Melancolia… Palavras_quase_perfeitas

Mais um mes, mais uma palavra e Março traz-nos mais uma palavra quase perfeita Melancolia desafio do blog da Cris Loureiro, Vidas Quase Perfeitas, que estou a adorar 🙂

Cai a chuva abandonada
à minha melancolia,
a melancolia do nada
que é tudo o que em nós se cria.

Memória estranha de outrora
não a sei e está presente.
Em mim por si se demora
e nada em mim a consente

do que me fala à razão.
Mas a razão é limite
do que tem ocasião

de negar o que me fite
de onde é a minha mansão
que é mansão no sem-limite.
Ao longe e ao alto é que estou
e só daí é que sou.

Vergílio Ferreira, in ‘Conta-Corrente 1’

Sempre fui muito melancólica em miúda, so estava bem no meu canto, os meus pais costumavam chamar-me bicho-do-buraco e eu ficava danada, afinal qual e o mal de querermos passar o nosso tempo no nosso mundo sem incomodar ninguém?… A partir dos 18 anos, quando comecei a trabalhar deixei de ser tao melancólica, como se tivesse despertado para a vida, talvez porque nao tivesse outra hipótese mas fez-me mesmo muito bem e nao me arrependo de nada, so do que nao fiz!

E uma musica que me deixa melancólica sempre que a ouço…

Agora ao entrar nos 40 será que vou sentir a tao falada melancolia deles?… E esperar para ver 😉

E voces sao melancólicos ou nem por isso?

About Matilde Ferreira

16 thoughts on “Melancolia… Palavras_quase_perfeitas

  1. Cris Loureiro

    Esse poema é lindo 🙂

    Quarentona há mais de 2 anos ainda não conheci melancolia só dores de costas, dores de pernas e mais cabelos brancos 😛

    Há música bem tristes… esse é uma delas… uma que me deixa melancolica (embora goste muito dela) é a dos Pearl Jam “last kiss”

    Beijinhos e obrigada por participares 😉
    Cris
    blogfacebookbloglovin instagram

    1. Matilde Post author

      Realmente ainda estou no inicio mas melancolia nem ve-la 🙂
      Eu e que agradeco pelo desafio 🙂 Esta-me a fazer mesmo muito bem 🙂
      Bjinhoss

  2. Andreia Morais

    Não é um estado no qual me permita ficar muito tempo, no entanto, há dias em que se torna inevitável. Acho que faz parte, todos nós passamos por isso.
    Adorei o poema!

    Beijinhos, minha querida*

Leave a Reply