Os U2 e os irlandeses… Beda 4#

Sarm West Studios, London, September 2014

A propósito desta noticia do jornal britanico The Guardian, em que falam que os irlandeses odeiam o Bono Vox,  lembrei-me de uma historia que uma colega irlandesa do meu Rui lhe contou e so vem subir ainda mais a consideração que eu tenho no Paul David Hewson aka Bono Vox. Ah e este artigo vem desmentir e explicar a noticia do jornal britanico.

Certo dia a professora, que era tipo uma freira,  da amiga irlandesa do Rui encontrou um individuo a vaguear na praia vestido de roupas simples e aspecto “vagabundo”. Convidou para ir tomar um cha, ao que este aceitou educadamente. Estiveram a conversa, mais numa da professora lhe passar um sermão e missa cantada e na hora em que esta lhe ia oferecer dinheiro, o sujeito revelou-se dizendo que nao precisava pois era o Bono Vox. Este agradeceu o lanche e a simpatia, despediu-se e foi a vida dele. 

E com isto este grande senhor subiu ainda mais na minha consideração.

Moral da historia: Nunca julguem alguém pelo aspecto. 😉

 

About Matilde Ferreira

11 thoughts on “Os U2 e os irlandeses… Beda 4#

  1. Rui Moreira

    Acho que ate certo ponto a pesquisa do The Guardian e um bocado “falhada”, visto que apenas se resume a pessoas em 1 pub numa rua de Dublin. E no que toca a estatística, trata-se de uma amostra muito pobre visto que estas pessoas podem não representar uma fatia suficientemente grande da população Irlandesa.
    Em todo o caso sim existe um certo sentimento em relação aos U2 na Irlanda que pode muito bem ser classificado de “inveja” mas e relativo, falando em famosos, ha muitos Portugueses que não gostam do Cristiano (eu incluído) ou não lhe acham muita piada, e não quer dizer que tenham inveja dele.
    Enfim … nao estou a comparar o Bono ou qualquer outro membro dos U2 ao Cristiano mas foi o único exemplo de que me lembrei.

    Continua com o bom trabalho, acho que os posts estão cada vez mais interessantes.

    Beijos

    Ru

  2. Andreia Morais

    É das coisas mais erradas que podemos fazer, sem qualquer dúvida!

    r: Acredito que preservamos sempre um pouco dessa inocência. Mas, sim, as mudanças são inevitáveis

    Beijinho grande, minha querida*

Leave a Reply