Aquela vez em que…

…num dia quente de Verão, saí do comboio e sigo rua acima, com as minha sandálias de plataforma, a estrear da Zara, sem presilhas, tipo socas. Estava muito calor, era raro usar mini-saia mas naquele dia, teve de ser. Ja a meio do percurso, aqui a je, desequilibra-se em frente a um prédio em obras, vá la que os meus bons reflexos não me impediram de levar com os piropos de chacota do trolhas armados em espertos. E para não passar mais vergonhas, tirei as sandálias e e segui descalça para casa, recebendo aplausos dos ditos trolhas 😛

Nunca me senti muito a vontade com elogios… muito menos com piropos, mas ate que me sai bem, não? 😛 As vezes conseguimos surpreender-nos a nos próprios quando menos esperamos 😉

 

 

About Matilde Ferreira

11# Desafio Palavras [quase] perfeitas: Silêncio| Silence

Às vezes, no silêncio da noite…

Com o tempo tenho aprendido que o Silêncio é a melhor resposta. Não é à toa que dizem que ele costuma ser de ouro, e é bem verdade. Já por aqui tenho falado muito dele, aqui e aqui. Esta é a 11a palavra do Desafio das Palavras quase Perfeitas criado pela Cris Loureiro

Desde miúda que sempre preferi o silencio. Quantas vezes dei por mim à noite empoleirada no muro do patamar de casa dos meus pais, a admirar as estrelas e saborear o silencio.

Faz-me bem. Gosto de sentir a casa inundada por um silencio calmo e profundo e ficar a admirar o meu Lu a dormir. Faz-me bem à alma 🙂

E ate na musica podemos encontrar o silencio como podem por estas:

E voces, o que mais apreciam no Silencio? 🙂

 

 

 

About Matilde Ferreira

Bons tempos… Colecção de rabiscos :)

…corria o ano de 1996, em que eu andava à procura de emprego no Porto e aproveitava para explorar a cidade. Sempre ou quase sempre a pé. Lá ia eu. Avenida de Fernão Magalhães acima ate ao saudoso Estádio das Antas. E lá ficava eu ate os treinos terminarem. Quando os treinos eram à porta aberta era uma maravilha ouvir o grande Bobby Robson gritar com os jogadores. Ms eram gritos saudáveis, pois ele era um bonacheirão 🙂 Como eu gostava do espirito que se vivia ali. Adeptos de jornal por baixo do braço e cigarro no canto na boca, treinadores de bancada a mandar bitaites. Eu sentia-me feliz ali. Respirava-se mística.

Hoje trago-vos alguns rabiscos de personalidades, que valem ouro, pelo menos para mim:

 

(o rabisco do guarda-redes portista ve-se muito mal porque aqui a je não tinha uma caneta preta mas quis que ele autografasse o postar da equipa) 

Vitor Manuel Martins Baia (Vila Nova de Gaia, São Pedro da Afurada, 15 de Outubro de 1969)

Historico:

 

Sir Robert William “Bobby” Robson, Kt, CBE (Sacriston, 18 de Fevereiro de 1933County Durham, 31 de Julho de 2009), conhecido como Bobby Robson, foi um jogador e treinador de futebol britânico.

 

Historico: 

Augusto Inacio (Lisboa, 1 de fevereiro de 1955)

Historico


Emerson Moisés Costa (Rio de Janeiro, 12 de Abril de 1972)

Historico:


Silvino de Almeida Louro (Setubal, 5 de Março de 1959)

Historico

Edmilson Gonçalves Pimenta (Santa Teresa, Espirito Santo, 17 de Setembro de 1971)

Historico

Jorge Costa (Porto, 14 de Outubro de 1971)

Historico

Aloisio Pires Alves, (Pelotas, 16 de agosto 1963)

Peter Lipcsei ( Karcincbarcika- Hungria,28 de Março de 1972)

Rui Jorge de Sousa Dias Macedo de Oliveira (Vila Nova de Gaia, 27 de Março de 1973)

Historico

Bino (Manuel Albino Morim Maçães – Povoa de Varzim, 19 de Dezembro de 1972)

Historico

Jorge Couto (Feira, 1 de Julho de 1970)

Historico

 

Secretário (Aveiro, 12 de maio de 1970)

Historico

Folha ( Vila Nova de Gaia, 21 de maio de 1971)

Historico

João Domingos da Silva Pinto, ( Vilar de Andorinho, 21 de Novembro de 1961)

Historico

Anos Clubes Jogos (golos)
1981-1997 FC Porto 407 (87)
Seleção nacional
1983-1996  Portugal 70 (1)
Treinador
1997-2004
2004-2006
2008-
FC Porto juniores
FC Porto observador
FC Porto Treinador adjunto

 

Paulinho Santos  (Caxinas, Vila do Conde, 21 de Novembro de 1970)

Historico

 

 O capitão do clube,João Pinto (Defesa lateral e capitão do F.C.P.) tambem era conhecido pelas suas gaffes:

Estava lesionado (ou castigado) e não podia jogar, e perguntaram-lhe se a sua ausência não ia influenciar o rendimento da equipa:
– “Comigo, ou ‘sem-migo’, o Porto vai ser campeão!”

Foi receber um prémio (qualquer), e produziu o seguinte discurso:
– “O meu coração só tem uma cor: azul-e-branco.”

Repórter: – “João Pinto, prognósticos para este encontro?”
– “Prognósticos só no fim do jogo.”

Repórter: – “João Pinto, felicidades para o jogo.”
– “Obrigado, igualmente.”

Num domingo, depois do jogo com o Boavista: 
– [O Rui Filipe] … era um jogador com “H” muito grande e um homem com dois “HH” muito grandes.

No fim de um jogo que o Porto ganhou:
Repórter: – João Pinto, felizes com mais esta vitória?
JP: – Sim, estamos felizes porque estamos contentes.

Neste jogo, JP tinha marcado um golo num remate de primeira. Entrevistado no fim do jogo, teve a seguinte afirmação:
“Não foi nada de especial, chutei com o pé que estava mais a mão!”

Outro fantástico comentário de J. Pinto:
“O meu clube estava a beira do precipício, mas tomou a decisão correcta: Deu um passo em frente….”

Jornalista: “João Pinto, é supersticioso?”
Resposta de J.Pinto: “Não, dá azar!”

Após uma derrrota do FC Porto frente ao Maritimo, no Funchal, isto à entrada dos balneários.
Jornalista: João Pinto, comentários acerca desta derrota?
J.P: Só falo quando chegar a PORTUGAL…

Num estágio da Selecção os jornalistas estavam a fazer uma reportagem sobre os tempos livres dos jogadores. Chegou a vez do J. Pinto e quando lhe perguntaram o que costumava fazer nos tempos livres do estagio, respondeu:
João Pinto: – “Costumo fazer isto, aquilo, o outro, ver TV, ler…”
Repórter: – “Então e o que costuma ler? Jornais?”
João Pinto: – “Sim”
Repórter: – “E livros, não lê?”
João Pinto: – “Sim, claro! Por acaso, ando a ler agora um, que até tenho em cima da mesinha de cabeceira.”
Repórter: – “Qual o titulo do livro?”
J.P.(embaraçado): – “Hum… Errr… Não me lembro…”

Paulo Jorge dos Santos Futre (Montijo, Montijo, 28 de fevereiro de 1966)

Historico

Rui Manuel Cesar Costa  (Amadora, Damaia, 29 de março de 1972)

Historico: Só tenho pena de nāo ter um rabisco deste magico Fernando Gomes, mas não se pode ter tudo hehe 🙂

Este post contou com a colaboração do meu irmão mais novo, (Daniel Ferreira, 25 anos, portista assumido, pode não ter vivido nos anos áureos do nosso clube mas sente  o nosso clube de alma e coração)  que tambem respondeu a uma breve entrevista:

1- Qual e para ti o melhor jogador do FC Porto de sempre?

– Deco. Um jogador com uma classe inigualável. Mas gostava de ter visto jogar Cubillas ou Madjer

2- E a melhor equipa? 

3- Vítor Baía; João Pinto, Jorge Costa, Aloísio e Branco; Costinha, Frasco e Deco; Hulk, Drulovic e Jardel.

3- Quem foi para ti o melhor treinador?

-José Mourinho. Ganhou tudo o que havia para ganhar.

4- Estadio das Antas ou Dragão?

– Antas. Tinha mais mística e era completamente infernal para os adversários.

5- Concordas que a mistica voltou com o SC?

Não. Apesar de apreciar o seu esforço com um plantel tão fraco, ainda é muito cedo para falarmos disso. Raça e entrega estão lá, mas prefiro falar no fim apenas. Se formos campeões, a resposta é um sim, mas ainda falta muito.

Espero que tenham gostado destas minhas memórias clubisticas 🙂

E vocês, tambem têm destas preciosidades? 😉

About Matilde Ferreira