around
I’m walking on sunshine (Wow!)
I’m walking on sunshine (Wow!)
I’m walking on sunshine (Wow!)
And don’t it feel good
Hey, alright now
And don’t it feel good, hey
I used to think maybe you loved me, now I know that it’s true
And I don’t want to spend my whole life, just waiting for you
Now I don’t want you back for the weekend
Not back for a day, no no no
I said baby I just want you back
And I want you to stay (Oh yeah now!)
I’m walking on sunshine (Wow!)
I’m walking on sunshine (Wow!)
I’m walking on sunshine (Wow!)
And don’t
E voces gostam de fazer caminhadas? Qual e a vossa playlist? 🙂
Bom domingo 🙂

 

About Matilde Ferreira

Uncommon Type – Some Stories by Tom Hanks

Um conjunto de historias escritas e contadas pelo meu actor preferido, Tom Hanks. Adormecer a ouvir a voz deste grande senhor é das coisas mais relaxantes que se pode ter. Em relação aos audio-books primeiro estranhei e agora adoro estou rendida à app da Amazon, a Audible. Eu sei, eu sei que não ha nada melhor do que folhear e sentir um bom livro mas acreditem que da muito mais jeito na vida de uma mãe que adora ler e tem pouco tempo. 😛 

Uncommon Type – Some Stories by Tom Hanks  ouçam e deixem-se levar pela voz do actor. Adoro a forma como ele encarna em personagens latinas 🙂

Deixo-vos com algumas citações:

I made pulled-pork burritos. She drank wine. I drank beer. She started a fire in my Franklin stove, saying she felt like a pioneer woman on the prairie. We sat on my couch as night fell, the only lights being the fire and the audio levels on my sound system bounding from green to orange and, occasionally, red. Distant sheet lightning flashed in the storm miles and miles away.

“You know what?” she said to me. “It’s Sunday.”

“I do know that,” I told her. “I live in the moment.”

“I admire that about you. Smart. Caring. Easygoing to the point of sloth.”

“You’ve gone from compliments to insults.”

“Change sloth to languorousness,” she said, sipping wine. “Point is I like you.”

“I like you, too.” I wondered if this conversation was going someplace. “Are you flirting with me?”

“No,” Anna said. “I’m propositioning you. Totally different thing. Flirting is fishing. Maybe you hook up, maybe you don’t. Propositioning is the first step in closing a deal.”

E voces têm por habito ouvir audio-books? 😉

About Matilde Ferreira